Livro - Mensagens Escolhidas - Volume 1 | Ellen G. White Books

Mensagens Escolhidas - Volume 1

CAPÍTULO 37

"Eu Também vos Envio"

ME1 - Pag. 263  

"Assim como o Pai Me enviou, Eu também vos envio." João 20:21. Nós devemos apresentar, da verdade como é em Jesus, um testemunho tão definido, como fizeram Cristo e Seus apóstolos. Confiando na eficiência do Espírito Santo, devemos testificar da misericórdia, bondade e amor de um Salvador crucificado e ressurgido, e ser assim instrumentos por meio dos quais sejam espancadas as trevas de muitos espíritos, fazendo com que ações de graças e louvor ascendam a Deus, de muitos corações. Há uma grande obra a ser feita por todo filho e filha de Deus. Diz Jesus: "Se Me amardes, guardareis os Meus mandamentos. E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre." João 14:15 e 16. Em Sua oração por Seus discípulos, diz Ele que não orava apenas pelos que estavam em Sua presença imediata, mas também "por aqueles que pela sua palavra hão de crer em Mim". João 17:20. Outra vez disse Ele: "Ouvistes que Eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se Me amásseis, certamente exultaríeis por ter dito: Vou para o Pai; porque o Pai é maior do que Eu." João 14:28. Assim vemos que Cristo orou por Seu povo e lhes fez abundantes promessas para lhes


ME1 - Pag. 264  

assegurar êxito, como Seus cooperadores que eram. Disse Ele: "Fará maiores [obras] do que estas [as que Ele fazia]; porque Eu vou para Meu Pai." João 14:12.

Oh! que privilégios inauditos pertencem aos que são crentes e praticantes das palavras de Cristo! É o conhecimento de Cristo como O que tomou sobre Si os pecados, como propiciação de nossas iniqüidades, o que nos habilita a viver uma vida de santidade. Este conhecimento é a garantia da felicidade da família humana. Satanás sabe que, sem este conhecimento, seríamos lançados em confusão e despojados de nossa força. Desapareceria nossa fé em Deus, e seríamos deixados como presa de todo artifício do inimigo. Elaborou ele planos sutis, para destruir o homem. É seu propósito lançar sua sombra infernal, qual mortalha, entre Deus e o homem, a fim de que possa ocultar de nossa vista a Jesus, de modo que nos possa levar a esquecer o ministério de amor e misericórdia, barrando-nos maiores conhecimentos do grande amor e poder de Deus em relação a nós, e interceptando todo raio de luz do Céu.

Cristo, unicamente, era capaz de representar a Divindade. Aquele que esteve na presença do Pai desde o princípio, Aquele que era a expressa imagem do Deus invisível, era o único suficiente para realizar essa obra. Nenhuma descrição verbal poderia revelar Deus ao mundo. Mediante uma vida de pureza, vida de perfeita confiança e submissão à vontade de Deus, vida de humilhação da qual mesmo o mais alto serafim celestial teria recuado, o próprio Deus tinha de ser revelado à humanidade. Para isso fazer, nosso Salvador revestiu de humanidade a Sua divindade. Empregou as faculdades humanas, pois unicamente adotando-as poderia ser compreendido pela humanidade. Unicamente a humanidade poderia alcançar a humanidade. Ele viveu o caráter de Deus através do corpo humano que Deus Lhe preparara. Abençoou Ele o mundo, vivendo na carne humana a vida de Deus, mostrando assim ter o poder de unir a humanidade à divindade.

Nossa Missão por Cristo

Disse Cristo: "Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho O


ME1 - Pag. 265  

quiser revelar." Mat. 11:27. Oh! quão vagamente é compreendida a exaltada obra do Filho de Deus! Tinha Ele nas mãos a salvação do mundo. A comissão confiada aos apóstolos é também dada aos Seus seguidores deste século: "Em Seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém." Luc. 24:47. Nosso Salvador tem "todo o poder no Céu e na Terra" (Mat. 28:18), e esse poder nos é prometido. "Recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-Me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da Terra." Atos 1:8.

Embora uma igreja se componha de pessoas pobres e iletradas e desconhecidas, se elas forem membros de fé e oração, sua influência será sentida através do tempo e da eternidade. Se saírem possuídos de fé singela, confiantes nas promessas da Palavra de Deus, poderão realizar grande bem. Se fizerem brilhar sua luz, Cristo neles será glorificado e serão promovidos os interesses de Seu reino. Se tiverem uma intuição de sua responsabilidade individual para com Deus, buscarão oportunidades para trabalhar, e resplandecerão como luzes no mundo. Serão exemplos de sinceridade e de zeloso fervor em executar os planos de Deus para a salvação de almas. Os pobres, os iletrados podem, se quiserem, tornar-se estudantes na escola de Cristo, e Ele lhes ensinará a verdadeira sabedoria. A vida de mansa e infantil confiança, de verdadeira piedade, de religião verdadeira, será eficaz em sua influência sobre os outros. As pessoas altamente educadas têm a tendência de confiar mais em seus conhecimentos livrescos do que em Deus. Muitas vezes não buscam o conhecimento dos caminhos de Deus mediante a luta fervorosa com Ele na oração secreta, apoderando-se, pela fé, das promessas divinas. Os que receberam a unção divina sairão, com um espírito semelhante ao de Cristo, buscando oportunidade para manter conversa com outros e revelar-lhes o conhecimento de Deus e de Jesus Cristo a quem Ele enviou, conhecer o qual é vida eterna. Tornar-se-ão epístolas vivas, revelando à humanidade a Luz do mundo.


ME1 - Pag. 266  

Deu Cristo "a cada um a sua obra". Mar. 13:34. Espera Ele que todo homem faça com fidelidade a obra que lhe toca. Elevados e humildes, ricos e pobres, todos têm uma obra a fazer pelo Mestre. Todos são conclamados para a ação. Se, porém, não obedecerdes à voz do Senhor, se não fizerdes a obra por Ele designada, com firme confiança em Cristo como vossa suficiência, se não seguirdes o Seu exemplo, será registrada junto de vosso nome a sentença "mau e negligente servo". A menos que a luz que vos foi concedida seja comunicada a outros, a menos que façais resplandecer vossa luz, ela se extinguirá em trevas, e vossa alma quedará em tremendo perigo. Diz Deus a todo aquele que conhece a verdade: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:16. Comunicai aos outros o conhecimento da verdade. Este é o plano de Deus para iluminar o mundo. Se não ficardes no lugar que vos é designado, se não fizerdes resplandecer vossa luz, ficareis envoltos em trevas. Deus pede a todos os filhos e filhas da família celestial que estejam plenamente equipados, de modo que a qualquer tempo possam incorporar-se às fileiras prontas para a ação. O coração enternecido e tornado compassivo pelo amor de Jesus encontrará as preciosas pérolas destinadas ao escrínio do Senhor Jesus.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>