Livro - Maranata! - Meditação Matinal | Ellen G. White Books

Maranata! - Meditação Matinal

CAPÍTULO 10

Outubro

Ma - Pag. 280  

A Ressurreição Especial dos Injustos

"Eis que vem com as nuvens, e todo olho O verá, até quantos O traspassaram. E todas as tribos da Terra se lamentarão sobre Ele. Certamente. Amém". Apoc. 1-7.

"Os mesmos que O traspassaram" (Apoc. 1:7), os que zombaram e escarneceram da agonia de Cristo, e os mais acérrimos inimigos de Sua verdade e povo, ressuscitam para contemplá-lo em Sua glória, e ver a honra conferida nos fiéis e obedientes. - GC) 635.

Caifás, erguendo para o Céu a mão direita, dirigiu-se a Jesus na forma de um solene juramento: "Conjuro-Te pelo Deus vivo que nos digas se Tu és o Cristo, o Filho de Deus"....

Todos os ouvidos se inclinaram para escutar, e todos os olhos se fixaram em Seu rosto, ao responder: "Tu o disseste". Uma luz celestial parecia iluminar-Lhe o pálido semblante, ao acrescentar: "Digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu".

Por um momento a divindade de Cristo irrompeu através do invólucro humano. O Sumo sacerdote recuou diante do penetrante olhar do Salvador. ... Sentiu-se por um momento como à presença do eterno Juiz, cujo olhar, que vê todas as coisas, estava a ler-lhe a alma, trazendo à luz mistérios que supunha ocultos com os mortos.

A cena desapareceu da visão do sacerdote. ... Rasgando os vestidos, ... exigiu que ... fosse Preso condenado por blasfêmia: "Para que precisamos ainda de testemunhas?" disse ele; "Eis que bem ouvistes agora a Sua blasfêmia. Que vos parece?" E todos O condenaram. - DN, 526 e 527.

Deste modo os guias judeus fizeram a escolha. Sua decisão foi registada no livro que João viu na mão daquele que estava assentado no trono, no livro que ninguém podia abrir. Esta decisão lhes será apresentada em todo o seu caráter rei- vindicativo naquele dia em que o livro há de ser desselado pelo Leão da tribo de Judá. - PJ, 294.

Quando Cristo vier pela segunda vez, ... eles O verão como Rei do Céu. . . . Então os sacerdotes e maiorais recordarão distintamente "a cena na sala de julgamento. Todas as circunstâncias aparecerão diante deles como que escritas com letras de fogo. - ST, 17-01-1900.

Ano Bíblico: Zac. 9-11. Juvenis-. S. Luc. 7.


Ma - Pag. 281  

Os Elementos se Desfarão Abrasados

"Virá ... como ladrão, o dia do Senhor, O qual os céus passarão com estrepitoso e os elementos se desfarão abrasados; também a Terra e as obras que nela existem serão atingidas". 11 S. Ped. 3:10.

No dia do Senhor, pouco antes da vinda de Cristo, Deus, em Sua ira, enviará raios do céu, que se unirão com o fogo na Terra. As montanhas ardem como uma fornalha, e derramarão terríveis correntes de lava, destruindo jardins e campos, vilas e cidades; e, ao arremessarem nos rios seus minérios derretidos, pedras e lodo aquecido, fá-los-ão ferver como uma panela, arremetendo também rochas maciças e espalhando seus fragmentos sobre a terra com indescritível violência. Rios inteiros tornar-se-ão secos. A Terra se convulsionará, e por toda parte haverá pavorosas erupções e terremotos. Deus afligirá os perversos habitantes da Terra até serem destruí- dos. - 3SG, 82 e 83.

A Terra oscilará de um lado para outro como um ébrio, e será removida como uma choça. Os elementos estarão em chamas, e o céu enrolar-se-á como um pergaminho. - 5BC, 1110.

A crosta da Terra será dilacerada pelas explosões dos ele- mentos ocultos nas entranhas da Terra. Estes elementos, uma vez desprendidos, arrebatarão os tesouros dos que, durante anos, têm estado a aumentar sua riqueza adquirindo grandes posses, a preços de fome, dos que estão a seu serviço. - MS 24, 1891.

A grande conflagração geral está precisamente à frente, quando todo esse malbaratado labor da vida será arrebatado da noite para o dia. - 4T, 49.

Haverá ... grande destruição de vidas humanas. Mas, como nos dias do grande dilúvio, Noé foi preservado na arca que Deus preparara para ele, assim nestes dias de destruição e calamidade, Deus será o refúgio de Seus crentes. Ele declara por intermédio do salmista: "Porquanto tu puseste ao Senhor, refúgio meu, ao Altíssimo por tua habitação; nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará a tua tenda". "Pois no dia da adversidade Ele me ocultará no Seu Pavilhão ..." Não faremos, então, do Senhor nossa segurança e nossa defesa? - Carta W-258, 1907.

Ano Bíblico.- Zac. 12-14. - Juvenis: S. Luc. S. 281


Ma - Pag. 282  

Uma Vívida Ilustração da Sétima Praga

"Viste os tesouros da saraiva, que Eu retenho até o tempo da angústia" Jé 38:22 e 23.

Byron Belden, Sara Belden e a irmã May Lacey acompanharam-me em meu compromisso em Prospect [Sul da Austrália] ... Ao sair da casa [de reuniões] vimos a aproximação de uma tempestade -... tão assombrosa que tocamos os nossos potros tão depressa quanto nos atrevíamos a fazê-lo. Quando estávamos quase em casa, o temporal irrompeu com toda a fúria. Começaram a cair grandes pedras de gelo. ... As ... pedras assustaram a potranca, pois feriam-na com terrível força.

Eu disse: "Byron, saia imediatamente. ... Aproxime-se de sua cabeça; fale com ela. Faça com que os cavalos saibam que não é você que está batendo neles". Diante desta sugestão ele pulou para fora Ida carruagem]. Eu disse: "May Lacey e Sara, saiam". Elas o fizeram.

Eu saí logo depois, com a ajuda de May e Sara. ... O vento soprava com tal intensidade que os chapéus nos foram arrancados da cabeça e as almofadas foram atiradas para fora da carroça. As pesadas almofadas da carruagem, guarda-chuvas e espessos pelegos foram lançados no campo, e voaram "em todas ás direções.

Que cena! A irmã Belden, May Lacey e eu chegamos em casa sem chapéu. ... Byron ficou ao lado do pobre animal ,acometido de terror.

Esta foi a mais acerba experiência que já suportei numa carruagem, no meio de uma tempestade. ... Pensei no dia em que o juízo de Deus será derramado sobre o mundo, em que o negror e horrível escuridão hão de cobrir "o" céu como saco de cilício.... Minha imaginação previu o que sucederá naquele período quando a poderosa voz do Senhor ordenar aos Seus anjos: "Ide, e derrama! pela Terra as sete taças da cólera de Deus". ...

- Apocalipse 6 e 7 são muito significativos. Terríveis são os juízos de Deus revelados. Os sete anjos estavam em pé diante de Deus para receber sua incumbência. Foram-lhes dadas sete trombetas. O Senhor saía do Seu lugar, para castigar os habitantes da Terra por causa da sua iniqüidade....

Quando as pragas de Deus caírem sobre a Terra, desabará sobre os ímpios uma saraivada com pedras que pesarão cerca de um talento. - MS--59, 1895.

Ano Bíblico: Malaquias --Juvenis: S. Luc. 9.


Ma - Pag. 283  

A Terra Foge do seu Criador

"Farei estremecer os céus; e a Terra será sacudida do seu lugar, por causa da ira do Senhor dos Exércitos, e por causa o dia do Seu ardente furor. Cada um será como a gazela que foge, e como o rebanho que ninguém recolhe". Isa. 13:13 e 14.

Densas nuvens ainda cobrem o céu; contudo o Sol de quando em quando irrompe, aparecendo como o olhar vingador de Jeová. Relâmpagos terríveis estalam dos céus, envolvendo a Terra num lençol de chamas. Por sobre o estrondo medonho do trovão, vozes misteriosas e terríveis declaram a sorte dos ímpios. As palavras proferidas não são compreendidas por todos; entendem-nas, porém, distintamente os falsos ensinadores. Os que pouco antes eram tão descuidados, tão jactanciosos e desafiadores, tão exultantes em sua crueldade para com o povo de Deus, observador dos mandamentos, acham-se agora vencidos pela consternação, e a estremecer de medo. Ouve-se o seu pranto acima do som dos elementos. Demônios reconhecem a divindade de Cristo, e tremem diante de Seu poder, enquanto homens então suplicando misericórdia e rastejando em abjeto terror.

Por uma fenda nas nuvens, fulgura uma estrela cujo brilho aumenta quadruplicadamente em contraste com as trevas. Fala de esperança e alegria aos fiéis, mas de severidade e ira aos transgressores da lei de Deus. Os que tudo sacrificaram por Cristo estão agora em segurança, como que es- condidos no lugar secreto do pavilhão do Senhor. Foram provados, e perante o mundo e os desprezadores da verdade, evidenciaram sua fidelidade Aquele que por eles morreu. Uma mudança maravilhosa sobreveio aos que mantiveram firme integridade em face mesmo da morte. "Foram subitamente libertos da negra e terrível tirania de homens transformados em demônios. Seu rosto, pouco antes tão pálido, ansioso e descomposto, resplandece agora de admiração, fé e amor. Sua voz ergue-se em cântico triunfal: "Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos, ainda que a Terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza". Salmo 46:1-3. - GC, 635-637.

