Livro - Maranata! - Meditação Matinal | Ellen G. White Books

Maranata! - Meditação Matinal

CAPÍTULO 9

Setembro

Ma - Pag. 250  

Comparecendo Perante Tribunais e Concílios

"Falarei dos Teus testemunhos na presença dos reis, e não me envergonharei". Sal. 119:46.

Na grande obra de finalização nos defrontaremos com perplexidades que não saberemos contornar, mas não nos esqueçamos de que as três grandes potestades do Céu estão atuando, que a divina mão está posta ao leme, e Deus fará cumprir os Seus desígnios. - Ev, 65.

Chegará o tempo em que seremos levados perante concílios e perante milhares por causa do Seu nome, e cada um terá de apresentar a razão de sua fé. - RH, 18-12-1888.

Cada ponto da verdade sustido por nosso povo terá que suportar a inquirição dos maiores intelectuais; os mais elevados dos grandes do mundo serão postos em contato com a verdade, e consequentemente todas as nossas interpretações devem ser examinadas rigorosamente e aferidas pelas Escrituras. Agora nos parece estarmos ignorados; mas nem sempre será assim. Processam-se movimentos no sentido de pôr-nos em evidência, e se nossas teorias da verdade puderem ser reduzidas a cacos pelos historiadores ou pelos maiores homens do mundo, isso será f eito. - Ev., 69.

O Senhor Jesus dará aos discípulos uma língua e sabedoria que seus adversários não poderão contradizer nem resistir. Os que, pelo raciocínio, não podiam vencer os embustes de Satanás, darão um testemunho afirmativo que desconcertará homens pretensamente cultos. As palavras sairão dos lábios dos indoutos com tão convincente poder e sabedoria que haverá conversões para a verdade. Milhares se converterão pelo seu testemunho.

Por que o iletrado terá esse poder, que o erudito não possui? O iletrado, mediante a fé em Cristo, penetrou na atmosfera de pura e clara verdade, ao passo que o erudito se afastou da verdade. O pobre homem é testemunha de Cristo. Ele não pode apelar para histórias ou para a chamada ciência superior, mas da Palavra de Deus ele colige poderosas evidências. A verdade que ele profere sob a inspiração do Espírito, é tão pura e notável, e possui tão incontestável poder", que seu testemunho não pode ser contestado. - MS 53, 1905.

Ano Bíblico: Ezeq. 14-17. - Juvenis: S. Mat. 21.


Ma - Pag. 251  

Dando Testemunho Perante os Grandes Homens da Terra

"Por Minha causa sereis levados à presença de governadores e de reis, para lhes servir de testemunho, a eles e aos gentios". S. Mat. 10.18.

Não vem longe o tempo em que o povo de Deus será chamado a dar seu testemunho perante os governadores da Terra. Nem um em vinte possui a compreensão dos largos passos que cortamos dando em direção da grande crise de nossa História. ... Não há tempo para vaidade, para frivolidades, para ocupar a mente em coisas sem importância.

Reis, governadores e grandes homens ouvirão de vós pelos relatórios dos que se acham em inimizade para convosco, e vossa fé e caráter serão falsamente apresentados perante eles. Mas os que são falsamente acusados terão oportunidade de aparecer na presença de seus acusadores a fim de responder por si mesmos. Terão o privilégio de levar a luz perante aqueles que são chamados os grandes homens da Terra, e se houverdes estudado a Bíblia, se estiverdes prontos a dar uma resposta a todo homem que vos interroga acerca da esperança que há em vós, com mansidão e temor, vossos inimigos não serão capazes de vos contradizer a sabedoria.

Tendes agora ensejo de atingir ao máximo poder intelectual pelo estudo da Palavra de Deus. Mas se fordes indo lentes, e deixardes de cavar fundo nas minas da verdade, não estareis preparados para a crise que em breve há de vir sobre nós. Oh, se compreendêsseis que cada momento vale ouro! Se viverdes por toda palavra que sai da boca de Deus, não sereis encontrados desapercebidos. - Nossa Alta Vocação, p. 353.

"Ignorais aonde vos poderão convidar a ser testemunhas da verdade. Muitos terão de se apresentar nas cortes legislativas, alguns perante reis e diante dos doutos da Terra, para responderem por sua fé. Os que não têm senão um superficial conhecimento da verdade, não serão capazes de expor claramente as Escrituras, e dar razões definidas da fé que possuem. Ficarão confusos, e não serão obreiros que não têm de que se envergonhar. Que ninguém imagine não precisar estudar, visto não ter de pregar do sagrado púlpito. Não sabeis o que Deus pode requerer de vós. - PE, 217.

Ano Bíblico: Ezeq. 18-20. - Juvenis: S. Mat. 22.


Ma - Pag. 252  

Prepara-te... Para te Encontrares com o Teu Deus

"Portanto, assim te farei, ó Israel! E porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o tem Deus". Amós 4:12.

Muitos não compreendem o que devem ser a fim de viverem à vista do Senhor sem um sumo sacerdote no santuário, durante o tempo de angústia. Os que hão de receber o selo do Deus vivo, e ser protegidos, no tempo de angústia, devem refletir completamente a imagem de Jesus. - PE, 70.

Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal. Enquanto o j~ de investigação prosseguir no Céu, enquanto os pecados dos crentes arrependidos estão sendo removidos do santuário, deve haver. uma obra especial de purificação, ou de afastamento de pecado, entre o povo de Deus na Terra. - GC, 424@.

Vi que muitos negligenciavam a preparação tão necessária, esperando que o tempo do "refrigério" e da "chuva serôdia" os habilitasse para estar era pé no dia do Senhor, e viver à Sua vista. Oh, quantos vi eu no tempo de angústia sem abrigo! Haviam negligenciado a necessária preparação, e portanto não podiam receber o refrigério que todos precisam ter para os habilitar a viver à vista de um Deus santo.

Os que recusam ser talhados pelos profetas, e deixam de purificar a alma na obediência da verdade toda, e se dispõem a crer que seu estado é muito melhor do que realmente é, chegarão ao tempo em que as pragas cairão, e hão de ver então que necessitam ser talhados e lavrados para o edifício. ...

Vi que ninguém poderia participar do "refrigério" a menos que obtivesse a vitória sobre toda tentação, orgulho, egoísmo, amor ao mundo, e sobre toda má palavra e ação. De- veríamos, portanto, estar-nos aproximando mais e mais do Senhor, e achar-nos fervorosamente à procura daquela preparação necessária para nos habilitar a estar em pé na bata- lha do dia do Senhor. Lembrem todos que Deus é santo, e que unicamente entes santos poderão morar em Sua presença. - PE, 71.

Ano Bíblico: Ezeq. 21-23. - Juvenis: S. Mat. 23.


Ma - Pag. 253  

Promessa de Auxilio Divino

"E quando vos entregarem, não cuideis em como, ou o que haveis de falar, porque naquela hora vos será concedido o que haveis de dizer". S. Mat. 10:19.

Os servos de Cristo não devem preparar determinado discurso para apresentá-lo quando forem levados a juízo por causa de sua fé. Devem preparar-se dia a dia, entesourando no coração as preciosas verdades da Palavra de Deus, alimentando-se dos ensinos de Cristo e fortalecendo sua fé pela oração; então, quando levados a juízo, o Espírito Santo lhes trará à lembrança as verdades que hão de alcançar o coração dos que a.% ouvirem. Qual relâmpago, trar-lhes-á Deus à memória, justo quando for necessário, o conhecimento obtido mediante diligente exame da Palavra divina. - CES, 41.

Deveis agora preparar-vos para o tempo de prova. Deveis saber agora se vosso pé está firmado na Rocha Eterna. Precisais ter unia experiência individual, e não depender de outros para vos servirem de luz. Quando fordes levados à prova, como sabeis que não estareis sozinhos, sem nenhum amigo terreno estar ao vosso lado? Sereis então capazes de compreender que Cristo é o vosso apoio? Sereis capazes de evocar a promessa: "Eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos"? Haverá seres invisíveis em todo o vosso redor, determinados a vos destruírem. Satanás e seus agentes buscarão por todos os modos fazer-vos vacilar de vossa firmeza para com Deus e Sua verdade. Mas se tiverdes unicamente em vista a Sua glória, não necessitais preocupar-vos quanto à maneira por que haveis de testemunhar de Sua verdade. - RH, 26-04-1892.

Moços e moças, estais vós crescendo até à plena estatura de homens e mulheres em Cristo, de maneira que, ao sobre- vir a crise, não possais ser separados, da Fonte de vossa força? Se quisermos resistir no tempo de prova, precisamos agora, no tempo de paz, estar adquirindo viva experiência nas coisas de Deus. Precisamos aprender agora a compreender o que sejam os profundos impulsos do Espírito de Deus. Cristo precisa ser nosso tudo em todos, o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim. - RH, 03-05-1892.

