Livro - Temperança | Ellen G. White Books

Temperança

CAPÍTULO 12

O Repto do Momento

Te - Pag. 227  

O Desafio do Momento

Os defensores da temperança deixam de cumprir todo o seu dever a menos que exerçam sua influência pela palavra e pelo exemplo - palavra, pena e voto - em favor da proibição e abstinência total. Obreiros Evangélicos, págs. 387 e 388.

A Situação Atual

Repetição dos Mesmos Pecados

Os mesmos pecados que trouxeram destruição sobre o mundo nos dias de Noé, existem em nossos dias. Homens e mulheres levam agora o comer e beber tão longe, que finda em glutonaria e embriaguez. Este pecado dominante, a satisfação do apetite pervertido, inflamava as paixões nos dias de Noé, levando a vasta corrupção. A violência e o pecado chegaram ao Céu. Esta poluição moral foi finalmente varrida da Terra pelo Dilúvio. ...

Comer, beber e vestir são levados a tal excesso, que se tornam crimes. Encontram-se entre os pronunciados pecados dos últimos dias, e constituem um sinal da próxima vinda de Cristo. Tempo, dinheiro e forças, que pertencem ao Senhor, mas que Ele nos confiou, são gastos em superfluidades de vestuário e iguarias para o apetite pervertido, que diminuem a vitalidade, e trazem sofrimento e decadência. Christian Temperance and Bible Hygiene, págs. 11 e 12.

Uma Sucessão de Quedas

Desde os dias de Adão até hoje, tem havido uma sucessão de quedas, cada uma maior que a anterior, em toda espécie de crime. Deus não criou uma


Te - Pag. 228  

raça de seres tão destituídos de saúde, beleza e força moral como os que vemos agora no mundo. Tem estado a aumentar terrivelmente sobre a raça doença de toda espécie. Isto não tem acontecido por especial providência de Deus, mas diretamente em contrário à Sua vontade. Tem vindo pelo menosprezo do homem pelos próprios meios que Deus ordenou a fim de protegê-lo dos terríveis males existentes. A obediência à lei de Deus em todos os aspectos, salvaria o homem da intemperança, da licenciosidade e das doenças de toda espécie. Ninguém pode transgredir a lei natural sem sofrer a pena. Review and Herald, 4 de março de 1875.

Milhares de Pessoas Vendem sua Capacidade Mental

Que homem quereria deliberadamente vender sua capacidade mental, fosse qual fosse a soma de dinheiro? Fizesse-lhe alguém a oferta de dinheiro para ele repartir seu intelecto, e ele se desviaria aborrecido de tão estulta sugestão. Todavia milhares estão se despojando da saúde do corpo, do vigor do intelecto e da elevação da alma, por amor de satisfazer ao apetite. Em vez de ganho, experimentam apenas perda. Isto eles não avaliam em virtude de suas sensibilidades embotadas. Têm golpeado as faculdades que lhes foram dadas por Deus. E por quê? Reposta: vis sensualidades e vícios degradantes. A satisfação do gosto é obtida à custa da saúde e do intelecto. Review and Herald, 4 de março de 1875.

Mudança Perigosa e Gradual

O uso da intoxicante bebida alcoólica destrona a razão, e endurece o coração contra toda influência pura e santa. A rocha inanimada escutará mais depressa aos apelos da verdade e da justiça, do que aquele homem cujas sensibilidades se encontram paralisadas pela intemperança. Os mais delicados sentimentos do coração não se embotam de repente. Realiza-se uma mudança gradual. Os que se arriscam a entrar na senda proibida, são gradualmente desmoralizados e corrompidos. E se bem que sejam muitos nas cidades os bares, tornando fácil a satisfação, e ainda que os jovens se achem cercados de seduções a lhe tentarem o apetite, muitas vezes o mal não começa pelo uso de bebidas intoxicantes. O chá, o café e o fumo são estimulantes artificiais, e


Te - Pag. 229  

seu uso cria a exigência do estímulo mais forte que se encontra nas bebidas alcoólicas. E enquanto os cristãos se acham inativos, esse mal gigante que é a intemperança vai ganhando força e fazendo novas vítimas. Signs of the Times, 6 de dezembro de 1910.

Tentações de Todo Lado

Nos restaurantes particulares e lugares de recreio, oferecem-se, às senhoras, sob alguma designação aprazível, bebidas populares que são na verdade intoxicantes. Para os doentes e debilitados, há os largamente preconizados aperitivos, que consistem em grande parte de álcool.

Para despertar nas crianças o apetite de bebida, introduz-se o álcool em confeitos ou bombons. Esses são vendidos nas confeitarias. E por meio desses confeitos o vendedor de bebidas atrai para si as crianças.

Dia a dia, mês a mês, ano a ano, prossegue a obra. Pais e maridos e irmãos, o esteio, a esperança e o orgulho da nação, vão decididamente passando para os antros do vendedor de bebidas para serem devolvidos desgraçados em ruínas A Ciência do Bom Viver, págs. 338 e 339.

Na "Marcha Para a Morte"

Para que os homens não tenham tempo para meditação, Satanás os leva para uma rotina de frivolidades e busca de prazeres, de comidas e bebidas. Enche-os da ambição de se exibirem, para que se exaltem. Passo a passo, o mundo está ficando nas condições que reinavam nos dias de Noé. Todo imaginável crime é cometido. A concupiscência da carne, a soberba dos olhos, a ostentação do egoísmo, o abuso do poder, a crueldade... - tudo isso é operação de instrumentos satânicos. A este círculo de crime e de loucura o homem chama "vida". ...

O mundo que age como se não houvesse Deus, absorto em empreendimentos egoístas, cedo sofrerá repentina destruição, e não escapará. Muitos continuam na descuidada satisfação própria, até que se tornam tão cansados da vida, que se suicidam. Dançando e pagodeando, bebendo e fumando, satisfazendo as paixões animais, eles vão como o boi ao matadouro.