Ano Bíblico. Vista Geral do Velho Testamento. Juvenis: S. Luc. 10.


Ma - Pag. 284  

A Lei de Deus Aparecem no Céu

"Os céus anunciam a Sua justiça, porque é o próprio Deus que julga". Sal. 50:6.

As nuvens recuam, e se vêem os constelados céus, indescritivelmente gloriosos em contraste com o firmamento negro e carregado de cada lado. A glória da cidade celestial emana de suas portas entreabertas. - GC, 637.

No templo será vista a arca do concerto em que foram colocadas as duas tábuas de pedra, nas quais está escrita a lei de Deus. Estas tábuas de pedra serão tiradas de seu esconderijo, e nelas serão vistos os Dez Mandamentos gravados pelo dedo de Deus. Estas tábuas de pedra que agora se encontram na arca do concerto serão um convincente testemunho da verdade e dos obrigatórios reclamos da lei. de Deus. - 7BC, 972.

Espíritos e corações sacrílegos julgaram que eram sufi- cientemente poderosos para mudar os tem" e as leis de Jeová; mas, em segurança nos arquivos do Céu, na arca de Deus, estão os mandamentos originais, escritos nas duas tábuas de pedra. Nenhum potentado terrestre tem poder para tirar essas tábuas de seu sagrado esconderijo debaixo do propiciatório. - 7BC, 972.

Aparece então de encontro ao céu uma mão segurando duas tábuas de pedra dobradas uma sobre a outra. Diz o profeta: "Os céus anunciarão a Sua justiça; pois Deus mesmo é o juiz". Salmo 50:6. Aquela santa lei, a justiça de Deus, que por entre trovões e chamas foi do Sinal proclamada como guia da vida, revela-se agora aos homens como a regra do juízo. A mão abre as tábuas, e vêem-se os preceitos do decálogo, como que traçados com pena de fogo. As palavras são tão claras que todos as podem ler. Desperta-se a memória, varrem-se de todas as mentes as trevas da superstição e heresia, e os dez preceitos divinos, breves, compreensivos e autorizados, apresentam-se à vista de todos os habitantes da Terra.

É impossível descrever o horror e desespero dos que pisaram os santos mandamentos de Deus. ...

Os inimigos da lei de Deus, desde o ministro até ao menor dentre eles, têm nova concepção da verdade e do dever. Demasiado tarde vêem que o sábado do quarto mandamento é o selo do Deus vivo. - GC, 637.

Ano Bíblico. S. Mat: 1-4. Juvenis: S. Luc. 11.


Ma - Pag. 285  

É Anunciado O Dia e a Hora da Vinda de Cristo

"Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, item os anjos dos Céus, nem o Filho, senão somente o Pai". S. Mat. 24:36.

A voz de Deus é ouvida do céu, declarando o dia e a hora da vinda de Jesus e estabelecendo concerto eterno com Seu povo. Semelhantes a estrondos do mais forte trovão, Suas palavras ecoam pela Terra inteira. - GC, 638.

E, falando Deus o dia e a hora da vinda de Jesus, e declarando o concerto eterno com o Seu povo, proferia uma sentença e então silenciava, enquanto as palavras estavam a repercutir pela Terra. O Israel de Deus permanecia com os olhos fixos para cima, ouvindo as palavras enquanto elas vinham da boca de Jeová e ressoavam pela Terra como estrondos do mais forte trovão. - PE, 285 e 286.

Os santos vivos, em número de 144. 000, reconheceram e entenderam a voz, ao passo que os ímpios julgaram fosse um trovão ou terremoto, - PE, 15.

O Israel de Deus fica a ouvir, com o olhar fixo no alto. Têm o semblante iluminado com a Sua glória, brilhante como o rosto de Moisés quando desceu do, Sinal. Os ímpios não podem olhar para eles. E, quando se pronuncia a bênção sobre os que honraram a Deus, santificando o Seu sábado, há uma grande aclamação de vitória. - GC, 633.

Começou então o jubileu, quando a Terra devia descansar. - PE2 35.

Uma gloriosa luz resplandecia sobre eles [os santos]. Quão belo era então a seu parecer! Todos os sinais de cuidado e cansaço haviam desaparecido, e viam-se de novo saúde e beleza em cada semblante. Seus inimigos, os ímpios em redor deles, caíram como mortos, não podiam suportar a luz que brilhava sobre os que haviam tido livramento e eram santos. Essa luz e glória permaneceram sobre eles, até que Jesus foi visto nas nuvens do céu. - PE, 272 e 273.

Vi uma nuvem flamejante aproximar-se de onde Jesus estava. Então Jesus ... tomou o Seu lugar na nuvem que O levou para o oriente, onde ela apareceu primeiro aos santos na Terra - uma pequena nuvem escura que era o sinal do Filho do Homem. Enquanto a nuvem passava do Santíssimo para o oriente, o que levou vários dias, a sinagoga de Satanás adorava prostrada aos pés dos santos. To The Little Remnant Seattered Ab-road, 06-04-1846.

Ano Bíblico- S. Mat. 5-7. Juvenis S. Luc. 12.


Ma - Pag. 286  

Vislumbres da Manhã Cheia de Esplendor

"Porque assim como o relâmpago sai do oriente o se mostra até no ocidente, assim há de ser a vinda do Filho do homem". S. Mat. 24:27.

Surge logo no Oriente uma pequena nuvem negra, aproximadamente da metade do tamanho da mão de um homem. É a nuvem que rodeia o Salvador, e que, a distância, parece estar envolta em trevas. O povo de Deus sabe ser esse o sinal do Filho do Homem. Em solene silêncio fitam-na enquanto se aproxima da Terra, mais e mais brilhante e gloriosa, até se tornar grande nuvem branca, mostrando na base uma glória semelhante ao foco consumidor e encimada pelo arco-íris do concerto. Jesus, na nuvem, avança como poderoso vencedor. Agora, não como "Homem de dores", para sorver o amargo cálix da ignomínia e miséria, vem Ele vitorioso no Céu e na Terra para julgar os vivos e os mortos. "Fiel e verdadeiro", Ele "julga e peleja em justiça". E seguiram-no os exércitos no Céu". Apoc. 19:11 e 14. Com antífonas de melodia celestial, os santos anjos, em vasta e inumerável multidão, acompanham-no em Seu avanço. O firmamento parece repleto de formas radiantes - milhares de milhares, milhões de milhões. Nenhuma pena humana pode descrever esta cena, mente alguma mortal é apta para conceber seu esplendor. "A Sua glória cobriu os céus, e a Terra encheu-se do Seu louvar. E o Seu resplendor era como a luz". Habaruque 3:3 e 4. Aproximando-se ainda mais a nuvem viva, todos os olhos contemplam o Príncipe da vida. Nenhuma coroa de espinhos agora desfigura a sagrada cabeça, mas um diadema de glória repousa sobre a santa fronte. O semblante divino irradia o fulgor deslumbrante do Sol meridiano. "E no vestido e na Sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores". Apoc. 19: 16. - GC, 638 e 639.

De cabeça erguida, brilhando sobre eles os resplandecentes raios do Sol da Justiça, regozijando-se porque se aproxima sua redenção, [os santos vivos] saem ao encontro do Esposo, dizendo: "Eis que Este é o nosso Deus, a quem aguardava-mos, e Ele nos salvará". - Nossa Alta Vocação, p. 365.

Ano Bíblico- S. Mat. 8-10. Juvenis - S. Luc. 13.


Ma - Pag. 287  

A Segunda Vinda de Cristo

"Vem o nosso Deus, e não guarda silêncio; Perante Ele arde uni fogo devorador, ao Seu redor esbraveja grande tormenta. Intima os céus lá em cima, e a Terra, para julgar o Seu povo". Sal. 50:3 e 4.

Logo nossos olhares foram dirigidos ao oriente, pois aparecera uma nuvenzinha aproximadamente do tamanho da metade da mão de homem, a qual todos nós soubemos ser o sinal do Filho do homem. Todos nós em silêncio solene olhávamos a nuvem que se aproximava e se tornava mais e mais clara e esplendente, até converter-se numa grande nuvem branca. A parte inferior tinha aparência de fogo; o arco-íris estava sobre a nuvem, enquanto em redor dela se achavam dez milhares de anjos, entoando um cântico agradabilíssimo; e sobre ela estava sentado o Filho do homem. - PE, 15 e 16. Quando a principio apareceu a distância, parecia esta nu vem muito pequena. O anjo disse que ela era o sinal do Filho do homem. Ao aproximar-se mais da Terra, pudemos ver a excelente glória e majestade de Jesus, enquanto Ele saía para vencer. - PE, 286.