Ano Bíblico: Ezeq. 24-26. - Juvenis: S. Mat. 24.


Ma - Pag. 254  

Haverá um Outro Pentecostes!

"Delas e dos lagares ao redor do Meu outeiro, Eu farei bênção; farei descer a chuva a seu tempo, serão chuvas de bênção". Ezeq. 34:26.

Sob a figura das chuvas temporã e serôdia, que caem nas terras orientais ao tempo da semeadura e da colheita, os profetas hebreus predisseram a dotação de graça espiritual em medida extraordinária à igreja de Deus. o derramamento do Espírito nos dias dos apóstolos foi o começo da primeira chuva, ou temporã, e glorioso foi o resultado. ... Ao avizinhar-se o fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do homem. Esse derramamento do Espírito é comparado com a queda da chuva serôdia . - AA, 54 e 55.

A grande obra do evangelho não deverá encerrar-se com menor manifestação do poder de Deus do que a que assinalou o seu início. As profecias que se cumpriram no derramamento da chuva temporã no início do evangelho, devem novamente cumprir-se na chuva serôdia, no final do mesmo. ...

Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, apressar-se-ão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes em toda a extensão da Terra, será dada a advertência. Operar-se-ão prodígios, os doentes serão curados, e sinais e maravilhas seguirão aos crentes. Satanás também opera com prodígios de mentira, fazendo mesmo descer fogo do céu, à vista dos homens. (Apoc. 13:13). Assim os habitantes da Terra serão levados a decidir-se.

A mensagem há de ser levada não tanto por argumentos como pela convicção profunda do Espírito de Deus. Os argumentos foram apresentados. A semente foi semeada e agora brotará e frutificara. ... Agora os raios de luz penetram por toda parte, a verdade é vista era sua clareza, e os leais filhos de Deus cortam os liames que os têm retido. Laços de família, relações na igreja, são impotentes para os deter agora. A verdade é mais preciosa do que tudo mais. Apesar das forças arregimentadas contra a verdade, grande número se coloca ao lado do Senhor. GC, 610 e 611.

Ano Bíblico: Ezeq. 27-29. Juvenis: S. Mat 25.


Ma - Pag. 255  

É Travada a Batalha do Armagedom

"Pelejarão eles contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencera, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os chamados, eleitos e fiéis que se acham com Ele". Apoc. 17:14.

Precisamos estudar o derramamento da sétima taça. Os poderes do mal não darão por encerrado o conflito sem uma peleja. Mas a Providência divina tem uma parte a desempenhar na batalha do Armagedom. Quando a Terra for iluminada com a glória do anjo de Apocalipse dezoito, os elementos religiosos, bons e maus, despertarão do sono, e os exércitos do Deus vivo tomarão o campo. - MS 175, 1899.

Toda forma de mal há de lançar-se em intensa atividade. Anjos maus unem seus poderes com homens maus, e, como têm estado em constante conflito e obtido a experiência nos melhores métodos de engano e combate, tendo-se fortalecido durante séculos, eles não capitularão na última grande contenda sem uma furiosa luta. O mundo inteiro estará de um lado ou do outro da questão. Será travada a batalha do Armagedom, e esse dia não deverá encontrar nenhum de nós adormecido. Devemos estar bem despertos, como as virgens prudentes, tendo azeite em nossas vasilhas e em nossas lâmpadas. ...

o poder do Espírito Santo deve estar sobre nós, e o Capitão do exército do Senhor estará à frente dos anjos do Céu para dirigir a batalha. Ainda ocorrerão diante de nós solenes acontecimentos. Soará uma trombeta após a outra, será derramada uma taça após a outra sobre os habitantes da Terra. Cenas de estupendo interesse estão precisamente diante de nós. - Carta 109, 1890.

Quatro poderosos anjos seguram os poderes da Terra até que os servos de Deus sejam assinalados na fronte. As nações do mundo são ávidas de conflito; mas elas são detidas pelos anjos. Quando for removido esse poder repressor, haverá um tempo de aflição e angústia. Serão inventados mortíferos instrumentos de guerra. Navios, com sua carga viva, serão sepultados nas profundezas do mar. Todos os que não possuem o espírito da verdade unir-se-ão sob a liderança de agentes satânicos. Mas devem ser mantidos sob controle até chegar o tempo para a grande batalha do Armagedom. Carta 79, 1900.

Ano Bíblico: Ezeq. 30-32. - Juvenis: S. Mat. 26.


Ma - Pag. 256  

Os Acontecimentos Futuros Ocorrerão na Ordem Certa

"Mais vós, irmãos, não estais em trevas, para que esse dia como ladrão vos apanhe de surpresa". I Tess. 5:4.

Vi ... que Jesus não abandonaria o lugar santíssimo sem que cada caso fosse decidido, ou para a salvação ou para a destruição; e que a ira de Deus não poderia manifestaras sem que Jesus concluísse Sua obra no lugar santo, depusesse Seus atavios sacerdotais, e Se vestisse com vestes de vingança. Então Jesus sairá de entre o Pai e os homens, e Deus não mais silenciará, mas derramará Sua ira sobre aqueles que rejeitaram Sua verdade. Vi que a ira das nações, a ira de Deus, e o tempo de julgar os mortos eram acontecimentos separados e distintos, seguindo-se um ao outro; outrossim, que Miguei não Se levantara e que o tempo de angústia, tal como nunca houve, ainda não começara. As nações estão-se irando agora, mas, quando nosso Sumo Sacerdote concluir Sua obra no santuário, Ele Se levantará, envergará as vestes de vingança, e então as sete últimas pragas serão derramadas.

Vi que os quatro anjos segurariam os quatro ventos até que a obra de Jesus estivesse terminada no santuário, e então viriam as sete últimas pragas. Estas pragas enfureceram os Ímpios contra os justos, pois pensavam que nós havíamos trazido os juízos divinos contra eles, e que se pudessem livrar a Terra de nós, as pragas cessariam. Saiu um decreto para se matarem os santos, o que fez com que estes clamassem dia e noite por livramento. Este foi o tempo da angústia de Jacó. Então todos os santos clamaram com angústia de espírito, e alcançaram livramento pela voz de Deus. - PE, 36 e 37.

Antes de Sua crucifixão o Salvador explicou a Seus discípulos que Ele deveria ser morto, e de túmulo ressuscitar... Mas os discípulos aguardavam livramento temporal do jugo romano, e não podiam tolerar a idéia de que Aquele em quem se centralizavam todas as suas esperanças devesse sofrer uma morte ignominiosa. Assim, rasa profecias, o futuro se patenteia diante de nós tão claramente comesse revelou aos discípulos pelas palavras de Cristo. Os acontecimentos ligados ao final do tempo da graça e obra de preparo para o período de angústia, acham-se claramente apresentados. - GC, 593.

Ano Bíblico: Ezeq. 33-35. - Juvenis: S. Mat. 27.


Ma - Pag. 257  

Um Pequeno Tempo de Paz

"Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que Ihes sobrevirá repentina destruição, como vem a dor do parto à que esta para dar à luz; e de nenhum modo escaparão". I Tess. 5:3.

Enquanto a obra de salvação está se encerrando, tribulações virão sobre a Terra, e as nações ficarão iradas, embora contidas para não impedir a obra do terceiro anjo. Nesse tempo a "chuva serôdia", ou o refrigério pela presença do Senhor, virá, para dar poder à grande voz do terceiro anjo e preparar os santos para estarem de pé no período em que as sete últimas pragas serão derramadas. - PE, 85 e 86.

Foram-me mostrados os habitantes da Terra na maior confusão. Guerra, derramamento de sangue, privações, necessidades, fomes e pestilência estavam por toda parte. A medida que estas coisas cercavam o povo de Deus, eles começavam a unir-se e a pôr de lado suas pequena dificuldades. A própria dignidade não mais exercia domínio sobre eles; profunda humildade tomava o seu lugar. O sofrimento, a perplexidade e a privação faziam com que a razão recuperasse a soberania, e o homem impulsivo e desarrazoado tornava-se sensato, e agia com discrição e sabedoria.