Te - Pag. 230  

Satanás atua com toda a sua arte e com seus enganos, para manter os homens marchando, como cegos, para a frente, até que o Senhor Se erga de Seu lugar, para castigar os habitantes da Terra, por causa de suas iniqüidades, quando a Terra exporá seu sangue e não mais encerrará os seus mortos. O mundo inteiro parece estar em marcha para a morte. Evangelismo, pág. 26.

A Praga Levada às Outras Nações

Das terras chamadas cristãs, é a praga levada às regiões da idolatria. Os pobres e ignorantes selvagens são ensinados a beber. Mesmo entre os pagãos, homens de inteligência reconhecem e protestam contra o álcool como veneno mortífero; em vão, porém, têm eles procurado proteger sua terra contra as devastações que ele traz. Povos civilizados forçam a entrada do fumo, do álcool e do ópio entre as outrasnações. As desenfreadas paixões dos selvagens, estimuladas pelo álcool, arrastam-nos a uma degradação antes desconhecida, tornando-se empreendimento quase desesperado o envio de missionários a essas terras.

Mediante seu contato com os povos que lhes deviam ter dado o conhecimento de Deus, são os pagãos levados a vícios que têm causado a destruição de tribos e nações inteiras. E por isso, nos lugares obscurecidos da Terra, os homens das nações civilizadas são odiados. A Ciência do Bom Viver, pág. 339.

As Próprias Igrejas Cristãs Paralisadas

O interesse da bebida é um poder no mundo. Ele tem de seu lado as forças conjugadas do dinheiro, do hábito e do apetite. Seu poder faz-se sentir na própria igreja. Homens cujo dinheiro foi ganho, direta ou indiretamente, no comércio das bebidas alcoólicas, são membros de igrejas, de boa reputação. Muitos deles dão liberalmente para as obras populares de caridade. Suas contribuições ajudam a manter os empreendimentos da igreja e a sustentar seus pastores. Impõem a consideração dispensada ao poder do dinheiro. As igrejas que aceitam tais membros estão virtualmente apoiando o comércio de bebidas. Com demasiada freqüência o pastor não tem a coragem de ficar ao lado do direito.


Te - Pag. 231  

Ele não declara ao povo o que Deus disse a respeito da obra do vendedor de bebidas. Falar claramente seria ofender a congregação, sacrificar a popularidade, perder o salário. A Ciência do Bom Viver, pág. 340.

Deixando Cair a Bandeira

O Senhor tem uma contenda com os habitantes da Terra que estão vivendo nesta época de perigo e corrupção. Ministros do evangelho se têm apartado do Senhor, e os que professam o nome de Cristo são culpados de não manterem erguida a bandeira da verdade. Ministros temem ser abertamente contrários, e calam-se quanto à praga da bebida, temendo que seu salário seja diminuído ou ofendida sua congregação. Temem que, se declararem a verdade bíblica com poder e clareza, mostrando a linha de distinção entre o sagrado e o comum, perderiam sua popularidade; pois há grande número de membros na igreja que recebem proventos, seja direta, seja indiretamente, do comércio de bebidas.

Essas pessoas não ignoram o pecado que estão praticando. Ninguém precisa ser informado de que o comércio de alcoólicos liga a suas vítimas miséria, vergonha, degradação e morte, com a eterna ruína de sua alma. Os que ceifam um lucro, direta ou indiretamente, desse comércio, estão metendo na gaveta o dinheiro adquirido por meio da perda de almas de homens.

As igrejas que conservam membros que se acham ligados com o comércio de bebidas, tornam-se responsáveis pelas transações que têm lugar por meio desse comércio. ...

Dinheiro Manchado com Sangue

O mundo e a igreja se podem unir em elogios ao homem que tentou o apetite, e atendeu à sede que ele ajudou a criar; podem olhar com um sorriso àquele que ajudou a desonrar um homem que fora formado à imagem de Deus, até que essa imagem se encontre


Te - Pag. 232  

por assim dizer, apagada; Deus, porém, olha com desagrado para ele, e escreve-lhe a condenação no livro da morte. ...

Esse mesmo homem pode fazer grandes donativos à igreja; aceitará, porém, o Senhor o dinheiro que é arrancado à família do ébrio? Ele está manchado do sangue das pessoas, e a maldição de Deus se acha sobre ele. Ele diz: "Porque Eu, o Senhor, amo o juízo; aborreço o que foi roubado, oferecido em holocausto." Isa. 61:8, Versão Trinitariana. A igreja pode louvar a liberalidade de alguém que dá oferta; estivessem, no entanto, os olhos dos membros da igreja ungidos com colírio celeste, e não chamariam o bem mal e a iniqüidade justiça. Diz o Senhor: "De que Me serve a Mim a multidão de vossos sacrifícios? ... Quando vindes para comparecerdes perante Mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis pisar os Meus átrios? Não tragais mais ofertas debalde: o incenso é para Mim abominação." Isa. 1:11-13. "Enfadais o Senhor com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que O enfadamos? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do Senhor, e desses é que Ele Se agrada; ou, onde está o Deus do juízo?" Mal. 2:17. Review and Herald, 15 de maio de 1894.

Condições que Chamam os Juízos de Deus

Por causa da impiedade que se segue em grande parte em resultado do uso das bebidas alcoólicas, os juízos de Deus estão caindo sobre a Terra em nossos dias. Não temos nós uma solene responsabilidade de fazer enormes esforços contra esse grande mal? Review and Herald, 29 de agosto de 1907.

Reforma Oportuna

Há necessidade de uma grande reforma no que respeita à temperança. O mundo está cheio de toda espécie de satisfações do próprio eu. Devido à influência obscurecedora de estimulantes e narcóticos a mente de muitos se acha incapaz de discernir entre o sagrado e o profano. Conselhos Sobre Saúde, pág. 432.

Chamado de Deus Para Ajudar os Bebedores

Vosso semelhante talvez esteja cedendo à tentação de se destruir a si próprio


Te - Pag. 233  

pela bebida e o fumo. Talvez esteja queimando seus órgãos vitais com estimulantes ardentes. Vai seguindo sua carreira para a ruína própria e de sua esposa e filhos, que não conseguem deter-lhe os pés na estrada da perdição. Deus vos chama a trabalhar em Sua vinha, a fazer tudo ao vosso alcance para salvar os semelhantes. Manuscrito 87, 1898.