Os cabelos, brancos e anelados, caíam-Lhe sobre os ombros; e sobre a cabeça tinha muitas coroas. Os pés tinham a aparência de fogo; em Sua destra trazia uma foice aguda e na mão esquerda, uma trombeta de prata. Seus olhos eram como chamas de fogo, que profundamente penetravam Seus filhos. Todos os rostos empalideceram; e os daqueles a quem Deus havia rejeitado se tornaram negros. Todos nós exclamamos então: "Quem poderá estar em pé? Estão as minhas vestes sem mancha?" Então os anjos cessaram de cantar, e houve algum tempo de terrível silêncio, quando Jesus falou: "Aqueles que têm mãos limpas e coração puro serão capazes de estar em pé; Minha graça vos basta". Com isto nos iluminou o rosto e encheu de alegria o coração. E os anjos tocaram mais fortemente e tornaram a cantar, enquanto a nuvem mais se aproximava da Terra. - PE, 16.

A Terra tremia diante dele, os céus se afastavam como um pergaminho quando se enrola, e toda montanha e ilha se movia de seu lugar. "E os reis da Terra, os grandes, os comandantes, os ricos, "os poderosos e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes. ..." - PE, 286 e 287.

Ano Bíblico- S. Mat. 11.13. -.Juvenis- S. Luc. 14.


Ma - Pag. 288  

As Covas e Cavernas da Terra

"Estão os homens se meterão mas cavernas das rochas, e nos buracos da Terra, ante o terror do Senhor e a glória da Sua majestade, quando Ele se levantar para espantar a Terra". Isa. 2-19.

Os que estão ocultos têm sido disperses por causa do ódio do homem contra a lei de Jeová. Eles têm sido oprimidos por todos os poderes da Terra. Têm sido disperses nas covas e cavernas da Terra devido à violência de seus adversários, porque são fiéis e obedientes às leis de Jeová. Mas virá o livramento para o povo de Deus. Para os Seus inimigos Deus Se mostrará um Deus de retribuição justa. ...

Das covas e cavernas da Terra, que têm sido os esconde- rijos do povo de Deus, são eles chamados como Suas testemunhas, fiéis e verdadeiras.

As pessoas que foram audazes em sua rebelião cumprirão a descrição dada em Apoc. 6:15-17. Nessas mesmas cavernas e covas eles encontram a própria declaração da verdade nas cartas e nas publicações como testemunho contra eles. Os pastores que guiaram as ovelhas por caminhos falsos ouvirão a acusação feita contra eles: "Fostes vós que fizestes pouco caso da verdade. Fostes vós que nos dissesses que a lei de Deus foi abolida, que ela era uni jugo de servidão. Fostes vós que enunciastes falsas doutrinas quando nos convencemos de que esses adventistas do sétimo dia tinham a verdade. O sangue de nossa alma está sobre as vossas vestes sacerdotais. ... Pagareis agora o resgate de nossa alma? Que faremos nós, que prestamos atenção à vossa deturpação das Escrituras e à vossa falsificação da verdade que nos teria salvo, caso fosse obedecida?"

Quando Cristo vier para tomar vingança contra os que têm educado e ensinado o povo a pisar sobre o sábado de Deus, a demolir o Seu memorial e a calcar aos pés o alimento de Seus pastos, as lamentações serão inúteis. Os que confiaram nos falsos pastores poderiam ter examinado a Palavra de Deus por si mesmo e verificam que Deus julgará todo homem que teve a verdade e se afastou da luz porque ela envolvia abnegação e a cruz. Rochas e montanhas não podem ocultá-los da indignação daquele que está assentado no trono e da ira do Cordeiro. - Carta D-86, 1900.

Ano Bíblico: S. Mat. 14-16. - Juvenis: S. Luc. 15.


Ma - Pag. 289  

O Aparecimento de Cristo em Sua, Segunda Vinda

"Aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da Sua glória, segundo a eficácia do poder que Ele tem de até subordinar a Si todas as coisas". Filip. 3:20 e 21.

Cristo ascendera ao Céu na forma humana. Os discípulos viram a nuvem recebê-Lo. O mesmo Jesus que andara, e falara e orara com eles; Aquele que partira com eles o pão; que com eles estivera nos botes, no lago; e que fizera com eles, naquele mesmo dia, a penosa subida do Olivete - o mesmo Jesus fora agora para partilhar do trono do Pai. E os anjos lhes asseguraram que Aquele mesmo que viram subir ao Céu, voltaria outra vez assim como subira. - DN, 619.

A glória da humanidade de Cristo não apareceu quando Ele estava na Terra. ... Aquela mesma humanidade aparece agora, ao descer Ele do Céu, revestido de glória, triunfante, exaltado. - Nos Lugares Celestiais, p. 358.

Cristo virá em Sua própria glória, na glória de Seu Pai, e na glória dos santos anjos. Milhares de milhares e miríades de miríades de anjos - os triunfantes filhos de Deus, possuidores de transcendente beleza e glória, escoltá-Lo-ão em Seu caminho. Em lugar de uma coroa de espinhos, trará coroa de glória - uma coroa dentro de outra. Em lugar daquele velho manto de púrpura, trajará vestes do mais puro branco, "tais como nenhum lavandeiro sobre a Terra os poderia branquear" (S. Mar. 9:3). E em Suas vestes e na coxa terá escrito um nome: "Rei dos reis, e Senhor dos senhores". Apoc. 19:16. - Nossa Alta Vocação, p. 365.

Todo o Céu estará vazio de anjos, enquanto os expectantes santos estarão agradando-O e com os olhos postos no Céu, como os varões galileus quando Ele ascendeu do Monte das Oliveiras. Então somente os que são santos, os que seguiram inteiramente o manso Modelo, exclamarão com transportes de júbilo ao contemplá-Lo: "Eis que Este é o nosso Deus, a quem esperávamos, e Ele nos salvará". E serão mudados "num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta" - a trombeta que desperta os santos que dormem e chama-os de suas camas de pó, revestidos de gloriosa imortalidade e clamando: "Vitória! Vitória sobre a morte e a sepultura!" - PE, 110.

Ano Bíblico- S. Mat. 17-20 -,Juvenis.- S. Luc. 16.


Ma - Pag. 290  

O Juízo por Ocasião do Segundo Advento

"Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus que há de julgar vivos e mortos pela Sua manifestação e pelo Seu reino". II Tim. 4:1.

Cristo quer que todos compreendam os acontecimentos de Sua segunda aparição. A cena do juízo terá lugar em Presença de todos os mundos; pois nesse juízo será reivindicado o governo de Deus, e Sua lei apresentar-se-á como "santa, e justa, e boa". Então será decidida tudo caso, e dada a todos a sentença. Então, o pecado não parecerá atrativo, mas será vista em toda a espantosa magnitude. Todos verão a relação em que estão para com Deus e uns Para COM os outros. - RH, 20-09-1898.

Nenhuma linguagem humana pode descrever as cenas da segunda vinda do Filho do homem nas nuvens do céu. Ele virá com a Sua própria glória, e com a glória do Pai e dos santos anjos. Ele virá trajado de uma veste de luz, por Ele usada desde os dias da eternidade. Acompanhar-Lo-ão os anjos. Miríades de miríades O escoltarão. Ouvir-se-á O som da trombeta, chamando da sepultura os santos adormecidos. A voz de Cristo penetrará o túmulo, e os ouvidos dos mortos, e "todos os que estão nos sepulcros ... sairão".

"E todas as nações serão reunidas em Sua presença". Aquele mesmo que morreu pelo homem há de julgá-lo no último dia; pois o Pai confiou ao Filho "todo o julgamento, ... e Lhe deu autoridade para julgar, porque é o Mo do homem". Que dia não será esse, quando os que rejeitaram a Cristo contemplarem Aquele a quem seus pecados traspassaram! - RH, 05-09-1899.

Por ocasião de Sua segunda vinda, será causada convicção em todo coração. Os que se afastaram dele para as coisas triviais da Terra, em busca de interesses egoístas e honra mundana, reconhecerão o seu erro no dia de Sua vinda. São estes aqueles a quem o revelador se refere ao dizer que "todas as tribos da Terra se lamentarão sobre Ele". ...

"Até quantos O traspassaram". Estas palavras se aplicam não somente aos homens que traspassaram a Cristo quando Ele estava suspenso na cruz do Calvário, mas também aos que, pela difamação e a prática do mal, O traspassam hoje em dia. - ST, 28-01-1903.

Ano Bíblico: S. Met. 21-23. Juvenis - S. Luc. 17.


Ma - Pag. 291  

Os que O Traspassaram

"Vereis o Filho do homem assentado à direita do Todo-Poderoso e vindo com as nuvens do céu". S. Mar. 14:62.

Ao contemplarem eles [os dominadores judaicos] a Sua glória, ocorre-lhes subitamente à memória a lembrança do Filho do homem revestido da humanidade. Eles se recordam do modo corno O trataram, corno O rejeitaram e cerraram fileiras ao lado do grande apóstata. As cenas da vida de Cristo aparecem diante deles em toda a sua clareza. Tudo o que Ele fez, tudo o que Ele disse, a humilhação a que desceu para salvá-los da mancha do pecado, ergue-se diante deles para condenação.