Minha atenção foi então desviada da cena. Parecia haver um pequeno tempo de paz. Mais unia vez os habitantes da Terra me foram apresentados; e novamente tudo se achava na maior confusão. Lutas, guerras e derramamento de sangue juntamente com fome e peste imperavam por toda parte. Outras nações se achavam empenhadas nesta luta e confusão. A guerra ocasionou a fome. A miséria e o derramamento de sangue deram lugar à pestilência. E então o coração dos homens desmaiou de terror, "na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo". - IT, 268.

os anjos estão agora retendo os ventos da contenda, até que o mundo seja advertido de sua vindoura condenação; uma tempestade, porém, se está preparando, prestes a irromper sobre a Terra, e quando Deus ordenar a Seus anjos que soltem os ventos, haverá tal cena de conflito que a pena não pode descrever. ...

Um momento de suspensão foi-nos graciosamente concedido por Deus. Todo poder a nós emprestado pelo Céu deve ser empregado em fazer a obra que nos foi designada pelo Senhor em benefício dos que estão a perecer na ignorância. - Ev., 703 e 704.

Ano Bíblico: Ezeq. 36-38. - Juvenis: S. Mat. 28.


Ma - Pag. 258  

O Clamor de Paz e Segurança

"Curam superficialmente a ferida do Meu povo, dizendo: Paz, paz; quando não há paz". Jer. 6:14.

Romanistas, protestantes e mundanos ... verão nesta aliança um grandioso movimento para a conversão do mundo, e o começo do milênio há tanto esperado. - GC, 587.

"O dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo se desfarão, e a Terra, e as obras que nela há, se queimarão. II S. Ped. 3:10. Quando os raciocínios da filosofia houverem banido o temor dos juízos de Deus; quando ensinadores religiosos estiverem a apontar no futuro para longas eras de paz e prosperidade, e o inundo estiver absorto em sua rotina de negócios e prazeres, plantando e construindo, banqueteando- se e divertindo-se, rejeitando as advertências de Deus e zombando de Seus mensageiros, então é que súbita destruição lhes sobrevirá, e não escaparão. 1 Tess. 5:3. - -PP, 102.

Como os habitantes do vale de Sidini, o povo está sonhando com prosperidade e paz. "Escapa-te por tua vida:" - é a advertência dos anjos de Deus, mas outras vozes são ouvidas a dizer: "Não te deixes excitar; não há motivos para sustos". As multidões clamam: "Paz e segurança, quando o Céu declara que repentina destruição está para sobrevir ao transgressor. Na noite prévia à sua destruição entregaram-se as cidades da planície aos prazeres turbulentos, e caçoaram dos temores e avisos do mensageiro de Deus; mas esses escarnecedores pereceram nas chamas; naquela mesma noite a porta da Misericórdia fechou-se para sempre aos ímpios e descuidados habitantes de Sodoma. Deus não será sempre zombado; não será por muito tempo menosprezado. "Eis que o dia do Senhor vem, horrendo, com furor e ira ardente, para pôr a Terra em assolação, e destruir os pecadores dela". Isaías 13:9. A maioria no mundo rejeitará a misericórdia de Deus, e submergir-se-á na repentina e irreparável ~. Mas aquele que atender à advertência, habitará "no esconderijo do Altíssimo", e "à sombra do Onipotente descansará. "Sua verdade" será seu "escudo e broquel". Para ele é a promessa: "Dar-lhe-ei abundância de dias, e lhe mostrarei a Minha salvação". Salmo 91:1, 4 e 16. - PP, 164.

Ano Bíblico: Ezeq. 39-41. - Juvenis: S. Mar. 1.


Ma - Pag. 259  

É Concluída a Obra de Deus

"E será pregado este evangelho do reino por todo a mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim". S. Mat. 24:14.

A solene e sagrada mensagem de advertência precisa ser proclamada nos campos mais difíceis, e nas cidades mais pecaminosas, em todos os lugares onde a luz da grande tríplice mensagem não tem ainda raiado. Cada pessoa deve ouvir o último convite para as bodas do Cordeiro. De vila a vila, de cidade a cidade, de país a país tem de ser proclamada a mensagem da verdade presente, não com exibições exteriores, mas no poder do Espírito. - OE, 27.

A mensagem do renovador poder da graça de Deus será levada a todo país e clima, até que a verdade circunde o mundo. Entre os que hão de ser assinalados encontrar-se-ão pessoas vindas de toda nação e tribo e língua e povo. De todo país serão recolhidos homens e mulheres que se acharão perante o trono de Deus e perante o Cordeiro, clamando: "Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro". Apoc. 7:10. - CP, 481 e 482.

A Terra inteira deve ser iluminada com a glória da verdade de Deus. A luz deve fulgir para todas as terras e todos os povos. E é dos que receberam a luz que ela deve difundir-se. A Estrela da Alva ralou sobre nós, e devemos lançar sua luz sobre o caminho dos que se acham em trevas.

Uma crise acha-se precisamente diante de nós. Devemos agora, pelo poder do Espírito Santo, proclamar as grandes verdades para estes últimos dias. Não levará muito tempo para que todos tenham ouvido a advertência e feito sua de- cisão. Então virá o fim. - 6T, 24.

A verdade contida na primeira, segunda e terceira mensagens angélicas, tem de ir a toda nação, tribo, língua e povo,, ela deve iluminar as trevas de todo continente, e estender-se às ilhas do mar. Não deve haver dilação nessa obra.

Nossa divisa deve ser: Para a frente, sempre para a frente! Anjos do Céu irão adiante de nós, a preparar-nos o caminho. Nosso cuidado pelas regiões distantes nunca poderá ser- de- posto enquanto a Terra inteira não for iluminada com a glória do Senhor. - OS, 470.

Ano Bíblico: Ezeq. 42-44. - Juvenis: S. Mar. 2.


Ma - Pag. 260  

Deus Intervém em Favor de Seu Povo

"Ouvi, todos os povos, prestai atenção, ó Terra o tudo o que ela contém, e seja o Senhor de testemunha contra vis outros, o Senhor desde o Seu santo templo. Porque eis que o Senhor sai do Seu lugar, e desce, e anda sobre os altos da Terra". Miq. 1:2 e 3.

Numa crise é que o caráter é revelado. ... A grande prova final virá no fim do tempo da graça, quando será tarde de- mais para se suprirem as necessidades da alma. - PJ, 412.

Deus mantém unia conta com as nações. Durante todos os séculos da história deste mundo os maus obreiros têm estado acumulando ira para o dia da ira, e quando chegar plenamente o tempo em que a iniqüidade houver atingido o limite estabelecido da misericórdia divina, Sua clemência terminará. Quando as contas acumuladas nos livros de registo do Céu indicarem que a soma da transgressão está completa, virá a ira, sem mistura de misericórdia, e ver-se-á então que tremenda coisa é esgotar a paciência divina. Esta crise será atingida quando as nações se unirem na invalidação da lei de Deus.

Chegará o tempo em que os justos serão provocados a zelos por Deus devido à superabundante iniqüidade. Ninguém, a não ser o poder divino, pode deter a arrogância de Satanás unido a homens maus; porém, na hora de maior perigo para a igreja, serão oferecidas em seu favor as mais ferventes orações pelo fiel remanescente, e Deus ouvirá e atenderá na Própria ocasião em que a culpa do transgressor atingir o auge. Ele fará justiça "aos Seus escolhidos, que a Ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los". - 5T, 524.

A substituição do verdadeiro pelo falso é o último ato do drama. Quando esta substituição se tornar universal, Deus Se revelará. Quando as leis humanas forem exaltadas acima das leis de Deus, quando os poderes da Terra procurarem obrigar os homens a guardar o primeiro dia da semana, sabei que é chegado o tempo para Deus operar. Ele Se levantará em Sua majestade, e sacudirá terrivelmente a Terra. Sairá do Seu lugar para punir os habitantes do mundo por sua iniqüidade. A Terra descobrirá o seu sangue e já não encobrirá aqueles que foram mortos. - P.H, 23-04-1901.

Ano Bíblico: Ezeq. 45-48. - Juvenis: S. Mat. 3.


Ma - Pag. 261  

Termina o Tempo da Graça

"Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se". Apoc. 22:11.

Quando terminar a obra do juízo investigativo, o destino de todos estará decidido para a vida ou a morte. O tempo da graça termina um pouco antes do aparecimento do Senhor nas nuvens do céu. - RH, 09-11-1905.

Escarnecedores apontavam para as coisas da Natureza - a sucessão invariável das estações, o céu azul que nunca havia derramado chuva, os campos verdejantes refrescados pelo brando orvalho da noite - e exclamavam: "Fala ele parábolas?" Desdenhosamente declaravam ser o pregador da justiça um rematado fanático; e continuavam mais avidamente na busca de prazeres, mais decididos em seus maus caminhos do que nunca dantes. Mais a incredulidade que alimentavam não impediu o acontecimento predito. Deus suportou por muito tempo sua iniqüidade, dando-lhes ampla ocasião para o arrependimento; ao tempo designado, porém, os juízos do Senhor caíram sobre os que haviam rejeitado Sua misericórdia.