Ao enfrentarmos essas coisas e virmos as conseqüências terríveis da bebida, não faremos tudo quanto esteja em nosso poder a fim de cerrar fileiras no auxílio a Deus para o combate a esse grande mal? Evangelismo, pág. 265.

Convocado à Batalha

Nosso Lugar na Linha de Frente

De todos quantos se pretendem contar entre os amigos da temperança, os adventistas do sétimo dia devem-se achar na primeira linha. Obreiros Evangélicos, pág. 384.

Na questão da temperança devem estar na frente de todos. Medicina e Salvação, pág. 273.

Ao passo que a intemperança tem seus patrocinadores francos, confessos, não havemos nós, que professamos honrar a temperança avançar para a frente e mostrar-nos firmes ao seu lado, lutando pela coroa da vida imortal, e não dando a mínima influência a esse mal terrível que é a intemperança? Review and Herald, 19 de abril de 1887.

Sinto-me aflita ao olhar a nosso povo e saber que eles estão esposando muito frouxamente a questão da temperança. ... Cumpre-nos estar à testa na reforma da temperança. Review and Herald, 21 de outubro de 1884.

Não é Assunto de Gracejo

Muitos fazem da temperança assunto de pilhérias. Pretendem que o Senhor não Se interessa com tão insignificantes questões como o que comemos e bebemos. Não tivesse o Senhor cuidado por essas coisas, porém, não Se haveria manifestado à mulher de Manoá, dando-lhe


Te - Pag. 234  

instruções definidas, e recomendando-lhe duas vezes que se guardasse de não as seguir. Não é isto prova suficiente de que Ele cuida dessas coisas? Signs of the Times, 13 de setembro de 1910.

Parte da Mensagem do Terceiro Anjo

Toda verdadeira reforma tem seu lugar na obra da mensagem do terceiro anjo. A reforma da temperança requer especialmente nossa atenção e apoio. Testimonies, vol. 6, pág. 110.

Não haverá entre nós, como um povo, um reavivamento da obra da temperança? Por que não estamos fazendo muito mais decididos esforços para opor-nos ao comércio das bebidas, que está arruinando a alma dos homens, e causando violência e crime de toda espécie? Com a grande luz que Deus nos tem confiado, devemos encontrar-nos na dianteira de toda verdadeira reforma. Conselhos Sobre Saúde, pág. 432.

Contínuos Esforços Diligentes

A intemperança continua ainda suas devastações. Iniqüidade de toda espécie jaz qual poderosa barreira a impedir o progresso da verdade e da justiça. Injustiças sociais, nascidas da ignorância e do vício, causam ainda indizível miséria, e lançando sua malfazeja sombra tanto sobre a igreja como no mundo. A depravação entre a juventude está crescendo em vez de diminuir. Coisa alguma a não ser o esforço contínuo, diligente, servirá para remover essa praga desoladora. O conflito com o interesse e o apetite, com maus hábitos e paixões profanas, será renhido e implacável; unicamente os que agirem por princípios podem obter a vitória nesse conflito. Review and Herald, 6 de novembro de 1883.

Deus Atua por Meio de Sua Igreja

Se homens e mulheres devem ser assim seduzidos, não atuará o Senhor por meio de Sua igreja, impressionando Seu povo a cumprir o dever para com essas vítimas iludidas? Para muitos, a bebida tem sido considerada como o único consolo na tribulação. Não é preciso que seja assim, se o povo de Deus apoderar-se das oportunidades que lhes são oferecidas. Não estivessem seus olhos cegados pelo


Te - Pag. 235  

egoísmo, e veriam a obra à espera de ser feita. Seriam mandados por Deus a efetuar a obra que Ele queria que fizessem no começo de sua vida cristã, quando tinham a alma cheia de alegria por seus pecados haverem sido perdoados. Manuscrito 87, 1898.

Instrumento Melhor que o Machado

Deus quer que nos coloquemos onde possamos advertir o povo. Ele quer que empreendamos a questão da temperança. Por errôneos hábitos de comer e beber, estão os homens destruindo toda a sua força quanto ao pensamento e à inteligência. Não necessitamos pegar um machado e irromper dentro de seus bares. Temos arma de maior eficácia - a Palavra do Deus vivo. Essa abrirá caminho através da sombra infernal que Satanás lhe procura lançar na trilha. Deus é poderoso e capaz. Ele lhes falará ao coração. Temo-Lo visto assim fazer. General Conference Bulletin, 23 de abril de 1901.

Unir-se aos Jovens

Não há classe alguma de pessoas capaz de efetuar mais na luta contra a intemperança do que a juventude temente a Deus. Nestes dias, os jovens de nossas cidades se devem unir como um exército, firmes e decididos contra toda forma de satisfação egoísta, destruidora da saúde. Que poder poderiam eles ser para o bem Quantos poderiam salvar de se tornarem desmoralizados nos salões e jardins providos de música e outras atrações para seduzir os jovens...

Os rapazes e as moças que professam crer na verdade para este tempo só podem agradar a Jesus, unindo-se num esforço para enfrentar os males que têm, com sedutora influência, se insinuado na sociedade. Devem fazer tudo ao seu alcance para deter a onda de intemperança que ora se estende com desmoralizante poder pela Terra. Compreendendo que a intemperança tem francos e confessos patrocinadores, os que honram a Deus tomam firmemente posição contra esta onda de mal que está levando velozmente homens e mulheres à perdição. The Youth"s Instructor, 16 de julho de 1903.


Te - Pag. 236  

Guerra Santa Contra a Concupiscência

Acham-se nossos jovens preparados para erguer a voz na causa da temperança e mostrar seus efeitos sobre a cristandade? Alistar-se-ão eles na guerra santa contra o desejo e a concupiscência? Nossa civilização artificial anima os males que estão destruindo os sãos princípios. E o Senhor está às portas. Onde se acham os homens que saiam a trabalhar confiando plenamente em Deus, prontos a realizar e a ousar? Deus pede: "Filho, vai trabalhar hoje na Minha vinha." Mat. 21:28. Manuscrito 134, 1898.