Eles O contemplam cavalgando para Jerusalém, e vêem-no prorromper numa convulsão de choro sobre a cidade Impenitente que não queria receber Sua mensagem. . Sua voz, que era ouvida em tom de convite, de súplica e de terna solicitude, parece penetrar novamente em seus ouvidos. A cena no jardim do Getsêmani surge diante deles, e ouvem a surpreendente oração de Cristo: "Meu Pai; se possível, passe de Mim este cálice!"

Eles ouvem outra vez a voz de Pilatos, dizendo: "Não) acho culpa alguma neste homem". Vêem a vergonhosa cena na sala de julgamento, quando Barrabás estava em pé ao lado de Cristo, e tiveram o privilégio de escolher o Inocente. Ouvem novamente as palavras de Pilatos: "Qual quereis que eu vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado Cristo?" Eles ouvem a resposta: "Fora com este! Solta-nos Barrabás!" A pergunta de Pilatos: "Que farei então de Jesus, chamado Cristo?" a resposta é: "Seja crucificado!"

Eles vêem outra vez seu Sacrifício, suportando o vitupério da cruz. Ouvem as altas vozes triunfantes exclamarem desdenhosamente: "Se és Filho de Deus, desce da cruz". "Salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-Se".

Agora eles O contemplam, não no jardim do Getsêmani, não na sala de julgamento, não sobre a cruz do Calvário. Os sinais de Sua humilhação se dissiparam, e eles contemplam o rosto de Deus - o rosto no qual eles cuspiram, o rosto que os sacerdotes e dominadores feriram com as palmas de suas mãos. Agora lhes é revelada a verdade em toda a sua nitidez. - RH, 05-09-1899.

Ano Bíblico: S. Mat. 24-26. - Juvenis: S. Luc. 18.


Ma - Pag. 292  

Os Ímpios Matam-se uns aos Outros

"Chamarei contra ele a espada sobre todos os Meus montes, diz o Senhor Deus; a espada de cada um se voltará contra o seu próximo". Ezeq. 38-21.

Os Ímpios estão cheios de pesar, não por causa de sua pecaminosa negligência para com Deus e seus semelhantes, mas porque Deus venceu. Lamentam que o resultado seja o que é; mas não se arrependem de sua impiedade. Se pudessem, não deixariam de experimentar todo e qualquer meio para vencer. ...

Ministros e povo vêem que não mantiveram a devida relação para com Deus. Vêem que se rebelaram contra o Autor de toda lei reta e justa. A rejeição dos preceitos divinos deu origem a milhares de fontes para males, discórdias, ódio, Iniqüidade, até que a Terra se tornou uni vasto campo de contenda, uma sentina de corrupção. Este é o quadro que ora se apresenta aos que rejeitaram a verdade e preferiram acalentar o erro. Nenhuma linguagem pode exprimir o anelo que o desobediente e desleal experimenta por aquilo que para sempre perdeu: a vida eterna. Homens que o mundo adorou pelos talentos e eloqüência vêem agora estas coisas sob a sua verdadeira luz. Compenetram-se do que perderam pela transgressão, e caem aos pés daqueles de cuja fidelidade zombaram, com menosprezo, confessando que Deus os amou.

O povo vê que foi iludido . Um acusa ao outro de o ter levado à destruição, todos, porém, se unem em acumular suas mais amargas condenações contra os ministros. Pastores Infiéis profetizaram coisas agradáveis, levaram os ouvintes a anular a lei de Deus e a perseguir os que a queriam santificar. Agora, em seu desespero, esses ensinadores confessam perante o mundo sua obra de engano. As multidões estão cheias de furor. "Estamos perdidos!" exclamam; "e vós sois a causa de nossa ruína"; e voltam-se contra os falsos Pastores. Aqueles mesmos que mais os admiravam, pronunciarão as mais terríveis maldições sobre eles. As mesmas mãos que os coroavam de lauréis, levantar-se-ão para destruí-los. As espadas que deveriam matar o povo de Deus, são agora empregadas para exterminar os seus inimigos. Por toda par- te há contenda e morticínio. GC, 651-653.

Ano Bíblico. S. Mat. 27 e 28. Juvenis: S. Luc. 19.


Ma - Pag. 293  

A Ira do Cordeiro

"Os reis da Terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos, o todo escravo e todo livre se esconderam mas cavernas e nos penhascos dos montes, e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondermos da face dAquele que Se assenta no trono, e da ira do Cordeiro". Apoc. 6:15 e 16.

Cessaram os gracejos escarnecedores. Cerraram-se os lábios mentirosos. O choque das armas, o tumulto da batalha "com ruído, e os vestidos que rolavam no sangue" (Isaías 9:5), silenciaram. Nada se ouve agora senão a voz de orações e o som do choro e lamentação. Dos lábios que tão recentemente zombavam irrompe o clamor: "É vindo o grande dia da Sua ira; e quem poderá subsistir?" Os Ímpios suplicam para que sejam sepultados sob as rochas das montanhas, em vez de ver o rosto daquele que desprezaram e rejeitaram.

Aquela voz que penetra no ouvido dos mortos, eles a conhecem. Quantas vezes seus ternos e suplicantes acentos os chamaram ao arrependimento! Quantas vezes foi ela ouvida nos rogos tocantes de um amigo, um Irmão, um Redentor! Para os que rejeitaram Sua graça, nenhuma outra voz poderia ser tão cheia de censura, tão carregada de denúncias, como aquela que durante tanto tempo assim pleiteou: "Convertei-vos dos vossos maus caminhos, pois por que razão morrereis?" Ezequiel 33:11. Quem dera para eles fosse a voz de um estranho! Diz Jesus: "Clamei, e vós recusasses; porque estendi a Minha mão, e não houve quem desse atenção; "antes rejeitasses todo o Meu conselho, e não quisesses a Minha repreensão". Provérbios 1:24 e 25. Aquela voz desperta memórias que eles desejariam ardentemente se desvanecessem - advertências desprezadas, convites recusados, privilégios ti- dos em pouca conta....

Na vida de todos os que rejeitam a verdade, há momentos em que a consciência desperta, em que a memória apresenta a recordação torturante de uma vida de hipocrisia, e a alma é acossada de vãos pesares. Mas que é Isto ao ser comparado com o remorso daquele dia em que o temor vem como assolação, em que a perdição vem como tormenta! (Provérbios 1:27). Os que desejariam destruir a Cristo e Seu povo fiel, testemunham agora a glória que sobre eles repousa. GC, 639-641.

Ano Bíblico: S. Mar. 1-3. - Juvenis: S. Luc. 20.


Ma - Pag. 294  

Deus Intervém no Armagedom

"Chegará o estrondo até à extremidade Ás Terra, porque o Senhor tem contenda com as nações, entrará em Jazo contra toda a carne; os perversos entregará à espada, diz o Senhor". Jer. 25- 31.

Seis mil anos esteve em andamento o grande conflito; o Filho de Deus e Seus mensageiros celestiais estavam em conflito com o poder do maligno, a fim de advertir, esclarecer e salvar os filhos dos homens. Agora todos fizeram sua decisão, os ímpios uniram-se completamente a Satanás em sua luta contra Deus. Chegado é o tempo para Deus reivindicar a autoridade de Sua lei que fora conculcada. Agora a controvérsia não é somente com Satanás, mas também com os homens. "O Senhor tem contenda com as nações"; "os ímpios entregará à espada".

O sinal de livramento foi posto sobre aqueles "que suspiram e que gemem por causa de todas as abominações que se cometem". Agora sai o anjo da morte, representado na visão de Ezequiel pelos homens com as armas destruidoras, aos quais é dada a ordem: "Matai velhos, mancebos, e virgens, e meninos, e mulheres, até exterminá-los; mas a todo homem que tiver o sinal não vos chegueis; e começai pelo Meu santuário". Diz o profeta: "E começaram pelos homens mais velhos que estavam diante da casa". Ezequiel 9:1-6. A obra de destruição se inicia entre os que professaram ser os guardas espirituais do povo. Os falsos atalaias são os primeiras a cair. Ninguém há de quem se compadecer. ou a quem poupar. Homens, mulheres, donzelas e criancinhas perecem juntamente.

"O Senhor sairá do Seu lugar, para castigar os moradores da Terra, por causa da sua iniqüidade, e a Terra descobrirá o seu sangue, e não encobrirá mais aqueles que foram mor- tos". Isaías 26:21. ... Na desvairada contenda de suas próprias e violentas paixões, e pelo derramamento terrível da ira de Deus sem mistura, sucumbem os ímpios habitantes da Terra - sacerdotes, governadores e povo, ricos e pobres, elevados e baixos. E serão os mortos do Senhor, naquele dia, desde uma extremidade da Terra até à outra extremidade da Terra: não serão pranteados nem recolhidos, nem sepultados". Jer. 25:33. - GC, 653 e 6M.

Ano Bíblico: S. Mar. 4-6. - Juvenis: S. Luc. 21.


Ma - Pag. 295  

A Natureza da Batalha Final

"O Senhor abriu o Sem arsenal e tirou dele as armas da Sua indignação". Jer. 50:25.