Cristo declara que existirá idêntica incredulidade no tocante à Sua segunda vinda. Como os contemporâneos de Noé não o conheceram, "até que veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também", nas palavras de nosso Salvador, "a vinda do Filho do homem" S. Mat. 24:39. Quando o professo povo de Deus se estiver unindo com o mundo, vivendo como vivem os do mundo, e com eles gozando de prazeres proibidos; quando o luxo do mundo se tornar o luxo da igreja; quando os sinos para casamentos estiverem a tocar, e todos olharem para o futuro esperando muitos anos de prosperidade temporal, subitamente então, como dos céus fulgura o relâmpago, virá o fim de suas resplendentes visões e esperanças ilusórias. - GC, 337 e 338.

os acontecimentos ligados ao final do tempo da graça e obra de preparo para o período de angústia, acham-se claramente apresentados. Multidões, porém, não possuem maior compreensão destas importantes verdades do que teriam se nunca houvessem sido reveladas. Satanás vigia para impedir toda impressão que os faria sábios para a salvação, e o tempo de angústia os encontrará sem o devido preparo. GC, 593

Ano Bíblico: Dan. 1-3. - Juvenis: S. Mar. 4.


Ma - Pag. 262  

O Fim do Tempo da Graça Decorre sem ser Notado

"Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade ale que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o dia do senhor vens como ladrão de noite". I Tess. 5:1 e 2.

Os justos e os ímpios estarão ainda vivendo sobre a Terra em seu estado mortal - estarão os homens a plantar e a construir, comendo e bebendo, todos inconscientes de que a decisão final, irrevogável, foi pronunciada no santuário celestial. Antes do Dilúvio, depois que Noé entrou na arca, Deus o encerrou ali, e excluiu os ímpios; mas, durante sete dias, o Povo, não sabendo que seu destino se achava determinado, ,continuou em sua vida de descuido e de amor aos prazeres, zombando das advertências sobre o juízo iminente. "Assim - diz o Salvador - será também a vinda do Filho do homem". Silenciosamente, despercebida como o ladrão à meia-noite, virá a hora decisiva que determina o destino de cada homem, a retirada final da oferta de misericórdia aos homens culpados. - RH, 09-11-1905.

O povo está rapidamente adormecendo, acalentado por uma segurança fatal, para unicamente despertar com o derramamento da ira de Deus. - GC, 561.

O Senhor, em juízo, no fim do tempo, andará pela Terra, e as terríveis pragas começarão a cair. Então os que desprezaram a Palavra de Deus, os que a menosprezaram, vaguearão de mar a mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda parte, procurando a Palavra do Senhor, e não a acharão. ...

Os ministros de Deus terão feito seu último trabalho, oferecido suas últimas orações, derramado a última e amarga lágrima por uma igreja rebelde e um povo perverso. - MS 1, 1857.

O olhar de Jesus, estendendo-se através dos séculos, fixou- se em nosso tempo ao dizer Ele: "Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence!" S. Luc. 19:42. Ainda é teu dia, ó igreja de Deus, a quem Ele tornou a depositária de Sua lei. Esse dia de confiança e provação está chegando ao fim. O Sol está declinando rapidamente. Dar-se-á o caso de que ele se ponha e que não saibas "o que à tua paz pertence"? (S. Luc. 19:42). Terá de ser proferida a irrevogável sentença: "Mas agora isto está encoberto aos teus olhos"? (S. Luc. 19:42). Carta B-58, 1887.

Ano Bíblico: Dan. 4-6. Juvenis: S. Mar. 5.


Ma - Pag. 263  

O Tempo de Angústia, Qual Nunca Houve

"Nesse tempo Se levantará Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo, e haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve mação até àquele tempo; mas naquele tempo será salvo o. teu povo, todo aquele que foi- achado inscrito no livro". Dan. 12:1.

Quando se encerrar a mensagem do terceiro anjo, a misericórdia não mais pleiteará em favor dos culpados habitantes da Terra. O povo de Deus terá cumprido a sua obra. Recebeu a ".chuva serôdia", o "refrigério pela presença do Senhor", e acha-se preparado para a hora probante que diante dele está. No Céu, anjos apressam-se de um lado para o outro. Um anjo que volta da Terra anuncia que a sua obra está feita; o mundo foi submetido à prova final, e todos os que se mostraram fiéis aos preceitos divinos receberam "o selo do Deus vivo". Cessa então. Jesus de interceder no santuário celestial. Levanta as mãos, e com grande voz diz: "Está feito".

Deixando Ele o santuário, as trevas cobrem os habitantes da Terra. Naquele tempo terrível os justos devem viver à vista de um Deus santo, sem intercessor. Removeu-se a restrição que estivera sobre os ímpios, e Satanás tem domínio completo sobre os que finalmente se encontram impenitentes. Terminou a longanimidade de Deus. O mundo rejeitou a Sua misericórdia, desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seu tempo de graça; o Espírito de Deus, persistentemente resistido, foi, por fim, retirado. Desabrigados da graça divina, não têm proteção con- tra o maligno. Satanás mergulhará então os habitantes da Terra em uma grande angústia final. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundo inteiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antigüidade. - GC, 612 e 613.

Somente os que têm mãos limpas e coração puro resistirão no tempo da prova. ... Agora, enquanto os quatro anjos estão contendo os ventos, é o tempo de fazer firme a nossa vocação e eleição. - PE, 58.

Ano Bíblico: Deu. 7-9. Juvenis: 9. Mar. 6.


Ma - Pag. 264  

A Soltura dos Quatro Ventos

"Não danifiqueis trem a Terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos em suas frontes os servas do nosso Deus". Apoc. 7:3.

Anjos estão cingindo o mundo, opondo-se às pretensões de supremacia da parte de Satanás, feitas por causa da vasta multidão de seus adeptos. Não ouvimos as vozes, não vemos com a visão natural a obra desses anjos, mas suas mãos estão unidas ao redor do mundo, e com insone vigilância eles estão mantendo em xeque os exércitos de Satanás até ser concluído o selamento do povo de Deus. - Carta 79, 1900.

São João vê os elementos da Natureza - terremoto , tempestade, e lutas políticas - representados como sendo retidos por quatro anjos. Esses ventos estão sendo controlados, até que Deus dê a ordem para serem soltos. Nisto está a segurança da igreja de Deus. Os anjos de Deus obedecem às Suas ordens, controlando os ventos da Terra, para que não soprem sobre a Terra, nem no mar, nem nas árvores, até que os servos de Deus sejam assinalados na fronte. - TM, 444.

O presente é um tempo de empolgante interesse para todos os viventes. Governadores e estadistas, homens que ocupam posições de confiança e autoridade, homens e mulheres pensantes de todas as classes, têm a atenção voltada para os acontecimentos que se desenrolam em torno de nós. Observam as relações tensas e agitadas que prevalecem entre as nações. Observam a intensidade que se está apoderando de todo ele- mento terrestre, e reconhecem que algo de grande e decisivo está prestes a acontecer que o mundo se encontra no limiar de estupenda crise.

Os anjos estão agora retendo os ventos da contenda, até que o mundo seja advertido de sua vindoura condenação; uma tempestade, porém, se está formando, prestes a irromper sobre a Terra, e quando Deus ordenar a Seus anjos que soltem os ventos, haverá tal cena de conflito que a pena não pode descrever...

Um momento de suspensão foi-nos graciosamente concedido por Deus. Todo poder a nós emprestado pelo Céu deve ser empregado em fazer a obra que nos foi designada pelo Senhor em benefício dos que estão a perecer na ignorância. A mensagem de advertência deve ser proclamada em todas as partes do mundo. ... Deve ser efetuada uma grande obra, e esta obra tem sido confiada aos que conhecem a verdade para este tempo, - BH, 23-11-1905.

Ano Bíblico: Dan. 10-12. - Juvenis: S. Mar. 7.


Ma - Pag. 265  

As Sete últimas pragas Começam a Cair

"Ouvi, vinda do santuário, uma grande voz dizendo aos sete anjos: Ide, e derramai pela Terra as sete taças da cólera de Deus". Apoc. 16:1.