Seguir as Instruções de Deus

Devemos começar a trabalhar na questão da temperança. Cumpre-nos tomar em mãos esse assunto pela maneira por que o Senhor me tem muitas vezes mostrado que deve ser feito. Carta 334, 1905.

A Nossa Sociedade de Temperança

Sociedades e clubes de temperança se têm formado entre aqueles que não fazem profissão da verdade, ao passo que nosso povo, se bem que muito à frente de qualquer outra denominação no país em matéria de princípios de temperança prática, tem sido tardio em organizar-se em sociedades de temperança, deixando assim de exercer a influência que, de outro modo, poderia ter. Carta 1, 1882.

Segundo a luz que Deus me deu, cada um dos nossos membros deve assinar o compromisso e unir-se à Associação de Temperança. Review and Herald, 21 de outubro de 1884.

Todo Membro de Igreja Trabalhar

Tornem-se todos os que têm Bíblias e crêem na Palavra de Deus ativos obreiros de temperança. Quem buscará agora promover a obra de nosso Redentor? Trabalhe todo membro da igreja pela devida maneira. Carta 18a, 1906.

Precisamos de que cada um seja um obreiro da temperança. Manuscrito 18, 1894.

O Poder do Exemplo

Por nosso exemplo e esforço individual, podemos ser o meio de salvar muitas almas da


Te - Pag. 237  

degradação da intemperança, do crime e da morte. Testimonies, vol. 3, pág. 489.

Necessidade de Homens Como Daniel

Há em nossos dias necessidade de homens como Daniel - homens que possuam a abnegação e a coragem de serem radicais reformadores de temperança. Cuide todo cristão em que seu exemplo e sua influência se encontrem ao lado da reforma. Sejam os ministros do evangelho fiéis em instruir e advertir o povo. E lembrem-se todos de que nossa felicidade em dois mundos depende do devido aproveitamento de um deles. Signs of the Times, 6 de dezembro de 1910.

Parte de Nossa Mensagem Evangelística

Apresentar a Temperança com as Verdades Espirituais

Em ligação com a apresentação das verdades espirituais, devemos também apresentar o que diz a Palavra de Deus quanto às questões da saúde e da temperança. Cumpre-nos, por todos os meios possíveis, pôr as almas sob o convincente e convertedor poder de Deus. Carta 148, 1909.

Tenho ouvido alguns, ao falarem com referência à temperança, dizerem: "Não tenho tempo. Tenho tanto o que fazer em pregar aqui e ali acerca da mensagem do terceiro anjo e as razões de nossa fé, que não posso tomar tempo para empenhar-me na obra de saúde e temperança." Caso esses homens cortassem cerca de um terço de seus sermões, o povo deles receberia mais benefício, e os pregadores teriam então tempo para falar sobre essa questão. Review and Herald, 14 de fevereiro de 1888.

Temperança e Salvação

Foi-nos dada, como um povo, a obra de tornar conhecidos os princípios relativos à reforma de saúde. Pensam alguns que a questão do regime não é de suficiente importância para ser incluído em sua obra evangelística. Esses, porém, cometem grande erro. Declara a Palavra de Deus: "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais


Te - Pag. 238  

outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." I Cor. 10:31. O assunto da temperança, em todos os seus aspectos, tem importante lugar na obra da salvação. Testimonies, vol. 9. pág. 112.

Parte da Mensagem do Terceiro Anjo

Irmãos e irmãs, queremos que vejais a importância dessa questão da temperança, e que nossos obreiros se interessem nela, e conheçam que é tão ligada com a mensagem do terceiro anjo como o braço direito o é com o corpo. Devemos fazer progresso nesta obra. Review and Herald, 14 de fevereiro de 1888.

Tornar clara a lei natural, e insistir na obediência a essa lei, eis a obra que acompanha a mensagem do terceiro anjo para preparar um povo para a vinda do Senhor. Testimonies, vol. 3, pág. 161.

Agitar o Espírito Público

Os que devem preparar o caminho para a segunda vinda de Cristo são representados pelo fiel Elias, assim como João veio no espírito de Elias para preparar o caminho para o primeiro advento de Cristo. O grande assunto da reforma deve ser ventilado, e o espírito deve ser agitado. Cumpre ligar a temperança em todas as coisas com a mensagem, desviar o povo de Deus de sua idolatria, sua glutonaria, bem como da extravagância no vestuário e outras coisas. Testimonies, vol. 3, pág. 62.

Ergamos a voz contra a maldição da embriaguez. Lutemos por advertir o mundo contra suas sedutoras influências. Retratemos perante jovens e mais idosos os terríveis resultados da satisfação do apetite. Manuscrito 80, 1903.

Quando a temperança for apresentada como parte do evangelho, muitos verão sua necessidade de reforma. Verão o mal das bebidas intoxicantes, e que a abstinência total é a única base em que o povo de Deus pode conscienciosamente colocar-se. Testimonies, vol. 7, pág. 75.


Te - Pag. 239  

Nada de Mensagens Frágeis

O conflito contra esse mal, que está destruindo a imagem de Deus no homem, deve ser vigorosamente mantido. A luta está diante de nós. Nenhuma mensagem frágil terá influência nestes tempos. Deus considera nosso mundo como revoltado e corrupto, mas enviará Seus santos anjos para ajudar aqueles que se empenharem em destruir o culto desses ídolos. Carta 102a, 1897.

O mal da intemperança precisa ser enfrentado mais ousadamente no futuro do que tem sido no passado. The Youth"s Instructor, 9 de março de 1909.

Sermões de Temperança nas Conferências nas Cidades

Na defesa da causa da temperança, devem multiplicar-se nossos esforços. O assunto da temperança cristã deve encontrar lugar em nossos sermões em todas as cidades em que trabalhamos. A reforma de saúde deve ser apresentada ao povo em todos os seus aspectos, e feitos esforços especiais para instruir os jovens, os de meia-idade e os idosos nos princípios do viver cristão. Reavive-se esse ângulo da mensagem, avance a verdade qual lâmpada resplandecente. Manuscrito 61, 1909.