Pela Sua própria vontade Deus convoca as forças da Natureza para transtornar o poder de Seus inimigos: - "fogo e saraiva, neve e vapores, e vento tempestuoso que executa a Sua palavra". Sal. 148:8. Quando os gentios amorreus se dispuseram a resistir aos Seus propósitos, Deus interveio, lançando "do céu grandes pedras" sobre os inimigos de Israel. Estamos informados de uma maior batalha a ter lugar nas cenas finais da história da Terra, quando "o Senhor abriu o Seu tesouro, e tirou os instrumentos de Sua indignação". Jer. 50:25. "Entraste tu", pergunta Ele, "até aos tesouras da neve, e viste os tesouros da saraiva que Eu retenho @té ao tempo da angústia, até ao dia da peleja_ e da guerra?" Jó 38:22 e 23.

O revelador descreve a destruição que terá lugar quando a grande voz do templo do Céu" anunciar: "Está feito". Diz ele: "Sobre os homens caiu do céu uma grande saraiva, pedras do peso de um talento". Apoc. 16:17 e 21. - P.P, 538 e 539.

Nas últimas cenas da história da Terra, grassará a guerra. - RH, 19-10-1897.

Os poderes do mal não capitularão no conflito sem uma luta. Mas a Providência tem uma parte a desempenhar na batalha do Armagedom. - 7BC, 983.

O Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir a batalha. - 7BC, 982.

Aquele em cuja vestimenta está escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores, comanda os exércitos do Céu em cavalos brancos, vestidos de linho fino, branco e puro. - 7BC, 983. i

Quando vier novamente à Terra, [Cristo] comoverá "não só a Terra, senão também o Céu". "De todo vacilará a Terra como o ébrio, e será movida e removida como a choça". "E os céus se enrolarão como um livro"; "os elementos, ardendo, se desfarão, e a Terra, e as obras que nela há se queimarão". "Mas o Senhor será o refúgio do Seu povo, e a fortaleza dos filhos de Israel". Heb. 12:26; Isa. 24:20; 34:4; II S. Ped. 3:10; Joel 3:16. - DN, 582 e 583.

Ano Bíblico: S. Mar. 7.9. - Juvenis: S. Luc. 22.


Ma - Pag. 296  

"Ficai Também Vós Apercebidos"

"Ficai também vis apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do homem virá". S. Mat. 24:44.

Suponhamos que Cristo aparecesse hoje nas nuvens do Céu: quem ... estaria pronto para recebê-Lo? Suponhamos que fôssemos trasladados para a reino do Céu justamente como estamos. Estaríamos preparados para nos unir aos santos de Deus, para viver em harmonia com a família real, com os filhos do celeste Rei? Que preparo tendes feito para o juízo? Fizestes paz com Deus? ... Estais buscando ajudar os que vos rodeiam, os de vosso lar, de vossa vizinhança, aqueles com quem entrais em contato e que não estão guardando os mandamentos de Deus? ... lembrai-vos de que a profissão é destituída de valor se a prática não faz parte da vida diária. Deus sabe se estamos verdadeiramente guardando Sua lei. Ele sabe exatamente o que cortamos fazendo, justamente o que estamos pensando e dizendo. Estamos nos preparando para receber o Rei? Quando vier nas nuvens do céu, com poder e grande glória, estareis aptos a dizer: "Tis que Este é o nosso Deus, a quem aguardávamos; na Sua salvação gozaremos?" Isa. 25:9. Aos que isto puderem dizer, Cristo dirá: "Sobe mais. Na Terra me amaste. Tiveste prazer em fazer Minha vontade. Podes agora entrar na Cidade Santa, e receber a coroa da vida eterna".

Se fosse possível sermos admitidos no Céu tal qual nos achamos, quantos de nós seriam capazes de contemplar a Deus? Quantos de nós envergam o vestido das bodas? Quantos de nós são sem ruga nem mácula ou coisa semelhante? Quantos de nós são dignos de receber a coroa da vida? ...

Este é o nossa tempo de lavar e passar a ferro - tempo em que devemos lavar as vestes de nosso caráter no sangue do Cordeiro. Diz João: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado de mundo". S. João 1:29. ... Não devemos despedir nossos pecados?

Rogo-vos, irmãos e irmãs, que porfieis fervorosamente por assegurar-vos a coroa da vida eterna. A recompensa valerá o conflito, valerá o esforço. ... Na carreira em que tomamos parte, todos podem receber a recompensa oferecida: uma coroa de vida eterna. Eu quero essa coroa: hei de, com o auxílio de Deus, alcançá-la. É meu desejo apegar-me firmemente à verdade, para que eu possa ver o Rei em Sua formosura. - Nos Lugares Celestiais, 356.

Ano Bíblico: S. Mar. 10-12. - Juvenis: S. Luc. 23.


Ma - Pag. 297  

Advento A Ressurreição Geral dos Justos

"Despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o Tem orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida, e a Terra dará à luz os seus mortos". Isa. 26:19.

O Rei dos reis desce sobre a nuvem, envolto em fogo chamejante. Os céus enrolam-se como um pergaminho, e a Terra treme diante dele, e todas as montanhas e ilhas se movem de seu lugar.

Por entre as vacilações da Terra, o clarão do relâmpago e o ribombo do trovão, a voz do Filho de Deus chama os santos que dormem. Ele olha para a sepultura dos justos e, levantando as mãos para o céu, brada: "Despertai, despertai, desperta!, vós que dormis no pó, e surgi!" Por todo o comprimento e largura da Terra, os mortos ouvirão aquela voz, e os que ouvirem viverão. E a Terra inteira ressoará com o passar do exército extraordinariamente grande de toda nação, tribo, língua e povo. Do cárcere da morte vêm eles, revestidos de glória imortal, clamando: "Onde está, é morte o teu aguilhão? Onde está, é inferno, a tua vitória?" í cor. 15:.55. E os vivos justos e os santos ressuscitados unem as vozes em prolongada e jubilosa aclamação de vitória.

Todos saem do túmulo com a mesma estatura que tinham quando ali entraram. ... Todos, porém, surgem com a louçania e vigor de eterna mocidade. ... As formas mortais, corruptíveis, destituídas de garbo, poluídas pelo pecado, tornam-se perfeitas, belas e imortais. Todos os defeitos e deformidades são deixados no túmulo. ...

Os justos vivos são transformados "num momento, num abrir e fechar de olhos". A voz de Deus foram eles glorificados; agora tornam-se imortais, e com os santos ressuscita- dos, são arrebatados para encontrar seu Senhor nos ares. Os anjos "ajuntarão os Seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus". - GC, 639, 642 e 643.

Ao surgirem os pequenos, imortais, de seu leito poente, imediatamente seguirão caminho, voando, para os braços mater-nos. - 2ME, 260.

Amigos há muito separados pela morte, reúnem-se, para nunca mais se separarem, e com cânticos de alegria ascendem juntamente para a cidade de Deus. - GC, 643.

Ano Bíblico: S. Mar. 13 e 14. - Juvenis: S. Luc. 24.


Ma - Pag. 298  

A Vitória dos Santos que Dormem

"Não vos maravilhes disto, porque vem a hora em que loiros os que se acham nos túmulos ouvirão a Sua voz e sairão- os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; o os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo". S. João 5 -28 e 29.

O Doador da vida chamará Sua adquirida possessão na primeira ressurreição dos mortos, e até àquela hora triunfante, quando a última trombeta soar e o vasto exército sair para a eterna vitória, todo santo adormecido será guardado como jóia preciosa, conhecida a Deus por nome. Pelo poder do Salvador que neles habitava quando vivos, e por terem sido participantes da natureza divina, eles são ressuscitados dentre os mortos.

"Vem a hora", disse Cristo, "em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a Sua voz e sairão". Aquela voz há de ressoar por todas as moradas dos mortos, e todo santo que dorme em Jesus despertará e sairá de sua prisão. Então a virtude de caráter que recebemos da justiça de Cristo nos unirá à verdadeira grandeza da mais elevada ordem.

A vitória dos santos adormecidos será gloriosa na manhã da ressurreição. ... O Doador da vida coroará de imortalidade a todos. quantos saem dos sepulcros.

Ali está a hoste ressuscitada. O último pensamento foi da morte e suas angústias. os últimos pensamentos que eles tiveram foram em torno da cova e do sepulcro, mas agora proclamam: "Onde está, ó morte, o teu aguilhão? onde está, 6 inferno, a tua vitória?" ... Ei-los aí estão, e o toque final da imortalidade lhes é dado, e ascendem para encontrarem- se com seu Senhor nos ar". ... Há colunas de anjos de ambos os lados; ... então o coro angélico faz soar a nota da vitória, e os anjos que se acham em ambas as colunas irrompem no canto, e a hoste dos remidos se une como se houvessem estado a cantar aquele cântico na Terra, e de fato estiveram. Oh, que música! Não há uma nota desarmoniosa. Toda voz proclama: "Digno é o Cordeiro que foi morto". Ele vê o trabalho de Sua alma, e fica satisfeito. - Filhos e Filhas de Deus, p. 359.

