Livro - Vida de Jesus | Ellen G. White Books

Vida de Jesus

CAPÍTULO 30

Quando Voltará Cristo à Terra?

VJ - Pag. 173  

Nosso Salvador virá outra vez. Antes de partir, Ele mesmo anunciou aos discípulos a promessa de Seu retorno: "Não se turbe o vosso coração. ... Na casa de meu Pai há muitas moradas. ... Vou preparar-vos lugar. E, quando Eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para Mim mesmo, para que, onde Eu estou, estejais vós também." João 14:1-3.

Ele não deixou dúvida quando à maneira de Seu retorno: "Quando vier o Filho do Homem na Sua majestade e todos os anjos com Ele, então, Se assentará no trono da Sua glória; e todas as nações serão reunidas em Sua presença." Mat. 25:31 e 32.

Cuidadosamente Cristo os advertiu contra os enganos: "Portanto, se vos disserem: Eis que Ele está no deserto!, não saiais. Ou: Ei-lo no interior da casa!, não acrediteis. Porque, assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra até no Ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do Homem." Mat. 24:26 e 27.

Essa advertência é para nós. Hoje, falsos mestres estão dizendo: "Eis que Ele está no deserto!", e milhares têm saído ao deserto na esperança de encontrar Jesus ali.


VJ - Pag. 175  

Outros milhares que afirmam manter contato com os espíritos dos mortos, declaram que Ele está "no interior da casa". Mat. 24:26. Essa é a afirmação feita pelo espiritismo.

Cristo, porém, disse: "Não acrediteis. Porque, assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra até no Ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do Homem." Mat. 24:26 e 27.

Por ocasião de Sua ascensão, os anjos explicaram aos discípulos como Jesus viria outra vez: "assim virá do modo como O vistes subir." Atos 1:11. Ele subiu ao Céu corporalmente e eles O viram quando separou-Se deles e foi envolvido por uma nuvem. Ele voltará sobre uma grande nuvem branca e "todo olho O verá". Apoc. 1:7.

Sinais do Fim

O dia e a hora exatos de Sua vinda não foram revelados. Cristo disse aos discípulos que Ele Mesmo não sabia o dia ou a hora de Seu retorno; mas, mencionou certos eventos através dos quais poderiam saber quando Sua vinda estaria próxima.

"Haverá sinais", disse Ele, "no Sol, na Lua e nas estrelas." Luc. 21:25. E explicou com maior clareza ainda: "O Sol escurecerá, a Lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do firmamento." Mat. 24:29.

"Sobre a Terra", disse Jesus, haverá "angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo." Luc. 21:25 e 26.

"E verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e muita glória. E Ele enviará os Seus anjos, com grande clangor de trombeta, os quais reunirão os Seus escolhidos, dos quatro ventos,


VJ - Pag. 176  

de uma a outra extremidade dos céus." Mat. 24:30 e 31.

O Salvador acrescentou ainda: "Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas." Mat. 24:32 e 33.

Cristo descreveu os sinais de Sua vinda. Disse que poderíamos saber quando Seu retorno estivesse às portas. Quando as folhas das árvores brotam na primavera, sabemos que o verão está próximo. Do mesmo modo, ao se cumprirem os sinais no Sol, na Lua e nas estrelas, podemos nos certificar de que a vinda de Cristo se aproxima.

Esses sinais já se cumpriram. Em 19 de maio de 1780 o Sol escureceu. Esse dia ficou conhecido na História como "o dia escuro". Na região Leste dos Estados Unidos, tão densas eram as trevas que as lamparinas foram acesas ao meio-dia e até depois da meia-noite, a Lua embora fosse cheia, negou-se a iluminar. Muitos acreditaram que o dia do juízo havia chegado. Nenhuma razão satisfatória pôde explicar a escuridão sobrenatural, exceto a que foi encontrada nas palavras de Cristo. O escurecimento do Sol e da Lua foi um sinal de Sua vinda.

Em 13 de novembro de 1833, ocorreu uma deslumbrante queda de estrelas jamais contemplada pelo homem. Outra vez, as pessoas se convenceram de que era chegado o dia do juízo.

Desde então, terremotos, furacões, maremotos, pestes, fomes, destruições por fogo ou por inundações têm-se multiplicado. Além disso, angústia e perplexidade entre as nações apontam para o iminente retorno do Senhor Jesus.

Aos que haveriam de contemplar esses sinais, o Salvador disse: "Não passará esta geração sem que tudo isto aconteça.


VJ - Pag. 177  

Passará o Céu e a Terra, porém as Minhas palavras não passarão." Mat. 24:34 e 35.

"Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras." I Tess. 4:16-18.

A Família de Deus Enfim Reunida

Cristo vem, com poder e grande glória nas nuvens do céu. Uma multidão de anjos resplandecentes virá com Ele. Ele virá para ressuscitar os mortos e transformar os santos vivos de glória em glória. Virá para honrar e levar consigo os que O amam e guardam os Seus mandamentos. Não Se esqueceu deles, nem de Sua promessa.

Virá para reunir as famílias que foram separadas pela morte. Quando nos lembramos dos nossos queridos que a morte arrebatou, pensamos com ansiedade na manhã da ressurreição quando a trombeta de Deus soará e "os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." I Cor. 15:52.

Esse tempo está próximo. Um pouco mais e então veremos o Rei em Sua formosura. Ainda um pouco e Ele enxugará dos olhos toda lágrima. Mais um pouco, e Ele nos apresentará "com exultação, imaculados diante da Sua glória." Jud. 24.

Por isso, quando Jesus descreveu os sinais de Seu retorno, disse: "Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima." Luc. 21:28.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>