Livro - No Deserto da Tentação | Ellen G. White Books

No Deserto da Tentação

A Segunda Tentação

DT - Pag. 57  

O apetite e a paixão, o amor ao mundo e os pecados insolentes foram as grandes ramificações do mal, das quais cresceram muitas espécies de crime, violência e corrupção. Satanás foi vencido no seu objetivo de dominar a Cristo consoante ao apetite. E aqui, no deserto, Cristo alcançou a vitória em favor da humanidade, justamente no ponto do apetite, tornando possível ao homem, no tempo futuro, em Seu nome, vencer a força do apetite em seu próprio benefício.

A Segunda Tentação

Satanás, porém, não estava disposto a cessar os seus esforços até tentar todos os meios para obter a vitória sobre o Redentor do mundo. Sabia que tudo estava em jogo: seria ele ou Cristo o vitorioso na luta. Para intimidar a Cristo com sua força superior, ele O levou a Jerusalém e O colocou sobre o pináculo do templo, continuando a assediá-Lo com tentações. De novo exigiu de Cristo que se Ele na verdade fosse o Filho de Deus, desse-lhe evidência disto, lançando-Se da vertiginosa altura sobre a qual Ele fora colocado. Instigou Cristo a mostrar Sua confiança no cuidado preservador do Pai, atirando-Se do pináculo do templo.

Na primeira tentação de Satanás quanto à questão do apetite, ele tentou insinuar dúvidas com respeito ao amor de Deus e ao cuidado por Cristo como Seu Filho, apresentando o ambiente e Sua fome como evidência de que Ele não tinha

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>