Ano Bíblico: S. Mar. 15 e 16. - Juvenis: S. João I


Ma - Pag. 299  

Mistérios da Ressurreição

"Porque eu sei que o meu Redentor vive, e por "fim Se levantará sobre a Terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. Vê-Lo-ei por mim mesmo, os meus olhos O verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro em mim". Jó 19:25-27.

Nossa identidade pessoal é preservada na ressurreição, se bem que não as mesmas partículas de matéria ou substância material que foram para a sepultura. As maravilhosas obras de Deus são um mistério para a homem. O espírito, o caráter do homem, volta a Deus, para ser preservado. Na ressurreição toda pessoa terá seu próprio caráter. Deus, em Seu devido tempo, despertará os mortos, dando novamente o fôlego de vida e ordenando que os ossos secos vivam. Aparecerá a mesma forma, mas estará isenta de doenças e de todo defeito. Revive apresentando as mesmas características pessoais, de modo que um amigo reconheça o outro. Não há nenhuma lei de Deus na Natureza que revele que Deus restitui as mesmas e idênticas partículas de matéria de que se compunha o corpo antes da morte . Deus dará aos justos falecidos uni corpo que Lhe apraz.

Paulo ilustra este assunto pelo grão de cereal semeado no campo. O grão plantado se decompõe, mas aparece um novo grão. A substância natural da semente que - se decompõe jamais é ressuscitada como antes, mas Deus lhe dá um corpo segundo Lhe apraz. O corpo humano compor-se-á de um material muito mais requintado, pois é uma nova criação, um novo nascimento. "Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual". - 6BC, 1093.

[O crente] pode morrer, como Cristo morreu, mas a vida do Salvador está nele. Sua vida acha-se escondida com Cristo em Deus. "Eu vim para que tenham vida", disse Jesus, "e a tenham em abundância". Ele leva avante o grandioso processo pelo qual os crentes se tornam uni com Ele nesta vida atual, a fim de serem um com Ele por toda a eternidade. ...

No último dia Ele os ressuscitará como uma parte de Si mesmo. ... Cristo tornou-Se um conosco, a fim de que pudéssemos tornar-nos um com Ele em divindade. - RH, 18- 06-1901.

Ano Bíblico: S. Luc. 1 e 2. - Juvenis - S. João 2.


Ma - Pag. 300  

A Vida Eterna Começa Agora

""E o testemunho é este, que Deus nos deu a vida eterna; o esta vida está no Seu Filho". 1 S. João 5:11.

A ressurreição de Jesus era um exemplo da ressurreição final de todos os que dormem nele. - ST, 26-09-1378.

[O cristão] pode morrer; mas a vida de Cristo está nele, e na ressurreição dos justos ele ressuscitará para novidade de vida. - RH, 01-10-1901.

"Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens" . S. João 1:4. Não é a vida física que é aqui especificada, mas a imortalidade, a vida que é exclusivamente propriedade de Deus. O Verbo, que estava com Deus e era Deus, possuía essa vida. A vida física é algo que todo indivíduo recebe. Não é eterna ou imortal; pois Deus, o Doador da vida, toma-a outra vez. O homem não tem domínio sobre sua vida. A vida de Cristo, porém, não era de empréstimo. Ninguém pode arrebatar-Lhe essa vida. "Eu de mim mesmo a dou" (S. João 10:18), disse Ele. NEle havia vida, original, não tomada Por empréstimo, não derivada. Essa vida não é inerente ao homem. Ele só a pode possuir mediante Cristo. - 1 ME, 296.

Conquanto possuísse a natureza humana, Ele [Cristo] de- pendia do Onipotente quanto a Sua vida. Em Sua humanidade, Ele apoderava-Se da divindade de Deus; e isto todo membro da família humana tem o privilégio de fazer. ... Se nos arrependemos de nossa transgressão e aceitamos a Cristo como o Doador da vida, ... tornamo-nos um com Ele, e nossa vontade é posta em harmonia com a vontade divina. Tornamo-nos participantes da vida de Cristo, que é eterna. Obtemos imortalidade de Deus recebendo a vida de Crista, pois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da Divindade. Esta vida é a união e cooperação mística do divino com o humano. - ST, 17-06-1897.

Cristo tornou-Se uma mesma carne conosco, a fim de nos podermos tornar um espírito com Ele. É em virtude dessa união que havemos de ressurgir do sepulcro não somente como manifestação do poder de Cristo, mas porque, mediante a fé, Sua vida se tornou nossa. Os que vêm a Cristo em Seu verdadeiro caráter, e o recebem no coração, têm vida eterna. É por meio do Espírito que Cristo habita em nós; e o Espírito de Deus, recebido no coração pela fé, é o princípio da vida eterna. - DN, 287 e 283.

Ano Bíblico: S. Luc. 3.5. Juvenis: S. João 3.


Ma - Pag. 301  

Reconheceremos Uns aos Outros

"Então conhecerei como também sou conhecido". I Cor. 13 -12.

Reconheceremos os nossos amigos, da mesma maneira que os discípulos a Jesus. Talvez hajam sido deformados, doentes, desfigurados nesta vida mortal, ressurgindo em plena. saúde e formosura; no entanto, no corpo glorificado, será perfeitamente mantida a identidade. ... No rosto, glorioso da luz que irradia da face de Cristo, reconheceremos os traços daqueles que amamos. - DN, 598.

Os remidos encontrar-se-ão com aqueles que dirigiram ao Salvador ressurreto e os reconhecerão. Que bendita conversa entreterão com essas almas! "Eu era pecador", dirá alguém, "sem Deus e sem esperança no mundo, e chegasses a mim, dirigindo-me a atenção para o precioso Salvador como sendo minha única esperança". ... Outros dirão: "Eu era pagão, em terras pagãs. Vós deixasses os amigos e unia casa confortável e viestes ensinar-me a achar a Jesus e a nele crer como a único Deus verdadeiro. Destruí meus ídolos e adorei a Deus, e, agora, vejo-O face a face. Estou salvo, eternamente salvo, para sempre contemplar Aquele a quem amo.

Outros exprimirão sua gratidão para com os que alimentaram os famintos e vestiram o nu. "Quando o desespero escravizou minha alma na incredulidade, o Senhor vos enviou a mim", dizem eles, "para me falar palavras de esperança e conforto. Levastes alimento para minhas necessidades físicas, e abristes diante de mim a Palavra de Deus, despertando-me quanto a minhas necessidades espirituais. Tratastes-me como irmão. Simpatizastes comigo nas minhas tristezas, e restaurasses minha alma magoada e ferida, para que eu me pudesse agarrar à mão de Cristo, estendida para me salvar. Quando eu ainda jazia em ignorância, pacientemente ensinastes-me que eu tinha nos Céus um Pai que cuidava de mim. Lestes-me as preciosas promessas da Palavra de Deus. Inspirastes-me a fé em que Ele me salvaria. Meu coração enterneceu-se, submeteu-se, quebrantou-se quando contemplei o sacrifício que Cristo fizera por mim. ..."

Que regozijo haverá, quando esses remidos se reunirem e saudarem os que com eles tanto se preocuparam! E os que viveram, não para agradar a si mesmos, nine para ser uma bênção aos desventurados... - como seu coração fremirá de satisfação! - My Life Toclay, p. 353.

Ano Bíblico - S. Luc. 6-8. Juvenis: S. João 4.


Ma - Pag. 302  

"Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus o Salvador Cristo Jesus". Tito 2:13.

Disse Jesus que iria preparar-nos lugar, para que onde Ele estivesse, estivéssemos nós também. Habitaremos para sempre com a Sua preciosa presença e fruiremos a sua luz. Meu coração salta de alegria ante a animadora perspectiva. Estamos quase no lar. Céu, doce Céu! Será nosso lar eterno. A cada instante me alegro ao pensamento de que Jesus vive, e corno Ele vive, nós também viveremos. Minha alma diz: Louvai ao Senhor! Em Jesus há plenitude de bênçãos, suprimento bastante para todos e para cada qual . . . .

Sinto-me faminta, sedenta, de salvação e de inteira conformidade com a vontade de Deus. Por Jesus, temos uma boa esperança. Ela é segura e firme, e penetra até o interior do véu. Proporciona-nos conforto na aflição, dá-nos alegria em meio à angústia, dispersa as sombras que nos rodeiam e leva-nos a lobrigar através de tudo a imortalidade e vida eterna. ... Tesouros terrestres não nos servem de incentivo, pois a esperança que temos alcança muito além dos tesouros da Terra, que são efêmeros, e se apega à herança imorredoura, aos tesouros perenes, incorruptíveis, imaculados e imarcescíveis.

Pode nosso corpo mortal morrer, e ser deposto na sepultura. Contudo a bendita esperança vai até à ressurreição, quando a voz de Jesus chama aos que dormem no pó. Fruiremos então a plenitude da bem-aventurada e gloriosa esperança. Sabemos em quem temos crido. Não ternos corrido em vão, nem trabalhado debalde. Está perante nós uma rica e gloriosa recompensa; é o prêmio em busca do qual corremos, e se perseverarmos, animosos, certo a alcançaremos. ...