Argumentos Convincentes, Fortes Apelos

Em todas as nossas grandes reuniões precisamos apresentar a questão da temperança aos ouvintes com os mais vigorosos apelos, e mediante os argumentos mais convincentes. O Senhor deu-nos a obra de ensinar a temperança cristã sob o ponto de vista bíblico. Manuscrito 82, 1900.

Escolas de Saúde, Após as Reuniões Públicas

Grande obra há a fazer em apresentar ao povo os princípios da reforma de saúde. Devem-se realizar reuniões públicas para introduzir o assunto, e mantidas escolas em que as pessoas interessadas possam ouvir mais particularmente a respeito de nossos alimentos saudáveis, e de como se pode arranjar um regime alimentício bom para a saúde, nutritivo e apetecível, sem emprego de carne, chá e café. ...


Te - Pag. 240  

Insisti na questão da temperança com toda a força da unção do Espírito Santo. Mostrai a necessidade de abstinência de toda bebida intoxicante. Mostrai o terrível dano causado no organismo humano pelo uso do fumo e do álcool. Evangelismo, pág. 534.

Mostrar Porque Mudamos Nossos Hábitos

Façam-se palestras explicando por que são essenciais reformas no regime dietético, e mostrando que o uso de alimentos altamente condimentados causa inflamação nas delicadas membranas dos órgãos digestivos. Mostre-se por que, como um povo, mudamos os nossos hábitos no comer e beber; por que dispensamos o fumo e toda bebida intoxicante. Exponham-se os princípios da reforma de saúde clara e inconfundivelmente, e com isso, leve-se à mesa abundância de alimentos saudáveis, saborosamente preparados; e o Senhor vos ajudará a tornar impressiva a urgente necessidade de reforma, e os levará a ver que essa reforma é para seu máximo bem. Medicina e Salvação, pág. 286.

Ensinar Adequadamente

Havendo mostrado ao povo que temos princípios corretos com relação à reforma de saúde, cumpre-nos aí levantar a questão da temperança em todos os seus aspectos, e ensiná-la adequadamente. Carta 63, 1905.

Apresentar de Maneira Atrativa

Apresentai os princípios de temperança em sua mais atrativa forma. Ponde em circulação os livros que instruem quanto à maneira saudável de viver. Testimonies, vol. 7, pág. 136.

Norma Para Reuniões de Temperança

Grande cuidado cumpre tomar a fim de tornar as reuniões de temperança tão elevadas e enobrecedoras quanto possível. Evitai o trabalho superficial e tudo que seja de natureza teatral. Aqueles que compreendem o caráter sagrado desta obra hão de manter alta a norma. Há, porém, uma classe, que não tem verdadeiro respeito pela causa da temperança; seu único interesse é mostrar sua habilidade na plataforma. Os puros, os refletidos


Te - Pag. 241  

e aqueles que compreendem o assunto da obra, devem ser animados a trabalhar nesses grandes ramos de reforma. Talvez eles não sejam intelectualmente grandes, mas se forem puros e humildes, tementes a Deus e fiéis, o Senhor aceitará os seus labores. Testimonies, vol. 5, pág. 127.

Não Trabalhar Sozinho

Uma pessoa não deve tentar fazer essa obra sozinha. Unam-se vários em tal empreendimento. Vão elas para a frente com uma mensagem celeste, imbuídas com o poder do Espírito Santo. ... Vejam homens e mulheres o mal de gastar dinheiro em satisfações que destroem a saúde da mente, da alma e do corpo. Evangelismo, pág. 531.

Da Maneira Indicada por Deus

A abnegação, humildade e temperança requeridas dos justos, a quem Deus guia e abençoa especialmente, devem ser apresentadas ao povo em contraste com os hábitos extravagantes, destrutivos da saúde, daqueles que vivem neste século degenerado. Deus mostrou que a reforma de saúde está tão ligada com a mensagem do terceiro anjo como a mão está com o corpo. Não há em parte alguma tão grande causa de degenerescência física e moral em resultado da negligência desse importante assunto. Os que condescendem com o apetite e a paixão, e cerram os olhos à luz por temor de verem condescendências pecaminosas que eles não estão dispostos a abandonar, são culpados diante de Deus.

O Perigo de Desviar-se da Luz

Quem quer que se desvie da luz numa ocasião, endurece o coração para desprezar a luz sobre outros assuntos. Quem quer que violar obrigações morais na questão de comer e vestir, prepara o caminho para violar os mandamentos de Deus no que respeita aos interesses eternos. ...

O povo a quem Deus está conduzindo será peculiar. Não serão semelhantes ao mundo. Mas se seguirem a guia de Deus cumprir-Lhe-ão os desígnios, e submeterão sua vontade à dEle. Cristo habitará em seu coração. O templo de Deus será santo. Vosso corpo, diz o apóstolo, é o templo do Espírito Santo.


Te - Pag. 242  

Obediência das Leis Naturais

Deus não requer de Seus filhos serem abnegados para dano de suas forças físicas. Requer deles que obedeçam à lei natural, preservem a saúde física. O caminho da natureza é a estrada por Ele demarcada, e é suficientemente ampla para qualquer cristão. Com mão generosa proveu Deus ricas e variadas bênçãos para nosso sustento e satisfação. Mas a fim de desfrutarmos o apetite natural, que conserva a saúde e prolonga a vida, Ele restringe o apetite. Diz Ele: Cautela; restringi, negai o apetite fora do natural. Caso criemos apetite pervertido, transgredimos as leis de nosso ser e assumimos a responsabilidade de maltratar nosso corpo e trazer doença sobre nós. Testimonies, vol. 3, págs. 62 e 63.

Eficaz Cunha de Entrada

Fui informada por meu guia de que os que crêem na verdade, não somente devem observar a reforma de saúde, mas também ensiná-la diligentemente a outros; pois será um instrumento pelo qual a verdade pode ser apresentada à atenção dos não crentes. Eles raciocinarão que, se temos idéias tão sãs relativamente à saúde e à temperança, deve haver em nossa crença religiosa alguma coisa digna de conhecimento. Se apostatarmos na reforma de saúde, perderemos muito de nossa influência para com o mundo lá fora. Evangelismo, pág. 514.

