Livro - Mensagens Escolhidas - Volume 1 | Ellen G. White Books

Mensagens Escolhidas - Volume 1

CAPÍTULO 64

"As Trevas não a Compreenderam"

ME1 - Pag. 401  

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele, e sem Ele nada do que foi feito se fez. NEle estava a vida, e a vida era a luz dos homens; e a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz; para que todos cressem por ele. Não era ele a luz; mas para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo." João 1:1-9.

Tem-me sido feita a pergunta: "Pensa que o Senhor tem qualquer nova luz para nós como um povo?" Respondo que Ele tem luz que para nós é nova, e todavia é preciosa luz antiga que há de brilhar da Palavra da verdade. Possuímos apenas os vislumbres dos raios da luz que nos há de vir ainda. Não estamos fazendo o máximo com a luz que o Senhor já nos tem


ME1 - Pag. 402  

concedido, e assim deixamos de receber acréscimo de luz; não andamos na luz que já foi derramada sobre nós.

Dizemo-nos povo observador dos mandamentos, mas não compreendemos a enorme amplidão dos vastos princípios da lei de Deus; não compreendemos seu caráter sagrado. Muitos que alegam ser professores da verdade, não têm verdadeira compreensão do que estão fazendo ao ensinarem a lei de Deus, porque não possuem conhecimento vivo do Senhor Jesus Cristo.

Ao lermos acerca de Lutero, Knox e outros reformadores notáveis, admiramos-lhes a força, o animo e coragem possuídos por aqueles fiéis servos de Deus, e gostaríamos de apropriar-nos do espírito que os animava. Desejamos saber de que fonte de fraqueza tiraram força. Embora esses grandes homens tivessem sido usados como instrumentos de Deus, não eram sem defeito. Eram homens falíveis, e cometeram grandes erros. Devemos buscar imitar-lhes as virtudes, mas não fazer deles nosso modelo. Esses homens possuíam raros talentos para levar avante a obra da Reforma. Eram impelidos por um poder acima de si mesmos; mas não eram os homens - os instrumentos que Deus usou - que deviam ser exaltados e honrados, mas o Senhor Jesus, que fez com que lhes sobreviesse Sua luz e poder. Que aqueles que amam a verdade e a justiça, a quem incumbem os legados hereditários confiados àqueles porta-estandartes, louvem a Deus, a Fonte de toda a luz.

Se fosse anunciado que mensageiros angélicos abririam aos homens os tesouros do conhecimento relacionado com as coisas celestiais, que sensação não criaria isto no mundo cristão! A atmosfera do Céu circundaria os mensageiros, e com que sofreguidão muitos ouviriam as palavras que lhes caíssem dos lábios! Os homens escreveriam livros chamando a atenção às palavras dos anjos. No entanto, um ser maior do que os anjos esteve em nosso mundo: o próprio Senhor veio para fazer refletir sobre os homens a luz do Céu. Declarou-Se Ele a Si mesmo como um com o Pai, cheio de graça e verdade, Deus manifesto em carne.

O Senhor Jesus, que é a imagem do Deus invisível, deu a própria vida para salvar o homem que perecia, e, oh! que luz,


ME1 - Pag. 403  

que poder traz Ele consigo! NEle habita corporalmente toda a plenitude da Divindade. Que mistério de mistérios! É difícil apreender nossa razão a majestade de Cristo, o mistério da redenção. A vergonhosa cruz se ergueu, os cravos Lhe perfuraram mãos e pés, a cruel lança Lhe dilacerou o coração, e foi pago o preço da redenção da raça humana. O imaculado Cordeiro de Deus levou Ele mesmo em Seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro; tomou sobre Si as nossas enfermidades.

Tema Inesgotável

A redenção é um tema inesgotável, digno de nossa mais íntima contemplação. Sobrepuja a compreensão do pensamento mais profundo, o alcance da mais vívida imaginação. Porventura desvendaremos os arcanos de Deus? Os tesouros da sabedoria e conhecimento estão franqueados a todos os homens, e se milhares dos mais talentosos homens dedicassem todo o tempo a sempre nos apresentar a Jesus, aplicando-se a descrever da melhor maneira os Seus incomparáveis encantos, jamais esgotariam o assunto.

Embora grandes e talentosos autores tenham tornado conhecidas verdades maravilhosas, e tenham apresentado ao povo aumentado esclarecimento, ainda em nossos dias encontraremos novas idéias, e vastos campos nos quais trabalhar, pois o tema da salvação é inesgotável. A obra tem prosseguido de século em século, expondo a vida e caráter de Cristo, e o amor de Deus como foi manifestado no sacrifício expiatório. O tema da redenção empregará a mente dos remidos através de toda a eternidade. Novos e ricos desdobramentos serão manifestos no plano da salvação, através dos séculos eternos.