Há salvação para nós, e por que nos mantemos afastados da fonte? Por que não nos aproximar e beber, para que a alma se refrigere, robusteça e prospere. em Deus? Por que nos apegamos tão fortemente à Terra? Existe coisa melhor do que a Terra, para nos servir de assunto de conversa e de pensamento. Podemos estar numa disposição de espírito celestial. Oh, consideremos o amável, lmaculado caráter de Jesus, e pela contemplação seremos transformados na mesma imagem. Tende bom ânimo. Tende fé em Deus. - Nos Lugares Celestiais, p. 352.

Ano Bíblico. S. Luc. 9:11. - Juvenis: S. João 5.


Ma - Pag. 303  

A Trasladação dos Juntos

"Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, serenos arrebatados juntamente COM eles, entro nuvens, para a encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor". I Tess. 4.16 e 17.

Logo apareceu a grande nuvem branca. Pareceu-me mais adorável que nunca antes. Nela assentado estava o Filho do homem. A princípio não vimos a Jesus na nuvem, mas ao aproximasse esta da Terra pudemos contemplar Sua amorável pessoa. ... A voz do Filho de Deus chamou os santos que dormiam, saindo estes revestidos de gloriosa imortalidade. Os santos vivos foram mudados num momento e com eles arrebatados no carro de nuvem. Parecia todo ele sobremodo glorioso ao avançar para o alto. Dos lados do carro havia, asas L- debaixo dele rodas. E ao avançar o carro, as rodas clamavam: "Santo", e as asas, ao se moverem, clamavam, "Santo", e o séquito de santos anjos ao redor da nuvem clamavam: "Santo, santo, santo é o Senhor Deus o Todo-Poderoso!" E os santos na nuvem clamavam: "Glória, aleluia!" - PE, 35.

Todos nós entramos na nuvem, e estivemos sete dias ascendendo para o mar de vidro, aonde Jesus trouxe as coroas, e com Sua própria destra as colocou sobre nossa cabeça. Deu-nos harpas de ouro e palmas de vitória. Ali, sobre o mar de vidro, os 144.000 ficaram em quadrado perfeito. Alguns deles tinham coroas muito brilhantes; outros, não tanto. Algumas coroas pareciam repletas de estrelas, ao passo que outras tinham poucas. Todos estavam perfeitamente satisfeitos com sua coroa. E todos estavam vestidos com um glorioso manto branco, dos ombros aos pés. Havia anjos de todos os lados em redor de nós quando caminhávamos sobre o mar de vidro em direção à da cidade. Jesus levantou o potente e glorioso braço, segurou o portal de pérolas, fê-lo girar sobre seus luzentes gonzos, e nos disse: "Lavastes vossas vestes em Meu sangue, permanecestes firmes pela Minha verdade; entrai". Todos entramos e sentíamos ter perfeito direito à cidade. PE, 16 e 17.

Ano Bíblico: S. Luc. 12-14. - Juvenis: S. João 6.


Ma - Pag. 304  

Terra Despovoada

Olhei para a Terra, e ei-la sem forma e vazia; para os céus, o não tinham luz. Olhei para os montes, o eis que tremiam, e todos os outeiros estremeciam. olhei, e eis que não havia homem nenhum, e todas as aves dos céus haviam fugido". Jer. 4:23-25.

Por ocasião da vinda de Cristo os ímpios são eliminados da face de toda a Terra: consumidos pelo espírito de Sua boca, e destruídos pelo resplendor de Sua glória. Cristo leva o Seu povo para a cidade de Deus, e a Terra é, esvaziada de seus moradores. "Eis que o Senhor esvazia a Terra, e a- desola, e transtorna a sua superfície, e dispersa os seus moradores". "De todo se esvaziará a Terra, e de todo será saqueada, porque o Senhor pronunciou esta palavra". "Porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna. Por isso a maldição consome a Terra, e os que habitam nela serão desolados; por isso serão queima- dos os moradores da Terra". Isaías 24.1, 3, 5 e 6.

A Terra inteira se parece com um deserto assolado. As ruínas das cidades e vilas destruídas pelo terremoto, árvores desarraigadas, pedras escabrosas arrojadas pelo mar ou arrancadas da própria Terra, espalham-se pela sua superfície, enquanto vastas cavernas assinalam o lugar em que as montanhas foram separadas da sua base.

Ocorre agora o acontecimento prefigurado na última e solene cerimônia do dia de expiação. Quando se completava o ministério no lugar santíssimo, e os pecados de Israel eram removidos do santuário em virtude do sangue da oferta pelo pecado, o bode emissário era então apresentado vivo perante o Senhor; e na presença da congregação o sumo sacerdote confessava sobre ele "todas as iniqüidade dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, segundo todos os seus pecados", pondo-os "sobre a cabeça do bode". Levítico 16: 21. Semelhantemente, ao completar-se a obra de expiação no santuário celestial, na presença de Deus e dos anjos do Céu e do exército dos remidos, serão então postos sobre Satanás os pecados do povo de Deus, declarar-se-á ser ele o culpado de todo o mal que os fez cometer. - GC, 654 e 655.

Ano Bíblico: S. Luc. 15 -17. - Juvenis: S. João 7.


Ma - Pag. 305  

Satanás é Preso

"Então vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil ano" Apoc. 20:1 e 2.

O escritor do Apocalipse prediz o banimento de Satanás, e a condição de caos e desolação a que a Terra deve ser reduzida; e declara que tal condição existirá durante mil anos. Depois de apresentar as cenas da segunda vinda do Senhor e da destruição dos ímpios, continua a profecia: "Vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo, e uma grande, cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo". Apocalipse 20:1-3.

Que a expressão "abismo" representa a Terra em "estado" de confusão e trevas, é evidente de outras passagens. Relativamente à condição da Terra "no princípio", o relato bíblico diz que "era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo". Gênesis 1:2. A profecia ensina que ela voltará, em parte ao menos, a esta condição. Olhando ao futuro para o grande dia de Deus, declara o profeta Jeremias: "Observei a Terra, e eis que estava assolada e vazia; e os céus, e não tinham a sua luz. Observei os montes, e eis que estavam tremendo, e todos os outeiros estremeciam. Observei e vi que homem nenhum havia e que todas as aves do céu tinham fugido. Vi também que a Terra fértil era um deserto, e que todas as suas cidades estavam derribadas". Jeremias 4:23-26.

Aqui deverá ser a morada de Satanás com seus anjos maus durante mil anos. Restrito à Terra, não terá acesso a outros mundos, para tentar e molestar os que jamais caíram. É neste sentido que ele está amarrado: ninguém ficou de resto, sobre quem ele possa exercer seu poder. Está Inteiramente separado da obra de engano e ruína que durante tantos séculos foi seu único deleite. - GC, 655 e 656.

Ano Bíblico: S. Luc. 18.20. - Juvenis: S. João 8.


Ma - Pag. 306  

Famílias Serão Reunidas

"Assim diz o Senhor: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há recompensa para as tuas obras, diz o Senhor, pois os teus filhos voltarão da terra do inimigo. Há esperança para o teu futuro, diz o Senhor, porque tens filhos voltarão para os seus termos". Jer. 31.16 e 17.

Cristo virá com nuvens e grande glória. Uma multidão de luminosos anjos O acompanhará. Ele virá para ressuscitar os mortos, e transformar os santos vivos de glória em glória. Virá "honrar os que O amaram e guardaram Seus mandamentos, e levá-los para Si. Não os esqueceu, nem a Sua promessa. Unir-se-á de novo a cadeia da família. - DN, 472 e 473.

Com inexprimível alegria, os pais vêem a coroa, o manto, a harpa dados a seus filhos. Terminaram os dias de expectativa e temor. A semente lançada com lágrimas e orações talvez parecesse ter sido semeada em vão, mas sua messe é colhida afinal com alegria. Seus filhos foram remidos. - ST, 01-07-1886.

O dia de Deus revelará quanto o mundo deve a mães piedosas. . . . Quando se assentar o juízo e se abrirem os livros; quando for pronunciado o "bem está" do grande Juiz e sobre a fronte do vencedor for colocada a coroa de glória imortal, muitos erguerão suas coroas à vista do Universo reunido e, apontando para sua mãe, dirão: "Ela fez de mim tudo o que sou mediante a graça de Deus. Sua Instrução, suas orações, foram abençoadas, para minha eterna salvação". - ST, 11- 10-1910.

Oh, maravilhosa redenção! Há tanto tempo objeto das cogitações, há tanto tempo esperada, contemplada com ávida expectativa, mas nunca entendida completamente! - GC, 642 e 643.

Dos fiéis seguidores, Cristo tem sido companheiro diário, amigo familiar. Viveram em contato íntimo, em comunhão constante com Deus. A glória de" Deus fulgiu sobre eles. Refletiu-se neles a luz do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. Agora se regozijam nos raios não ofuscados do resplendor e glória do Rei, em Sua majestade. Estão preparados para a comunhão do Céu; pois têm o Céu no coração. - PJ, 421.

Ano Bíblico: S. Luc. 21 e 22. - Juvenis: S. João 9.


