Livro - No Deserto da Tentação | Ellen G. White Books

No Deserto da Tentação

Imprudência Presunçosa e Fé Inteligente

DT - Pag. 102  

nível de seu hálito poluído pelo fumo, de seu cérebro amortecido e sua alma contaminada pela condescendência com o apetite e as paixões. Cristãos professos comem e bebem, fumam e mascam fumo, e tornam-se glutões e beberrões, satisfazendo o apetite e ainda falam em vencer como Cristo venceu!

Imprudência Presunçosa e Fé Inteligente

Há muitos que deixam de distinguir entre uma imprudência presunçosa e uma inteligente confiança de fé. Satanás pensou que por meio de suas tentações poderia ludibriar o Redentor do mundo, levando-O a uma façanha heróica a fim de manifestar o Seu divino poder causando sensação e surpreendendo a todos por meio de uma apresentação do maravilhoso poder de Seu Pai para preservá-Lo do dano. Ele sugeriu que Cristo deveria aparecer em Seu verdadeiro caráter e por meio de uma obra-prima de poder, estabelecer o Seu direito à fé e confiança do povo, se na verdade Ele era o Salvador do mundo. Se Cristo tivesse sido enganado pelas tentações de Satanás e exercido Seu poder miraculoso para aliviá-Lo da dificuldade, teria quebrado o acordo feito com Seu Pai, de ser um réu em favor da humanidade.

Era uma difícil tarefa para o Príncipe da Vida executar o plano que havia iniciado para a salvação do homem, revestindo Sua divindade com a humanidade. Ele tinha recebido honra nas cortes celestiais e estava familiarizado com o poder absoluto.


DT - Pag. 103  

Era tão difícil para Ele conservar-Se ao nível da humanidade como era para o homem levantar-se acima do seu nível de natureza depravada, e ser participante da natureza divina.

Cristo foi colocado em terrível teste que requeria a força de todas as Suas faculdades, a fim de resistir à inclinação, quando estivesse em perigo de usar o Seu poder para livrar-Se do perigo e triunfar sobre o poder do príncipe das trevas. Satanás mostrou seu conhecimento dos pontos fracos do coração humano e concentrou todo o poder para tirar vantagem da fraqueza e humanidade que Cristo assumiu, a fim de vencer suas tentações para crédito do homem.

Deus deu ao homem promessas preciosas sob condição de fé e obediência; estas, porém, não devem sustentá-lo em nenhuma ação precipitada. Se o homem desnecessariamente colocar-se no lugar do perigo, e for aonde Deus não quer que ele vá, expondo-se confiadamente ao perigo, contrariando os avisos da razão, Deus não fará nenhum milagre para libertá-lo. Não enviará Seus anjos para livrar a ninguém de ser queimado se escolhe colocar-se no fogo.

Adão não foi enganado pela serpente como aconteceu com Eva e era indesculpável se transgredisse imprudentemente o positivo mandamento de Deus. Adão tornou-se presunçoso porque sua esposa pecou. Não podia ver o que aconteceria a Eva. Estava triste, confuso e tentado. Ouviu de Eva o recital das palavras da serpente e sua firmeza e integridade começaram a vacilar.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>