Livro - Mensagens Escolhidas - Volume 1 | Ellen G. White Books

Mensagens Escolhidas - Volume 1

CAPÍTULO 60

Relação da Fé com as Obras

ME1 - Pag. 377  

Napier, Nova Zelândia, 9 de abril de 1893

Irmão A. T. Jones:

Estava eu assistindo a uma reunião, estando presente vasta congregação. Em meu sonho estáveis apresentando o assunto da fé, e da imputada justiça de Cristo pela fé. Repetíeis várias vezes que as obras de nada valiam, que não havia condições. O assunto foi apresentado de maneira que, sei, os espíritos seriam confundidos, não recebendo a correta impressão quanto à fé e as obras, e resolvi escrever-vos. Afirmais esta questão com vigor exagerado. Há condições para recebermos justificação e santificação, e a justiça de Cristo. Sei o que quereis dizer, mas deixais uma impressão errada nos espíritos. Conquanto as boas obras não salvem alma alguma, é impossível que uma única alma se salve sem as boas obras. Deus nos salva sob uma condição: que peçamos, se queremos receber; busquemos se queremos encontrar; e batamos se queremos que a porta se nos abra.


ME1 - Pag. 378  

Cristo Se oferece, para salvar perfeitamente aos que se chegam a Ele. Convida a todos para irem ter com Ele. "O que vem a Mim de maneira nenhuma o lançarei fora." João 6:37. Na realidade considerais esses assuntos como eu, entretanto lhes dais um torneio que leva confusão aos espíritos. E depois de terdes expresso radicalmente vossos pensamentos acerca das obras, quando vos são feitas perguntas sobre esse mesmo assunto, ele em vosso próprio espírito não está muito claro, e não podeis definir a outros espíritos os princípios corretos, e vós mesmos sois incapazes de fazer vossas afirmações harmonizarem com os vossos princípios e vossa fé.

O jovem dirigiu-se a Jesus com a pergunta: "Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?" Mar. 10:17. E Cristo lhe disse: "Por que Me chamas bom? não há bom senão Um só que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos." Disse-lhe o jovem: "Quais?" Jesus citou vários, e o jovem Lhe disse: "Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?" Disse-lhe Jesus: "Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no Céu; e vem, e segue-Me." Aí estão as condições, e a Bíblia está repleta de condições. "E o mancebo, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades." Mat. 19:17, 20-22.

Pontos que Convém Notar

Então, quando dizeis que não há condições, e fazeis algumas declarações muito amplas, sobrecarregais as mentes, e alguns não vêem coerência em vossas expressões. Não podem ver como harmonizar essas expressões com as claras afirmações da Palavra de Deus. Notai esses pontos, por favor. Essas fortes afirmações acerca das obras não tornam nossa posição mais fortalecida. As expressões enfraquecem nossa posição, pois muitos vos considerarão extremista, e perderão as ricas lições que tendes para eles, justamente sobre os assuntos que precisam conhecer. ... Meu irmão, é difícil à mente compreender este ponto, e não confundais mente alguma com idéias que não se


ME1 - Pag. 379  

harmonizem com a Palavra. Considerai, por favor, que sob os ensinos de Cristo muitos dos discípulos eram lamentavelmente ignorantes; mas quando o Espírito Santo, que Jesus prometeu, veio sobre eles e fez do vacilante Pedro o campeão da fé, que transformação em seu caráter! Mas, não coloqueis nem mesmo um seixo, para a alma fraca na fé, nele tropeçar, por meio de apresentações ou expressões exageradas. Sede sempre coerente, calmo, profundo e firme. Não vades a nenhum extremo em coisa alguma, mas mantende os pés sobre rocha sólida. Ó precioso, precioso Salvador! "Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda esse é o que Me ama; e aquele que Me ama será amado de Meu Pai, e Eu o amarei, e Me manifestarei a ele." João 14:21.

Esta é a verdadeira prova - o fazer as obras de Cristo. E é a evidência do amor do agente humano a Jesus, e aquele que faz a Sua vontade dá ao mundo a prova prática do fruto que ele manifesta em obediência, em pureza e em santidade do caráter. ...

Ó meu irmão, andai cuidadosamente com Deus. Mas lembrai-vos de que há alguns cujos olhos vos fitam com muita atenção, na expectativa de que ultrapasseis o limite, e tropeceis e caiais. Mas se com humildade vos conservardes junto a Jesus, tudo estará bem. ...

Na escola de Cristo não há lugar onde nos diplomemos. Devemos trabalhar segundo o plano da adição, e o Senhor operará segundo o plano da multiplicação. É pela constante diligência que, pela graça de Cristo, viveremos segundo o plano da adição, fazendo firme nossa vocação e eleição. ... "Porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis. Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." II Ped. 1:10 e 11. Carta 44, 1893.

Não se Comprometer com o Pecado

Sejam meus irmãos muito cuidadosos em como apresentam ao povo o assunto da fé e das obras, para que os espíritos não


ME1 - Pag. 380  

fiquem confundidos. O povo precisa ser instado à diligência em boas obras. Deve-se-lhes mostrar como ter êxito, como ser purificados, e suas ofertas podem ser fragrantes a Deus. Isto, por virtude do sangue de Cristo. Devem ser apresentadas ao povo mensagens de caráter decisivo. Devem os homens reprovar, repreender toda espécie de mal.