Quando Cristo cessar de interceder no santuário, será derramada a ira que, sem mistura, se ameaçara fazer cair sobre os que adoram a besta e sua imagem, e recebem o seu sinal (Apoc. 14:9 e 10). As pragas que sobrevieram ao Egito quando Deus estava prestes a libertar Israel, eram de caráter semelhante aos juízos mais terríveis e extensos que devem cair sobre o mundo precisamente antes do libertamento final do povo de Deus. Diz o autor do Apocalipse, descrevendo esses tremendos flagelos: "Fez-se uma chaga má e maligna nos homens que tinham o sinal da besta e que adoravam a sua imagem". O mar "se tornou em sangue como de um morto, e morreu no mar toda a alma vivente". E os rios e fontes das águas "se tornaram em sangue". Terríveis como são estes castigos, a justiça de Deus é plenamente reivindicada. Declara o anjo de Deus: "Justo és Tu, ó Senhor, ... porque julgaste estas coisas. Visto como derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também Tu lhes deste o sangue a beber; porque disto são merecedores". Apoc. 16:2-6. Condenando o povo de Deus à morte, são tão culpados do crime do derramamento de seu sangue como se este tivesse sido derramado por suas próprias mãos. ...

Na praga que se segue, é dado poder ao Sol para que "abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores". Versos 8 e 9...

Estas pragas não são universais, ao contrário os habitantes da Terra seriam inteiramente exterminados. Contudo serão os mais terríveis flagelos que já foram conhecidos por mortais. Todos os juízos sobre os homens, antes do final do tempo da graça, foram misturados com misericórdia. O sangue propiciatório de Cristo tem livrado o pecador de os receber na medida completa de sua culpa; mas no juízo final a ira é derramada sem mistura de misericórdia. - GC, 626 e 627.

Os raios da ira de Deus estão prestes a cair, e quando Ele começar a punir os transgressores, não haverá um período de pausa até ao fim. A tempestade da ira de Deus está se acumulando, e só permanecerão os que são santificados pela verdade no amor de Deus. - TM, 182.

Ano Bíblico: Osé. 1-4. - Juvenis: S. Mar. 8.


Ma - Pag. 266  

A Promulgação do Decreto de Morte

"E lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que ... fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta". Apoc. 13:15.

Quando Jesus deixar o Santíssimo, Seu Espírito refreador será retirado dos dominadores e do povo. Serão deixados ao controle dos anjos maus. Então serão feitas, por conselho e direção de Satanás, leis que, se não fosse muito breve o tempo, nenhuma carne se salvaria. -lTS, 7,É.

Vi que os quatro anjos segurariam os quatro ventos até que a obra de Jesus estivesse terminada no santuário, e então vi- riam as sete últimas pragas. Estas pragas enfureceram os Ímpios contra os justos, pois pensavam que nós havíamos trazido os juízos divinos sobre eles, e que se pudessem livrar a Terra de nos, as pragas cessariam. Saiu uni decreto para se matarem os santos, o que fez com que estes clamassem dia e noite por livramento. Este foi o tempo da angústia de Jacó. - PE, 36 e 37.

Vi ... os principais homens da Terra consultando entre si, e Satanás e seus anjos ocupados em redor deles. Vi um escrito, exemplares do qual foram espalhados nas diferentes partes da Terra, dando ordens para que se concedesse ao povo liberdade para, depois de certo tempo, matar os santos, a me- nos que estes renunciassem sua fé peculiar, abandonassem o sábado e guardassem o primeiro dia da semana. - PE, 282 e 2a3.

Posto que um decreto geral haja fixado um tempo em que os observadores dos mandamentos poderão ser mortos seus inimigos nalguns casos se antecipam ao decreto e, antes do tempo especificado, se esforçam por tirar-lhes a vida. Mas ninguém pode passar através dos poderosos guardas estacionados em redor de toda alma fiel. Alguns são assaltados ao fugirem das cidades e vilas; mas as espadas contra eles levantadas se quebram e caem tão impotentes como a palha. Outros são defendidos por anjos sob a forma de guerreiros,. - GC, 629.

Pudessem os homens ver com celestiais contemplariam grupos de anjos magníficos em poder, estacionados em redor daqueles que guardaram a palavra da paciência de Cristo. Com ternura compassiva, os anjos têm testemunhado sua angústia e ouvido suas orações. Estão à espera da ordem de seu Comandante para os arrancar do perigo. - lbd.

Ano Bíblico: Osé. 5-9. - Juvenis: S. Mar. 9.


Ma - Pag. 267  

Marcados Para a Morte

"Enviaram-se as cartas, por intermédio dos correios, a todas as Províncias do rei, para que se destruíssem, matassem e aniquilassem de vez a todos os judeus, moços e velhos, crianças e mulheres, em um só dia". Est. 3.13.

O decreto que finalmente sairá contra o remanescente povo de Deus será muito semelhante ao que Assuero promulgou contra os judeus. - PR, 605.

Quando a proteção das leis humanas for retirada dos que honram a lei de Deus, haverá, nos diferentes países, um movi- mento simultâneo com o fim de destrui-los. Aproximando-se o tempo indicado no decreto, o povo conspirará para desarraigar a odiada seita. Resolver-se-á dar em uma noite um golpe decisivo, que faça silenciar por completo a voz de dissentimento e reprovação. - GC, 633.

Sairá o decreto para que eles rejeitem o sábado do quarto mandamento e honrem o primeiro dia, ou morram; eles não cederão, porém, para pisar a pés o sábado do Senhor e honrar uma instituição do papado. As hostes de Satanás e homens ímpios os rodearão, e exultarão sobre eles, pois parecerá não haver escape para eles. - 1TS, 131.

Quando vier este tempo de angústia, todo caso estará decidido; não haverá mais graça, nem misericórdia para o impenitente. O selo do Deus vivo estará sobre o Seu povo. Estes poucos remanescentes, incapazes de se defenderem no conflito mortal com os poderes da Terra, arregimentados pela hoste do dragão, fazem de Deus a sua defesa. Pela mais elevada autoridade terrestre foi feito o decreto para que, sob pena de perseguição e morte, adorem a besta e recebam seu sinal. - 2TS, 67.

Vi os santos sofrendo grande angústia de espírito. Pareciam cercados pelos ímpios habitantes da Terra. Todas as aparências eram contra eles. Alguns começaram a recuar que finalmente Deus os houvesse deixado para perecer pelas mãos dos ímpios.

Foi uma hora de angústia medonha, terrível, para os santos. Dia e noite clamavam a Deus, pedindo livramento. Quanto à aparência exterior, não havia possibilidade de escapar. Os ímpios já tinham começado a triunfar, clamando: "Por que vosso Deus não vos livra de nossas mãos? Por que "não ascendes ao Céu, e salvais a vossa vida?" Mas os santos não lhes prestavam atenção. - PE, 283.

Ano Bíblico: Osé. 10:14. Juvenis: S. Mar. 10.


Ma - Pag. 268  

Proteção dos Anjo no Tempo de Angústia

"Vai, pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento, até que passe a ira".. Isa 26:20.

No dia de acerba provação Ele [Cristo] dirá: "Vai, pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por uni momento, até que passe a ira". Quais são os quartos em que devem esconder-se? São a proteção de Cristo e dos santos anjos. O povo de Deus, nesse tempo, não se encontra num só lugar. Eles estão em diferentes grupos e em todas as partes do Terra. - Historícal Sketches, p. 158.

Vi os santos deixarem as cidades e vilas, reunirem-se em grupos e viverem nos lugares mais solitários da Terra. Anjos lhes proviam alimento e água, enquanto os ímpias estavam a sofrer de fome e sede. - PE, 282.

Durante a noite passou diante de mim uma cena muito impressiva. Parecia haver grande confusão e o conflito de exércitos. Um mensageiro do Senhor estava em pé à minha frente, e disse: "Chame sua família. Eu a guiarei; siga-me" . Ele conduziu-me por uma escura passagem, através de uma floresta, e depois através das reentrâncias das montanhas, e disse: "Aqui você está segura". Havia outros que foram conduzidos a esse abrigo. Disse o mensageiro celestial: "O tempo de angústia sobreveio como um ladrão à noite, conforme o Senhor vos advertiu que sucederia". - MS 153, 1905.

No tempo de angústia, precisamente antes da vinda de Cristo, os justos serão preservados pelo ministério de anjos celestiais; mas não haverá segurança para o transgressor da lei de Deus. Os anjos não poderão proteger, então, aqueles que estão a desrespeitar uni dos preceitos" divinos. - PP, 261.

No período final da história da Terra o Senhor operará poderosamente em favor dos que ficarem firmes pelo direito. ... Em meio do tempo de angústia - angústia como nunca houve desde que houve nação - Seus escolhidos ficarão inamovíveis. Satanás com todas as hostes do mal não pode destruir o mais fraco dos santos de Deus. Anjos magníficos em poder os protegerão, e em favor deles Jeová Se revelará como "Deus dos deuses", capaz de salvar Perfeitamente os que nEle puseram a sua confiança. PR, 513.