Os Sermões Acerca da Temperança Atingirão a Muitos

Deve-se dispensar atento cuidado àqueles que se acham escravizados pelos maus hábitos. Eles devem ouvir discursos da Palavra de Deus relativamente à temperança cristã. Precisamos levá-los à cruz de Cristo. Pessoas que não entravam na igreja havia quase vinte anos, têm vindo a essas reuniões, e têm-se convertido. O resultado foi que deixaram o chá e o café, o fumo, a cerveja e as bebidas alcoólicas. Estupendas mudanças de caráter têm-se efetuado. Enquanto muitos recebem assim a luz, outros rejeitam-na, para sua eterna perdição. Este trabalho custa tempo e fatigantes esforços, e custa muita angústia


Te - Pag. 243  

de alma ver tantos ouvirem e compreenderem, mas, por causa da cruz, recusarem aceitar a Jesus Cristo. Manuscrito 52, 1900.

Trabalho em Favor dos Intemperantes

Trabalhai pelos intemperantes e os fumantes, dizendo-lhes que nenhum bebedor herdará o reino de Deus, e que não entrará nele "coisa alguma que contamine". Mostrai-lhes o bem que podem fazer com o dinheiro que agora gastam com aquilo que só lhes causa dano. Carta 25, 1902.

Trabalhar, Orar, Erguer

A arruinada vítima da intemperança talvez se recuse a lançar mão da oportunidade de reconquistar sua varonilidade pelo rompimento com Satanás. Será menor vosso dever de lutar para despertar a alma morta em ofensas e pecados, fazendo tudo quanto o esforço humano pode fazer? Jesus realizará maravilhosos prodígios, se tão-somente os homens fizerem a parte que lhes foi dada por Deus. Em sua própria força eles jamais poderão reaver almas do poder de Satanás. Unicamente a união com Cristo, pode realizar essa restauração. O homem precisa trabalhar, precisa orar, precisa erguer o desalentado e perdido por seu esforço humano, enquanto segura o braço do Poderoso, e luta como Jacó pela vitória. Seu clamor deve ser: Não posso, não Te deixarei ir se não me abençoares. Manuscrito 87, 1898.

Importância da Mensagem de Temperança

O cristão será temperante em tudo - no comer, no beber, no vestir e em todos os aspectos da vida. "Todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível." I Cor. 9:25. Não temos direito de condescender com qualquer coisa que redunde num estado mental que impeça o Espírito de Deus de impressionar-nos com o senso de nosso dever. É uma obra-prima da habilidade satânica colocar homens em situação em que dificilmente possam ser atingidos pelo evangelho. Review and Herald, 29 de agosto de 1907.

Convidados a Trabalhar Pela Temperança

Uma igreja que trabalha é uma igreja viva. Membros da igreja,


Te - Pag. 244  

deixai a luz brilhar. Sejam vossas vozes ouvidas em humilde oração, em testemunho contra a intemperança, a loucura e os divertimentos deste mundo, e na proclamação da verdade para o tempo atual. Vossa voz, vossa influência, o tempo, tudo isso é dom de Deus, e deve ser empregado em ganhar almas para Cristo. Visitai vossos vizinhos e mostrai interesse na salvação de sua alma. Medicina e Salvação, pág. 332.

Domingo, dia de Trabalhar Pela Temperança

O domingo pode ser usado para desenvolver vários ramos de trabalho que muito efetuarão para o Senhor. ... Falai de temperança e de genuína vida religiosa. Aprendereis assim muito quanto à maneira de trabalhar, e alcançareis muitas almas. Testimonies, vol. 9, pág. 233.

Nas Campais

Em labores nas reuniões campais, deve-se dar mais atenção ao ensino dos princípios de saúde e reforma de temperança; estas questões devem ocupar importante lugar em nossos esforços nesses tempos. Minha mensagem é: Educai, educai acerca da temperança. Manuscrito 65, 1908.

Nas Igrejas

Toda igreja necessita testemunho claro, incisivo, dando à trombeta um sonido certo. Se pudermos despertar as sensibilidades morais no que respeita a praticar temperança em todas as coisas, obter-se-á mui grande vitória. Manuscrito 59, 1900.

Preparar-se Para Ensinar

Pergunto por que alguns de nossos irmãos do ministério se encontram tão atrasados na proclamação do exaltado tema da temperança. Por que não se manifesta maior interesse na reforma de saúde? Carta 42, 1898.

Devemos educar-nos, não só a viver em harmonia com as leis da saúde, mas a ensinar a outros a maneira melhor. Muitos, mesmo daqueles que professam crer nas verdades especiais para este tempo, são lamentavelmente ignorantes com relação à saúde e à temperança. Necessitam educar-se regra


Te - Pag. 245  

sobre regra, preceito sobre preceito. O assunto precisa ser conservado sempre novo diante deles. Esta questão não deve ser passada por alto como não sendo essencial; pois quase toda família necessita ser estimulada para esta questão. A consciência precisa ser despertada para o dever de praticar os princípios da verdadeira reforma. Deus requer que Seu povo seja temperante em tudo. ...

Não Ser Detido Pelo Ridículo

Nossos pastores devem ser inteligentes nessa questão. Não a devem passar por alto, nem ser desviados por aqueles que os chamam de extremistas. Busquem eles o que constitui a verdadeira reforma de saúde, e ensinem seus princípios tanto por preceito quanto pelo exemplo sereno e coerente. Em nossas grandes reuniões, devem ser dadas instruções acerca da saúde e da temperança. Buscai despertar o entendimento e a consciência. Introduzi no serviço todo talento disponível, e apoiai o trabalho com publicações acerca do assunto. "Educar, educar, educar", eis a mensagem que me tem sido recomendada com insistência. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 117.