Se for dada ao anjo de qualquer igreja uma comissão como a que foi dada ao anjo da igreja de Éfeso seja a mensagem ouvida por meio de instrumentos humanos, repreendendo o descuido, a apostasia e o pecado, para que o povo possa ser levado ao arrependimento e confissão do pecado. Nunca procureis encobrir o pecado; pois na mensagem de repreensão, deve Cristo ser proclamado como o primeiro e o último, Aquele que para a alma é tudo em todos.

Seu poder aguarda que o peçam aqueles que querem vencer. O reprovador deve animar seus ouvintes, de modo que lutem pelo domínio. Deve ele animá-los a lutar pelo libertamento de toda prática pecaminosa, para ser livres de todo hábito corrupto, mesmo que sua negação de si mesmo seja como arrancar a vista direita, ou separar do corpo o braço direito. Nenhuma concessão ou compromisso devem ser feitos em relação a maus hábitos ou práticas pecaminosas. Manuscrito 26a, 1892.

Cooperação com Deus

Deve o homem cooperar com Deus, empregando todas as faculdades de acordo com a habilidade que Deus lhe deu. Não deve ignorar o que sejam práticas corretas em comer e beber, e em todos os hábitos da vida. O Senhor pretende que Seus instrumentos humanos procedam como seres racionais e responsáveis, em todo os sentidos. ...

Não podemos correr o risco de negligenciar um só raio de luz concedido por Deus. Ser lerdo na prática das coisas que requerem diligência é cometer pecado. O instrumento humano deve cooperar com Deus, e ter domínio sobre as paixões que devem estar em sujeição. Para isso fazer deve ele ser incansável em suas orações a Deus, sempre obtendo graça para controlar o espírito, temperamento e ações. Pela graça que lhe é


ME1 - Pag. 381  

comunicada por Cristo, pode ele ser habilitado a vencer. Ser vencedor significa mais do que muitos supõem.

O Espírito de Deus responderá ao clamor de todo coração penitente; pois o arrependimento é o dom de Deus, e uma evidência de que Cristo está atraindo a alma para Si. Assim como não podemos ser perdoados sem Cristo, também não nos podemos arrepender sem Ele; e no entanto, é uma humilhação ao homem, com suas paixões e orgulho humano, ir diretamente a Jesus, crendo e confiando nEle quanto a tudo de que ele precisa. ...

Que homem algum apresente a idéia de que o homem pouco ou nada tem que fazer na grande obra de vencer; pois Deus nada faz para o homem sem a sua cooperação. Nem digais que, depois de haverdes feito tudo que de vossa parte seja possível, Jesus vos ajudará. Disse Cristo: "Sem Mim nada podeis fazer." João 15:5. De princípio a fim deve o homem ser coobreiro de Deus. A menos que o Espírito Santo opere no coração humano, a cada passo tropeçaremos e cairemos. Os esforços do homem, somente, são nada mais que nulidade; mas a cooperação com Cristo significa vitória. De nós mesmos não temos poder para nos arrepender dos pecados. A menos que aceitemos o auxílio divino, não podemos dar o primeiro passo rumo do Salvador. Diz Ele: "Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim" (Apoc. 21:6), na salvação de cada alma.

Mas, embora Cristo seja tudo, devemos inspirar todo homem a uma diligência incansável. Devemos porfiar, lutar, afligir-nos, vigiar e orar, para não sermos vencidos pelo astuto inimigo. Pois o poder e a graça com os quais isto podemos fazer vêm de Deus, e todo o tempo devemos confiar nAquele que pode salvar perfeitamente a todos os que por Ele se chegam a Deus. Não deixeis nunca em vossa mente a impressão de que pouco ou nada haja que fazer da parte do homem; ensinai antes ao homem a cooperar com Deus, que assim poderá ter êxito em vencer.

Que ninguém diga que vossas obras nada têm que ver com vossa categoria e posição diante de Deus. No juízo, a sentença pronunciada será de acordo com o que tenha sido feito ou deixado de fazer. (Mat. 25:34-40.)

Esforço e trabalho são necessários da parte do recebedor da


ME1 - Pag. 382  

graça de Deus; pois é o fruto o que torna manifesto qual a espécie da árvore. Embora as boas obras do homem, sem a fé em Jesus, não sejam de mais valor do que foi a oferta de Caim, contudo, cobertas com o mérito de Cristo, testificam da dignidade do que as pratica, de herdar a vida eterna. Aquilo que no mundo é considerado moralidade, não alcança a norma divina e não tem mais mérito diante do Céu do que teve a oferta de Caim. Manuscrito 26a, 1892.

Enquanto Submisso ao Espírito Santo

Todo aquele que tem uma verdadeira intuição do que significa ser cristão, purificar-se-á de tudo que enfraquece e corrompe. Todos os seus hábitos de vida serão postos em harmonia com o que requer a Palavra da verdade, e ele não só crerá, mas operará sua própria salvação com temor e tremor, enquanto se submete ao moldar do Espírito Santo. Review and Herald, 6 de março de 1888.

Jesus Aceita Nossas Intenções

Se está no coração obedecer a Deus, se são feitos esforços nesse sentido, Jesus aceita esta disposição e esforço como o melhor serviço do homem, e supre a deficiência, com Seu próprio mérito divino. Ele não aceitará os que alegam ter fé nEle e no entanto são desleais ao mandamento de Seu Pai. Muito ouvimos acerca de fé, mas precisamos ouvir muito mais acerca de obras. Muitos estão a enganar a própria alma, vivendo uma religião fácil, acomodatícia, sem cruz. Mas diz Jesus: "Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-Me." Signs of the Times, 16 de junho de 1890.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>