Ano Bíblico: Joel. Juvenis: S. Mar. 11.


Ma - Pag. 269  

Os Ímpios Durante as Pragas

"Eis que vêm dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a Terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão de mar a mar, e do norte até ao oriente; correrão por toda parte, procurando a Palavra do Senhor, e não a acharão". Amós 8:11 e 12.

E, silenciando-se a doce voz de misericórdia, o medo e horror apoderou-se dos ímpios. Com terrível clareza ou- viram as palavras: "Demasiado tarde! Demasiado tarde!" - PE, 281.

Cristo [sobre a cruz] sentiu em grande medida o mesmo que os pecadores sentirão quando as taças da ira de Deus forem derramadas sobre eles. Negro desespero, como um pano mortuário, adensar-se-á em torno de suas almas culpa- das, e então hão de avaliar, na plenitude de sua extensão, a malignidade do pecado. - ST, 15-02-1865.

Os que não tinham prezado a Palavra de Deus, iam apressadamente de um lado para outro, vagueando de mar a mar, e do Norte ao Oriente, em busca da Palavra do Senhor. Disse o anjo: "Eles não a acharão. Há uma fome na Terra; não fome de pão nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. O que não dariam eles por uma palavra de aprovação por parte de Deus! ...

Muitos dos Ímpios ficaram grandemente enraivecidos, ao sofrer os efeitos das pragas. Foi uma cena de terrível aflição. Pais estavam amargamente a exprobrar seus filhos, e filhos a seus pais, irmãos a suas irmã, e irmãs a seus irmãos. ... O povo volvia-se a seus ministros com ódio atroz e os exprobrava, dizendo: "Não nos advertisses. Dissestes-nos que o inundo inteiro deveria converter-se, e clamasses: Paz, paz, para acalmardes todo o temor que se despertava. Não nos falastes a respeito desta hora; e aqueles que nos avisaram a tal respeito declarasses serem fanáticos e homens maus, os quais causariam a nossa ruína". Os ministros não escaparam da ira de Deus. Seu sofrimento foi dez vezes maior do que o de seu povo. - PE, 281 e 282.

No tempo em que os juízos de Deus estiverem caindo sem misericórdia, oh! quão invejável para os Ímpios será a posição dos que habitam "no esconderijo do Altíssimo" o, pavilhão em que o Senhor esconde todos os que O amam e obedecem a Seus mandamentos! - MS 151, 1901.

Ano Bíblico: Amés 1.4. Juvenis- S. Mar. 12.


Ma - Pag. 270  

O Tempo da Angustia de Jacó

"Ah! Que é grande aquele dia, e não há outro semelhante! É tempo de angústia para Jacó; ele, porém, será livre dela". Jer. 30:7.

Vi que os quatro anjos segurariam os quatros ventos até que a obra de Jesus estivesse terminada no santuário, e então viriam as setes últimas pragas. Estas pragas enfureceram os ímpios contra os justos, pois pensavam que nós havíamos trazido os juízos divinos sobre eles, e que se pudessem livrar a Terra de nós, as pragas cessariam. Saiu um decreto para se matarem os santos, o que fez com que estes clamassem dia e noite por livramento. Este foi o tempo da angústia de Jacó. - PE, 36 e 37.

Assim como Satanás influenciou Esaú a marchar contra Jacó, instigara os ímpios a destruírem o povo de Deus no tempo de angústia. E assim como acusou Jacó, acusará o povo de Deus. Conta com as multidões do mundo como seus súditos; mas o pequeno grupo que guarda os mandamentos de deus esta resistindo a sua supremacia. Se ele os pudesse eliminar da terra, seu triunfo seria completo. Ele v6e que eliminar da terra, seu triunfo seria completo. Santos anjos os estão guardando e deduz que seus pecados foram perdoados; mas não sabem que seus casos foram decididos no santuário celestial. Tem um conhecimento preciso dos pecados que os tentou a cometer, e apresenta esses pecados diante de deus sob a mais exagerada luz, representando a este povo como sendo precisamente tão merecedor como ele mesmo da exclusão do favor de Deus. Declara que com justiça o senhor não pode perdoar-lhes os pecados, e, no entanto, destrui a ele e seus anjos. Reclama-os como sua presa, e pede que sejam entregues em suas mãos para os destruir.

Acusando Satanás o povo de Deus por causa de seus pecados, o Senhor lhe permite que os povos até o último ponto Sua confiança em Deus, sua fé e firmeza, serão severamente postas à prova. Ao reverem o passado, suas esperanças desfalecem; pois que em sua vida inteira pouco bem podem ver. Estão perfeitamente cônscios de sua fraqueza e indignidade. Satanás se esforça por aterrorizá-los com o pensamento de que seus casos não dão margem a esperança que a marcha de seu aviltamento jamais será lavada. Espera destruir-lhes a fé de tal maneira que cedam às suas tentações. - CG, 17.

Ano Bíblico: Amós 5-9. - Juvenis: S. Mar.13.


Ma - Pag. 271  

Por que Haverá um Tempo de Angustia?

"Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorra bem presente nas tribulações". Sal. 46:1

Embora o povo de Deus esteja rodeado de inimigos que se esforçam por destruí-lo a, angústia que sofrem não é todavia o medo da perseguição por causa da verdade; receiam não terem arrependido de todo pecado, e que, devido a alguma falta, não se cumpra a promessa do salvador: "Eu te guardarei da ora da tentação que há de vir sobre todo o mundo". Apoc. 3:10. Se pudessem ter a segurança de seu perdão, não recuariam da tortura ou da morte; mas, se mostrassem indignos, e perdessem a vida por causa dos seus defeitos de caráter, o santo nome de Deus seria então vituperado.

De todos os lados ouvem os tramas da traição, e vêem alastra-se ativamente a revolta; e desperta-se neles um intenso desejo, fervoroso anseio d"alma para esta grande apostasia termine e a impiedade dos ímpios chegue a termo. Mas, enquanto rogam a Deus que detenha a obra da rebelião é com um vivo senso de reprovação própria que não mais tem eles poder para resistir à poderosa onda do mal e força-la a retroceder. Sentem que se houvessem sempre empregado toda a sua habilidade n serviço de Cristo, indo avante de poder em poder, as forças de satanás teriam menos capacidade para prevalecer contra eles.

Afligem a alma perante Deus, indicando o anterior arrependimento de seus muitos pecados e reclamando a promessa do salvador: "que se apodere de Minha força e faça paz comigo: sim , que faça paz comigo". Isaías 27:5 . Sua fé não desfalece por não serem suas orações de pronto atendidas. Sofrendo embora a mais profunda ansiedade, terror e angústia, não cessam as suas intercessões. Apoderam-se da força de Deus como Jacó se apoderara do Anjo; e a linguagem de sua alma é: "Não Te deixarei ir, se me não abençoares". - GC, 617 e 618.

O tempo de angústia é o crisol que há de pôr em relevo caracteres semelhantes ao de Cristo. Destina-se a levar o povo de Deus a renunciar a satanás e sua tentações - RH 12-08-1884.

Ano Bíblico: Obadias e Jonas. - Juvenis: S. Mar. 14.


Ma - Pag. 272  

Os Olhos de Deus Estão Sobre o Seu Povo

"Não fará Deus justiça aos Seus escolhidos que a Ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defende-los? Digo-vos que depressa lhes fará justiça". S. Luc. 18:7 e 8.

No tempo de angústia, se o povo de Deus tivesse pecados não confessados que surgissem diante deles enquanto torturados pelo temor e angústia, seriam vencidos; o desespero suprimir-lhes-ia a fé, e não poderiam ter confiança ~ suplicar de Deus o livramento. Mas, ao mesmo tempo em que têm uma profunda intuição de sua indignidade, não sem falta oculta para revelar. Seus pecados foram examinados e erguidos no juízo; não os podem trazer à lembrança. ...

Os professas cristãos que vêm ao último e terrível conflito, sem se acharem preparados, confessarão em seu desespero os seus pecados com palavras de angústia consumidora enquanto os ímpios exultam de sua agonia.

A história de Jacó é também uma segurança de que Deus não rejeitará os que forem enganados, tentados e arrastados ao pecado, mas voltaram a Ele com verdadeiro arrependimento. Enquanto Satanás procura destruir esta classe, Deus enviará Seus anjos para a animar e proteger, no tempo de perigo. Os assaltos de Satanás são cruéis e decididos, seus enganos, terríveis, mas os olhos do Senhor estão sobre o Seu povo, e Seu ouvido escuta-lhes os clamores. Sua aflição é grande, as chamas da fornalha parecem prestes a consumi-los; mas Aquele que os refina e purifica, os apresentará como ouro provado no fogo. O amor de Deus para com os Seus filhos durante o período de sua mais intensa prova, é tão forte e terno como nos dias de sua mais radiante prosperidade; mas é necessário passarem pela fornalha de fogo; sua natureza terrena deve ser consumia para que a imagem de Cristo possa refletir-se perfeitamente.