Ma - Pag. 307  

Coroas que Estão Sendo Preparadas Para os Fiéis

"Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a Sua vinda". II Tim. 4:7 e 8.

Quando o Senhor recolher as Suas jóias, os fiéis, os francos, os sinceros, serão olhados com agrado. Os anjos acham-se empenhados em fazer coroas para esses, e nessas coroas cravejadas de estrelas se refletirá com esplendor, a luz ir- radiada do trono de Deus.

Falai nas coisas celestes. Falai em Jesus, em Sua amabilidade e glória, e em Seu imperecível amor por vós, e deixa! que o coração vos transborde de amor e gratidão para com Ele, que morreu para vos salvar. Oh, preparai-vos para encontrar-vos com vosso Senhor em paz! Os que estiverem preparados receberão em breve unia imarcescível coroa de vida, e habitarão para sempre no reino de Deus, com Cristo, com "os anjos, e com os que foram redimidos pelo precioso sangue de Cristo.

Uma coroa de glória... nos está reservada, a nós que esperamos e amamos e anelamos o aparecimento do Salvador. Serão os expectantes que hão de ser coroados de glória, honra e imortalidade. Não necessitais falar das honras do mundo, ou do louvor de seus grandes. São todos vaidade. Toque- lhes tão-somente o dedo de Deus, e volverão prontamente ao pó outra vez . Eu quero honra perdurável, honra imortal, honra que jamais perecerá; uma coroa mais preciosa do que qualquer uma das que já ornaram a fronte de um monarca.

Naquele dia os remidos refletirão a glória do Pai e do Filho. Os anjos do Céu, tocando suas harpas de ouro, darão as boas-vindas ao Rei, e aos que são os troféus de Sua vitória - os que foram lavados e embranquecidos no sangue do Cordeiro. Ressoará um canto de triunfo, enchendo todo o Céu. Cristo venceu. Entra nas cortes celestes acompanhado) daqueles que redimiu, as testemunhas de que Sua missão de sofrimento e sacrifício não foi em vão. - Filhos e Filhas de Deus, p. 362.

Ano Bíblico: S. Luc. 23 e 24. - Juvenis: S. João 10.


Ma - Pag. 308  

Uma Coroa Para Todo Filho de Deus

"Bem-aventurado o homem que suporta com perseverança a provação, porque, depois de ter sitio aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que O amam". S. Tia. 1:12.

Vi um grandíssimo número de anjos trazerem da cidade gloriosas coroas, sendo uma para cada santo, com seu nome escrito na mesma. Pedindo Jesus as coroas, os anjos apresentaram-nas a Ele, e com Sua própria destra o adorável Jesus as colocou sobre a cabeça dos santos. Do mesmo modo trouxeram os anjos as harpas, e Jesus apresentou-as também aos santos. Os anjos dirigentes desferiram em primeiro lugar o tom, e então todas as vozes se alçaram em louvor grato e feliz, e todas as mãos habilmente deslizaram sobre as cordas da harpa, produzindo uma música melodiosa, com acordes abundantes e perfeitos. ...

Dentro da cidade havia tudo para deleitar a vista. Contemplavam por toda parte uma copiosa glória. Então Jesus olhou para os Seus santos remidos; seus rostos estavam radiantes de glória; e, fixando Seu olhar amorável sobre eles, disse com Sua preciosa e melodiosa voz: "Vejo o trabalho de Minha alma, e estou satisfeito. Esta opulenta glória é vossa, para a gozardes eternamente. Vossas tristezas estão terminadas. Não mais haverá morte, nem tristeza, nem pranto; tampouco haverá mais dor". ...

Vi então Jesus levando Seu povo à árvore da vida. ... Na árvore da vida havia belíssimo) fruto, do qual os santos podiam participar livremente. Na cidade havia um trono gloriosíssimo, do qual provinha um rio puro de água da vida, claro como cristal. Em cada lado deste rio estava a árvore da vida, e às margens do rio havia outras belas árvores, produzindo fruto que era bom para alimento.

A linguagem é demasiado fraca para tentar unia descrição do Céu. Apresentando-se diante de mim aquela cena, fico inteiramente absorta. Enlevada pela insuperável esplendor e excelente glória, deponho a pena e exclamo: "Oh, que amor! que amor maravilhoso!" A linguagem mais exaltada não consegue descrever a glória do Céu, ou as profundidades incomparáveis do amor de um Salvador. - HR, 413 e 414.

Ano Bíblico: S. João 1-3. - Juvenis: S. João 11.


Ma - Pag. 309  

A Nossa Redenção se Aproxima

"Ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei as vossas cabeças; porque a vossa redenção "se aproxima". S. Luc. 21:28.

A vinda de Cristo está mais próxima do que quando aceitamos a fé. Aproxima-se de seu término o grande conflito. Os juízos de Deus estão na Terra. Pronunciam solene advertência, dizendo: "Estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não pensos". S. Mat. 24:44. ...

Vivemos nas cenas finais da história da Terra. A profecia cumpre-se rapidamente. As horas de graça escoam-se depressa. Não temos tempo - nem um momento - para perder. Não sejamos achados dormindo na guarda. Ninguém diga em seu coração ou por suas obras: "Meu Senhor tarde virá". Que a mensagem da breve volta de Cristo ressoe em fervo- rosas palavras de advertência. ]Persuadamos homens e mulheres de toda parte, a arrependerem-se e fugirem da ira vindoura. . . .

o Senhor há de vir cedo, e precisamos estar preparados para encontrá-lo em paz. Estejamos resolvidos a fazer tudo quanto está ao nosso alcance para comunicar luz aos que nos cercam. Não devemos estar tristes, mas animosos, e ter sempre perante nós o Senhor Jesus. Ele virá logo, e devemos estar prontos e aguardando o Seu aparecimento. Oh, quão glorioso será vê-Lo e receber as boas-vindas como remidos Seus! Por muito tempo temos esperado; "mas nossa esperança não deve diminuir. Se tão-somente pudermos ver o Rei em Sua formosura, seremos para sempre benditos. Tenho a sensação de que devesse exclamar alto: "Rumo ao lar!" Estamo-nos aproximando do tempo em que Cristo virá com poder e grande glória para levar ao lar eterno w Seus resgatados. - 3TS, 256 e 257.

Por muito tempo temos esperado pela volta de nosso Salvador. Mas nem por isso é menos certa a promessa. Logo estaremos em nosso lar prometido. Ali Jesus nos guiará para junto das águas vivas, que manam do trono de Deus, e nos explicará as providências escuras pelas quais, na Terra, Ele nos fez passar a fim de aperfeiçoar-nos o caráter. Ali contemplaremos com visão não obscurecida as belezas do Éden restaurado. - 8T, 254.

Ano Bíblico: S. João 4-6. - Juvenis: S. João 12.


Ma - Pag. 310  

O Seu Galardão Está com Ele

"Eis que venho sem demora e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras". Apoc. 22:12.

Nossa obra aqui está para terminar em breve, e todo homem receberá o galardão de acordo com o seu próprio labor. Foi- me mostrado o galardão dos santos, a herança imortal, e vi que aqueles que haviam suportado o máximo por causa da verdade não pensarão que tiveram um tempo difícil, mas considerarão o Céu demasiado barato. - lT, 381.

Cada dia encerra a sua relação por escrito de deveres não cumpridos, de negligência, de egoísmo, de engano, de fraude, de extorsão. Que quantidade de más obras está-se acumulando para o juízo final! Quando Cristo vier, "com Ele está o Seu galardão, e a Sua obra diante dele", para retribuir a cada um segundo as suas obras. Que revelação será feita então! Que confusão de rosto para alguns ao serem os atos de sua vida revelados sobre as páginas da História! - 2T, 160.

Todo ato bom e todo ato mau, e sua influência sobre os outros, é delineado pelo Esquadrinhador dos corações, a quem é revelado todo segredo. E o galardão será de acorda com os intuitos que motivaram a ação. - 2T, 520.

A vinda de Cristo está próxima, e apressa-se muito. O tempo que nos resta para trabalhar é curto, e há homens e mulheres que perecem. ... É necessário que o poder divino de converter se aposse de nós, a fim de compreendermos as necessidades de um mundo que perece. A principal mensagem de que fui encarregada de transmitir-vos, é: Preparai-vos, preparai-vos para o encontro com o Senhor. Espevitai as vossas lâmpadas para que a luz da verdade brilhe nos atalhos e vaiados. Há um mundo inteiro a espera de que lhes seja anunciada a proximidade do fim de todas as coisas. .. .

Busquemos nova conversão. Precisamos da presença do Santo Espírito de Deus, para nos enternecer o coração e evitar que "manifestemos no trabalho espírito rude. Oro a fim de que o Espírito Santo Se aposse "inteiramente do nosso coração. "Procedamos como filhos de Deus, que buscam o Seu conselho, e se dispõem a executar-Lhe os planos, onde quer que sejam apresentados. Deus será glorificado por um tal povo, e os que nos observam o zelo, dirão: Amém, amém. 3TS, 339-342.

Ano Bíblico: S. João 7-9. Juvenis: S. João 13.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>