Educação na Temperança,

Objetivo de Nossa Obra Médica

Fundados Para Pregar a Verdadeira Temperança

Nossos hospitais são fundados para pregar a verdade da genuína temperança. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 162.

Apresentada do Ponto de Vista Cristão

Em nossas casas de saúde, nossos pastores, que trabalham com a palavra e a doutrina, devem fazer breves palestras sobre os princípios de temperança, mostrando que o corpo é o templo do Espírito Santo, e levando à memória do povo a responsabilidade que sobre eles recai como a possessão de Deus, comprada para fazer do corpo um templo santo, adequado a ser morada do Espírito Santo. Sendo comunicada esta instrução, o povo interessar-se-á na doutrina bíblica.

Importa também que seja apresentada a pestilência moral


Te - Pag. 246  

que está tornando os habitantes do mundo de hoje como os habitantes do mundo antes do dilúvio - ousados, blasfemos, intemperantes e corruptos. Os pecados que se praticam estão tornando a Terra um lazareto de corrupção. Esses pecados precisam ser severamente repreendidos. Os que pregam devem erguer a norma da temperança do ponto de vista cristão. À medida que a temperança for apresentada como parte do evangelho, muitos verão sua necessidade de reforma. Manuscrito 14, 1901.

Médicos Instruírem Quanto à Temperança

Eles devem dar ao povo instruções acerca dos perigos da intemperança. Esse mal precisa ser enfrentado com mais ousadia no futuro, do que tem sido até agora. Pastores e médicos devem expor os males da intemperança. Devem ambos trabalhar no evangelho com poder em condenar o pecado e exaltar a justiça. Os pastores e médicos que não fazem apelos pessoais ao povo, são remissos em seu dever. Deixam de cumprir a obra que Deus lhes tem designado. Testimonies, vol. 6, pág. 110.

Ensinar Estrita Temperança

Quando um médico vê um doente sofrendo uma doença ocasionada por regime alimentar impróprio, ou outros hábitos errôneos, e todavia deixa de dizer-lhe isso, está fazendo um mal a seu semelhante. Bêbados, maníacos, os que se entregam a licenciosidade, todos apelam ao médico para que lhes declare positiva e claramente que o sofrimento é resultado do pecado. Os que compreendem os princípios da vida deviam ser zelosos em lutar para combater as causas das doenças. Vendo o contínuo conflito com a dor, trabalhando constantemente para aliviar o sofrimento, como pode o médico manter-se em silêncio? É ele benévolo e misericordioso se não ensina a estrita temperança como o remédio contra a doença? A Ciência do Bom Viver, pág. 114.

Defensor da Saúde Física e Moral

O verdadeiro médico é um educador. Ele reconhece sua responsabilidade, não


Te - Pag. 247  

somente para com o doente que se acha sob seu cuidado imediato, mas também para com a coletividade no meio da qual vive. Ocupa o lugar de um guardião tanto da saúde física como da moral. É seu esforço, não somente conseguir métodos corretos no tratamento dos enfermos, mas incentivar hábitos sãos de vida, e disseminar o conhecimento dos retos princípios.

Nunca foram mais necessários os conhecimentos dos princípios de saúde do que o são na atualidade. Apesar dos maravilhosos progressos em tantos ramos relativos aos confortos e comodidades da vida, mesmo no que respeita a questões sanitárias e tratamento de doenças, é alarmante o declínio do vigor físico e do poder de resistência. Isso exige a atenção de todos quantos levam a sério o bem-estar de seus semelhantes.

Nossa civilização artificial está fomentando males que destroem os sãos princípios. Os costumes e as modas se acham em guerra com a Natureza. As práticas a que eles obrigam, e as condescendências que fomentam, estão diminuindo rapidamente a resistência física e mental, e trazendo sobre a raça insuportável fardo. A intemperança e o crime, a doença e a miséria encontram-se por toda parte.

Muitos transgridem as leis de saúde devido à ignorância, e necessitam instruções. A maioria, porém, sabe melhor do que aquilo que pratica. Esses precisam ser impressionados quanto à importância de tornar o conhecimento que têm um guia de vida. O médico tem muitas oportunidades tanto de comunicar o conhecimento dos princípios de saúde como de mostrar a importância de pô-los em prática. Mediante as devidas instruções, muito pode fazer para corrigir males que estão produzindo indizível dano. A Ciência do Bom Viver, págs. 125 e 126.

O Hospital, uma Força Educativa

Em toda a nossa obra de hospitais e escolas, ocupem os assuntos pertencentes à reforma de saúde parte importante. O Senhor deseja tornar nossos hospitais uma força educativa em todo lugar. Sejam eles grandes ou pequenas instituições, a responsabilidade é a mesma. A comissão do Salvador a nós é: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:16. Manuscrito 65, 1908.


Te - Pag. 248  

Sem Necessidade de Estimulantes e Narcóticos

Devem ser ministradas em nossas instituições médicas claras instruções quanto à temperança. Deve-se mostrar aos doentes o mal das bebidas intoxicantes, e a bênção da abstinência total. Seja-lhes solicitado deixar essas coisas que lhes têm arruinado a saúde, e sejam elas substituídas por abundância de frutas.

E à medida que os doentes forem levados a desenvolver esforços físicos, o cérebro e os nervos fatigados serão aliviados, e água pura e a comida saudável e saborosa os restaurarão, e fortalecerão. Eles não sentirão necessidade de drogas e bebidas intoxicantes destruidoras da saúde. Carta 145, 1904.

Relação com Restaurantes Vegetarianos

Devem estabelecer-se nas cidades restaurantes vegetarianos, e por eles será proclamada a mensagem de temperança. Façam-se arranjos para efetuar reuniões em ligação com nossos restaurantes. Sempre que for possível, haja uma sala onde os fregueses sejam convidados a palestras sobre a ciência da saúde e da temperança cristã, onde eles recebam instruções acerca do preparo de alimento saudável, e de outros importantes assuntos. Deve haver nessas reuniões oração e canto e palestras, não só relativamente a assuntos de saúde e temperança, mas também sobre outros temas bíblicos apropriados. Ao ser o povo ensinado na maneira de conservar a saúde física, achar-se-ão muitas oportunidades para semear as sementes do evangelho do reino. Testimonies, vol. 7, pág. 115.