O tempo de agonia e angústia que diante de nós está, exigirá uma fé que possa suportar o cansaço, a demora e a teme - fé que não desfaleça ainda que severamente provada. O tempo de graça é concedido a todos, a fim de separarem para aquela ocasião. ... Todos os que lançarem mãos das promessas de Deus, como ele [Jacó] o fez, e como ele forem fervorosos e perseverantes, serão bem sucedidos como ele o foi. - GC, 618-620.

Ano Bíblico: Miq. 1-4. Juvenis: S. Mar. 15.


Ma - Pag. 273  

Tempo da Graça

O Tempo de Angústia Como Nunca Houve

"Aqueles dias serão de tamanha tribulação como nunca houve desde o princípio do mundo que Deus criou, até agora e nunca jamais haverá". S. Mar. 13:19.

O "tempo de angústia como nunca houve" está prestes a manifestar-se sobre nós; e necessitaremos de uma experiência que agora não possuímos, e que muitos são demasiado indolentes para obter. Dá-se muitas vezes o caso de se supor maior a angústia do que em realidade o é; não se dá isso, porém, com relação à crise diante de nós. A mais vívida descrição não pode atingir a grandeza daquela prova. E agora, enquanto o precioso Salvador está a fazer expiação por nós, devemos procurar tornar-nos perfeitos em Cristo. A providência de Deus é a escola na qual devemos aprender a mansidão e humildade de Jesus. O Senhor está sempre a colocar diante de nós, não o caminho que preferiríamos, o qual nos parece mais fácil e agradável, mas os verdadeiros objetivos da vida. Ninguém poderá negligenciar ou adiar esta obra sem grave perigo para a sua alma.

O apóstolo S. João ouviu em visão uma grande voz no Céu, exclamando: "Ai dos que habitam na Terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo". Terríveis são as cenas que provocam esta exclamação da voz celestial. A ira de Satanás aumenta à medida em que o seu tempo se, e sua obra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia. Terminou a longanimidade de Deus. O mundo rejeitou a Sua misericórdia, desprezou-Lhe o amor, pisando Sua lei. Os ímpios passaram os limites de seu tempo de graça, e o Senhor retira Sua proteção, deixando-os à mercê do dirigente que escolheram. Satanás terá poder sobre os que se submeteram ao seu controle, e mergulhará os habitantes da Terra em uma grande angústia final. Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às soltas todos os elementos de contenda. O mundo inteiro se envolverá em ruína mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antigüidade. - Spirit of Prophecy, vol. 4, pp. 440 e 441.

Em meio do tempo de angústia - angústia como nunca houve desde que houve nação - Seus escolhidos ficarão inamovíveis. Satanás com todas as hostes do mal não pode destruir o mais fraco dos santos de Deus - PR, 513.

Ano Bíblico: Miq. 5-7. Juvenis: S. Mar. 16.


Ma - Pag. 274  

O Culminante Ato de Engano

"Porque guardaste a palavra da Minha perseverança, também Eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, Para experimentar os que habitam sobre a Terra". Apoc. 3.10.

A medida que se aproxima o segundo aparecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, agentes satânicos são instigados por uni poder de baixo. Satanás não somente aparecerá como um ser humano, mas personificará a Jesus Cristo; e o mundo que tem rejeitado a verdade recebê-lo-á como o Senhor dos senhores e o Rei dos reis. - RH, 14-04-1896.

A ira de Satanás aumenta à medida em que o tempo se abrevia, e sua obra de engano e destruição atingirá o auge no tempo de angústia. ...

Como ato culminante no grande drama do engano, o próprio Satanás personificará Cristo. A igreja tem há muito tempo professado considerar o advento do Salvador como a realização de suas esperanças. Assim, o grande enganador fará parecer que Cristo veio. Em várias partes da Terra, Satanás se manifestará entre os homens como um ser majestoso, com brilho deslumbrante, assemelhando-se à descrição do Filho de Deus dada por S. João no Apocalipse. (Cap. 1:13-15.) A glória que o cerca não é excedida por coisa alguma que os olhos mortais já tenham contemplado. Pema nos ares a aclamação de triunfo: "Cristo veio! Cristo veio!" O povo se Prostra em adoração diante dele, enquanto este ergue as mãos e sobre eles pronuncia uma bênção, assim como Crista abençoava Seus discípulos quando aqui na Terra esteve. Sua voz é meiga e branda, cheia de melodia. Em tom manso e compassivo apresenta algumas das mesmas verdades celestiais e cheias de graça que o Salvador proferia; cura as moléstias do - Povo, e então, em seu pretenso caráter de Crista, alega ter mudado o sábado para o domingo, ordenando a todos que santifiquem o dia que ele abençoou. Declara que aqueles que persistem em santificar o sétimo dia estão blasfemando de Seu nome, pela recusa de ouvirem Seus anjos a eles enviá-los com a luz e a verdade. É este o poderoso engano, quase invencível. Semelhantes aos samaritano que foram enganados por Simão Mago, as multidões, desde o menor até o maior, dão crédito a esses sortilégios, dizendo: "Esta é a grande de Deus". Atos 8: 10. - GC, 622 e 623.

Ano Bíblico: Naum. - Juvenis: S. Luc. 1.


Ma - Pag. 275  

Tempo da Graça

Não Haverá Mártires Após o Término da Graça

"Ele Mo invocará, e Em lhe responderei; na sua angústia Em estarei com ele, livrá-lo ei, e o glorificarei". Sal. 91:15.

O povo de Deus não estará livre de sofrimento; mas conquanto perseguidos e angustiados, conquanto suportem privações, e sofram pela falta de alimento, não serão abandonados a perecer. ...

Aos olhos humanos parecerá, todavia, que o povo de Deus logo deverá selar seu testemunho com seu sangue, assim como fizeram os mártires antes deles. Eles mesmos começam a recear que o Senhor os abandonou para sucumbirem às mãos de seus inimigos. É um tempo de terrível agonia. Dia e noite clamam a Deus rogando livramento. ...

Os olhos de Deus, vendo através dos séculos, fixaram-se na crise que Seu povo deve enfrentar quando os poderes terrestres contra ele se dispuserem. Como o exilado cativo, estarão receosos da morte pela fome, ou pela violência. Mas o Santo, que diante de Israel dividiu o Mar Vermelho, manifestará Seu grande poder, libertando-os do cativeiro. "Eles serão Meus, diz o Senhor dos exércitos, naquele dia que farei serão para Mim particular tesouro; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho, que o serve". Malaquias 3:17. Se o sangue das fiéis testemunhas de Cristo fosse derramado nessa ocasião, não seria como o sangue dos mártires, qual semente lançada a fim de produzir uma messe para Deus. Sua fidelidade não seria testemunho para convencer outros da verdade; pois que o coração endurecido rebateu as ondas de misericórdia até não mais voltarem. Se os justos fossem agora abandonados para caírem como presa de seus inimigos, seria um triunfo para o príncipe das trevas. Diz o salmista: "No dia da adversidade me esconderá no Seu pavilhão: no oculto do Seu tabernáculo me esconderá". Sal- mo 27:5. Cristo falou: "Vai, pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti: esconde-te só por = momento, até que passe a ira. Porque eis que o Senhor sairá do Seu lugar, para castigar os moradores da Terra, por causa da sua iniqüidade". Isaías 26:20 e 21. 1 Glorioso será o livramento dos que pacientemente esperaram pela Sua vinda, e cujos nomes estão escritos no livro da vida.

GÇ, 627, 628 e 632.

Ano Bíblico: Habacuque. - Juvenis: S. Luc. 2.


Ma - Pag. 276  

O Livramento do Povo de Deus

"Assim diz o Senhor: Por certo que os presos se tirarão ao valente, e a presa do tirano fugirá, porque Eu contenderei com os que contendem contigo, e salvarei os teus filhos". Isa. 49:25.

Quando a proteção das leis humanas for retirada dos que honram a lei de Deus, haverá, nos diferentes países, um movimento simultâneo com o fim de destrui-los. Aproximando-se o tempo inculcado no decreto, o povo conspirará para desarraigar a odiada seita. Resolver-se-á dar em urna noite um golpe decisivo, que faça silenciar por completo a voz de dissentimento e reprovação.