Estivesse Jesus conosco hoje, e nos diria, como disse aos discípulos: "Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora." João 16:12. Jesus anelava abrir ao espírito dos discípulos verdades vivas e profundas, mas sua terrenalidade, sua compreensão deficiente e enuviada o tornavam impossível. Não podiam ser beneficiados com verdades grandes, gloriosas e solenes. A ausência de crescimento


ME1 - Pag. 404  

espiritual fecha a porta aos ricos raios de luz que resplandecem de Cristo. Jamais alcançaremos um período em que não haja para nós acréscimo de luz. As palavras de Jesus eram sempre de vasto alcance em seu sentido. Os que ouviam os Seus ensinamentos, possuídos de opiniões preconcebidas, não assimilavam o sentido que tinham Seus pronunciamentos. Jesus era a fonte, o originador da verdade.

Os grandes temas do Antigo Testamento eram compreendidos mal e mal-interpretados, e foi obra de Cristo expor a verdade que não fora compreendida por aqueles aos quais havia sido dada. Os profetas haviam feito as declarações, mas a importância espiritual do que tinham escrito não foi por eles descoberta. Não reconheceram o sentido da verdade. Jesus reprovou Seus discípulos por sua lerdeza de compreensão. Muitas de Suas preciosas lições perderam-nas eles, porque não compreendiam a grandeza espiritual de Suas palavras. Prometeu Ele, porém, que viria o Consolador, que o Espírito de verdade lhes traria à lembrança as palavras esquecidas. Deu-lhes a compreender que deixara com eles preciosas gemas de verdade, cujo valor desconheciam.

Preciosas Gemas em Minas da Verdade

Após a crucifixão e a ressurreição de Cristo, Seus discípulos escutavam com admiração e assombro a Suas lições sobre a Verdade; pois pareciam-lhes idéias novas. Ele, porém, lhes disse: "São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco. ... Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras." Luc. 24:44 e 45. A verdade está constantemente a desdobrar-se e apresentar a diferentes espíritos novos aspectos. Todos os que cavam nas minas da verdade, descobrirão constantemente ricas e preciosas gemas. Estamos ansiosos de que todos os que alegam crer na verdade que diante de nós está aberta, e especialmente os que assumem a responsabilidade de ensinar a outros a verdade, tenham eles mesmos um conceito mais claro do importantíssimo significado dos temas da Bíblia.

Os que se põem em defesa da lei de Deus acham-se numa posição em que precisam muito do Espírito de Deus. Se aos


ME1 - Pag. 405  

pastores falta a brandura, se se irritam facilmente quando encontram oposição, é evidente que precisam de iluminação divina. Devem os homens manifestar a graça de Cristo ao trabalharem em favor de almas. A verdade, como é em Jesus, terá sobre o espírito dos descrentes uma influência inteiramente diversa da que ela tem quando apresentada como teoria ou como assunto controverso.

Se fizermos mesmo o melhor que pudermos para apresentar a verdade em seu caráter comovedor, contrariando as opiniões e idéias de outros, será mal-interpretada, mal aplicada e mal citada aos que entretêm o erro, a fim de fazê-la aparecer numa luz objetável. Existem alguns, aos quais levais a verdade, que não têm estado a sorver do vinho de Babilônia. É-lhes difícil compreender a verdade, daí a necessidade de ensiná-la como é em Jesus.

Os que alegam amar a verdade, estão em condições de ser mansos e humildes de coração, como foi o grande Mestre. Os que têm laborado diligentemente nas minas da Palavra de Deus, e têm descoberto o precioso ouro nos ricos veios da verdade, nos divinos mistérios ocultos desde séculos, exaltarão o Senhor Jesus, a Fonte de toda a verdade, revelando em seu caráter o poder santificante daquilo que crêem. Jesus e Sua graça têm de ser entesourados no íntimo do santuário da alma. Então será Ele revelado em palavras, em oração, em exortação, ao ser apresentada a verdade sagrada, pois este é o grande segredo do êxito espiritual.

Quando o próprio eu é entretecido em nossos labores, a verdade que levamos a outros não santifica, não refina nem enobrece nosso coração; não testifica de que somos vasos apropriados para uso do Mestre. É tão-somente mediante oração fervorosa que podemos manter suave comunhão com Jesus, e mediante esta bendita comunhão as palavras e o espírito se tornam fragrantes com o espírito de Cristo. Não existirá um só coração que não subsista ao escrutínio. Jesus, o precioso Salvador, ordenou a vigilância. A supervisão do próprio eu não deve ser relaxada por um único momento. O coração tem de ser guardado com diligência, pois dele procedem as saídas da vida. Vigiai e disciplinar os pensamentos, para que não pequeis com os vossos lábios.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>