O povo de Deus - alguns nas celas das prisões, outros escondidos nos retiros solitários das florestas e montanhas - pleiteia ainda a proteção divina, enquanto por toda parte grupos de homens armados, instigados pelas hostes de anjos maus, se estão preparando para a obra de morte. É então, na hora de maior aperto, que o Deus de Israel intervirá para o livramento de Seus escolhidos. ...

Com brados de triunfo, zombaria e imprecação, multidões de homens maus estão prestes a cair sobre a presa, quando, eis, um denso negror, mais intenso do que as trevas da noite, cai sobre a Terra. Então o arco-íris, resplandecendo com a glória do trono de Deus, atravessa os céus, e parece cercar cada um dos grupos em oração. As multidões iradas subitamente se detêm. Silenciam seus gritos de mofa. É esquecido o objeto de sua ira sanguinária. Com terríveis pressentimentos contemplam o símbolo da aliança de Deus, anelando pôr-se ao amparo de seu fulgor insuperável.

É ouvida pelo povo de Deus uma voz clara e melodiosa, dizendo: "Olhai para cima"; e, levantando os olhos para o céu, contemplam o arco da promessa. As nuvens negras, ameaçadoras, que cobriam o firmamento se fendem e, como Estêvão, olham fixamente para o céu, e vêem a glória de Deus, e o Filho do homem sentado sobre o Seu trono. - GC, 633 e 634.

Enquanto todo o mundo está imerso em trevas, haverá luz em toda habitação dos santos. Eles surpreenderão a primeira luz de Seu segundo aparecimento. - PR, 720.

Ano Bíblico: Sofonias. Juvenis: S. Luc. 3.


Ma - Pag. 277  

Livramento à Meia-Noite

"De repente [os ímpios] morrem; à meia-noite os Povos são perturbados, e passam, e os poderosos são tomados por força invisível". Jó 34:20.

[Deus] sempre tem escolhido extremidades, ocasiões em que parecia não haver possibilidade de libertamento das operações de Satanás, para a manifestação de Seu poder. - 2TS, 321.

As potestades do céu serão abaladas com a voz de Deus. Então o Sol, a Lua e as estrelas se moverão em seus lugares. Não passarão, mas serão abalados pela voz de Deus.

Nuvens negras e densas subiam e chocavam-se entre si. A atmosfera abriu-se e recuou; pudemos então olhar através do espaço aberto em Órion, donde vinha a voz de Deus. PE, 41.

Depois que o povo ouviu a voz de Deus, eles se encontram em desespero e angústia como nunca houve desde que houve nação, e nisto o povo de Deus sofrerá aflição. As nuvens do céu chocar-se-ão, e haverá trevas. Então aquela voz provém do céu e as nuvens começam a enrolar-se como um pergaminho, e ali está o brilhante e claro sinal do Filho do Homem. Os filhos de Deus sabem o que significa essa nu- vem. - MS 1, 1860.

É à meia-noite que Deus manifesta o Seu poder para o livramento de Seu povo. O Sol aparece resplandecendo em sua força. Sinais e maravilhas se seguem em rápida sucessão. os ímpios contemplam a cena com terror e espanto, enquanto os justos vêem com solene alegria os sinais de seu livramento. Tudo na Natureza parece desviado de seu curso. As correntes de água deixam de fluir. Nuvens negras e pesadas sobem e chocam-se umas nas outras. Em meio dos céus agitados, acha-se um espaço claro de glória indescritível, donde vem a voz de Deus como o som de muitas águas, dizendo: "Está feito". Apoc. 16:17. - GC, 634.

Os cento e quarenta e quatro mil triunfaram. Sua face se iluminou com a glória de Deus. - PE, 37.

Quando a voz de Deus põe fim ao cativeiro de Seu povo, há um terrível despertar daqueles que tudo perderam no grande conflito da vida . - GC, 6,50.

O dia da ira para os inimigos de Deus é o dia de final livramento para a Sua igreja. - PR, 727.

Ano Bíblico: Ageu. Juvenis: S. Luc. 4.


Ma - Pag. 278  

Deus Transtorna a Natureza

"Então derramou o sétimo anjo a sua taça pelo ar, o saia grande voz do santuário, do lado de trono, dizendo- Feito está. E .sobrevieram relâmpagos, vozes o trovões, e ocorrerá grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a Terra; tal foi o terremoto, forte e grande". Apoc. 16.17 e 18.

Precisamos estudar o derramamento da sétima taça. Os poderes do mal não capitularmos no conflito sem uma luta. - 7BC, 983.

Em meio dos céus agitados, acha-se um espaço claro de glória indescritível, donde vem a voz de Deus como o som de muitas águas, dizendo: "Está feito". Apoc. 16:17.

Essa voz abala os céus e a Terra. Há um grande terremoto "como nunca tinha havido desde que há homens sobre a Terra: tal foi este tão grande Terremoto". Apoc. 16:18. O firmamento parece abrir-se e fechar-se. A glória de trono de Deus dir-se-ia atravessar a atmosfera. As montanhas agitam- se como a cana ao vento, e anfractuosas rochas são espalhadas Por todos os lados. Há um estrondo como de uma tempestade a sobrevir. O mar é açoitado com fúria. Ouve-se o sibilar do furacão, semelhante à voz de demônios na mão de destruir. A Terra inteira se levanta, dilatando-se como as ondas do mar. Sua superfície está a quebrar-se. Seu próprio fundamento parece ceder. Cadeias de montanhas estão a soçobrar. Desaparecem ilhas habitadas. Os portos marítimos que, pela iniqüidade, se tornaram como Sodoma,, são tragados pelas águas enfurecias. A grande Babilônia veio em lembrança perante Deus, "para lhe dar o cálix do vinho da indignação da Sua ira". Grandes pedras de saraiva, cada uma "do peso de um talento", estão a fazer sua obra de destruição. (Apoc. 16:19 e 21.) As mar orgulhosas cidades da Terra são derribadas. Os suntuosos palácios em que os grandes homens do mundo dissiparam suas riquezas com a glorificação própria, desmoronam-se diante de seus olhas. As paredes elas prisões fendem-se, e o povo de Deus, que estivera retido em cativeiro por causa de sua fé, é libertado. - GC, 631 e 635.

Ano Bíblico: Zac. 1-4. Juvenis: S. Luc. 5.


Ma - Pag. 279  

A Ressurreição Especial

"Muitos dos que dormem no pó da Terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno". Dan. 12:2.

Foi à meia-noite que Deus preferiu livrar o Seu povo. Estando os ímpios a fazer zombarias em redor deles, subitamente apareceu o Sol, resplandecendo em sua força e a Lua ficou imóvel. ... Nuvens negras e pesadas subiam e batiam umas nas outras. Havia, porém, um lugar claro de uma glória fixa, donde veio a voz de Deus, semelhante a multas águas, abalando os céus e a Terra. Houve um grande terremoto. As sepulturas se abriram e os que haviam morrido na fé da mensagem do terceiro anjo, guardando o sábado, saíram de seus leitos de pó, glorificados, para ouvir o concerto de paz que Deus deveria fazer com os que tinham guardado a Sua lei. - PE, 285.

Os que dormem em Jesus serão chamados de seu cárcere para uma vitória gloriosa, e sairão para receber uma gloriosa Imortalidade. ... Ele ressurgiu, caros amigos, e em vosso desalento podeis saber ... que Jesus está ao vosso lado para vos dar a paz.

Sei de que estou falando. Experimentei o tempo em que me parecia estarem as ondas me submergindo; naquela ocasião senti que meu Salvador me era precioso. Quando meu filho mais velho me foi arrebatado foi muito grande meu pesar, mas Jesus velo ao meu lado e senti na alma a Sua paz. Chegou-me aos lábios a taça da consolação.

E então foi levado aquele que por trinta e seis anos estivera junto a mim. ... Havíamos labutado juntos, lado a lado, no ministério, mas tivemos que juntar as mãos do lutador e depô-lo a descansar na tumba silenciosa. De novo minha tristeza me pareceu grande demais, mas veio após a taça da consolação. Jesus me é precioso. Ele andou ao meu lado ... e andará ao lado vosso. Quando nossos amigos descem à sepultura, eles não nos parecem belos. Pode ser que levemos ao descanso nosso pai ou nossa mãe: quando ressurgirem, as rugas terão todas desaparecido, mas serão eles mesmos, e os reconheceremos. ...

Precisamos estar preparados para ir ao encontro desses queridos amigos, quando reviverem, na manhã da ressurreição. ... Não deveremos apegar-nos à esperança que nos é proposta no evangelho, de que seremos semelhantes a Ele, e como Ele é O veremos? - Nos Lugares Celestiais, p. 353.

Ano Bíblico: Zac. 5-8. Juvenis: S. Luc. 6.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>