A Influência da Pena

Escritos Sobre Temperança

Temos uma obra a fazer juntamente com o ramo da temperança além de falar em público. Cumpre-nos apresentar nossos princípios em folhetos e em nossas revistas. Obreiros Evangélicos, pág. 385.


Te - Pag. 249  

Todo Adventista Deve Divulgar

A questão da temperança deve receber apoio do povo de Deus. A intemperança luta pela ascendência; cresce a satisfação própria, e são grandemente necessárias as publicações que tratam da reforma de saúde. Os escritos a esse respeito são a mão auxiliadora do evangelho, levando almas a examinar a Bíblia em busca de melhor compreensão da verdade. Importa fazer soar a nota de advertência contra o grande mal da intemperança; e para que isso possa ser feito, todo guardador do sábado deve estudar e observar as instruções contidas em nossas revistas de saúde, bem como os livros que tratam desse ponto. E devem fazer mais que isso; empregar diligentes esforços para pôr em circulação essas publicações entre seus vizinhos. Conselhos Sobre Saúde, pág. 462.

Chegar ao Povo Onde ele se Encontra

A circulação de nossas publicações sobre saúde é obra importantíssima, na qual devem ter vivo interesse todos os que crêem nas verdades especiais para este tempo. Deus deseja que agora, como nunca antes, a mente do povo seja profundamente agitada para analisar a grande questão da temperança e os princípios que fundamentam a genuína reforma de saúde. A vida física deve ser cuidadosamente educada, cultivada e desenvolvida para que, mediante homens e mulheres, seja revelada a natureza divina em sua plenitude. Tanto as faculdades físicas como as mentais, com suas afeições, devem ser tão bem exercitadas que possam atingir a mais alta eficiência.

Reforma, contínua reforma, deve ser conservada diante do povo. ...

A luz dada por Deus, sobre a reforma de saúde, é para nossa salvação e salvação do mundo. Homens e mulheres devem ser informados quanto ao corpo humano preparado por nosso Criador como o lugar de Sua morada, e do qual Ele deseja que sejamos fiéis mordomos. Essas grandes verdades devem ser comunicadas ao mundo. Devemos alcançar as pessoas onde estas se encontram e, por exemplo e preceito, levá-las a ver as belezas do caminho melhor. ...

Ninguém pense que a circulação das revistas sobre saúde


Te - Pag. 250  

é questão de pouca importância. Todos devem dedicar-se a essa obra com mais interesse, e fazer maiores esforços nesse sentido. Deus abençoará grandemente os que a ela se entregarem com zelo, pois é uma obra que deve receber atenção neste tempo.

Os pastores podem e devem fazer muito no sentido de apressar a distribuição das revistas de saúde. Cada membro da igreja deve trabalhar tão zelosamente em favor dessas revistas como por outras que possuímos. ...

A circulação das revistas de saúde será um poderoso instrumento na preparação do povo para aceitarem aquelas verdades especiais que devem prepará-los para a breve vinda do Filho do homem. Conselhos Sobre Saúde, págs. 445-447.

Utilizar em Toda Parte

Onde quer que estiverdes, fazei brilhar a vossa luz. Passai nossas revistas e folhetos àqueles com quem tiverdes contato, quando viajando de carro, visitando, conversando com os vizinhos; e aproveitai toda oportunidade para dizer uma boa palavra a seu tempo. O Espírito Santo tornará a semente produtiva em alguns corações.

Tenho palavras de animação a dizer em relação com o número especial [de temperança] do Watchman [Our Times], que a Southern Publishing House está para publicar. Regozijar-me-ei de ver nossas associações ajudarem nessa obra, tomando grande número dessa publicação para fazer circular. Não haja proibições quanto a esse esforço, mas tomem todos a peito dar a esse número vasta circulação.

Não poderia haver melhor ocasião do que agora para um movimento dessa natureza, quando a questão da temperança está suscitando tão amplo interesse. Que nosso povo de toda parte decididamente faça ver qual nossa posição quanto à temperança. Faça-se tudo quanto for possível para disseminar vigorosos e estimulantes apelos quanto ao fechamento dos bares. Seja essa revista uma força para o bem. Nossa obra em benefício da temperança deve ser mais viva, mais decidida. Review and Herald, 18 de junho de 1908.


Te - Pag. 251  

Nossa Responsabilidade Nesta Hora Solene

Repousa sobre nós, a quem Deus deu grande esclarecimento, a solene responsabilidade de chamar a atenção de homens e mulheres pensantes para o significado da embriaguez e do crime dominantes, com os quais eles se acham tão familiarizados. Devemos apresentar-lhes à mente os textos escriturísticos que descrevem claramente as condições que hão de existir justamente antes da segunda vinda de Cristo. ...

Nestes tempos em que os jornais diários acham-se cheios de horríveis detalhes de revoltante embriaguez e crimes terríveis, há tendência de familiarizar-nos por tal forma com as condições existentes, que percamos de vista o significado dessas condições. Existe violência na Terra. Usa-se mais bebida intoxicante do que nunca antes. A história dos crimes que daí resultam é amplamente dada pelos jornais. E todavia, apesar das muitas provas de crescente desrespeito à lei, os homens raramente se detêm para considerar seriamente o que essas coisas significam. Quase sem exceção, gabam-se os homens do esclarecimento e do progresso de nosso século. ...

Quão importante é que os mensageiros de Deus chamem a atenção dos estadistas, dos editores, dos homens pensantes de toda parte para o profundo significado da embriaguez e da violência que ora enchem a Terra de desolação e morte Como fiéis colaboradores de Deus, precisamos dar claro, decidido testemunho quanto à questão da temperança. ...

Agora é nossa áurea oportunidade de cooperar com os seres celestes no esclarecer o entendimento dos que estão estudando o que quer dizer o rápido aumento do crime e da calamidade. Ao fazermos fielmente nossa parte, o Senhor abençoará nossos esforços para salvação de muitas almas preciosas. Review and Herald, 25 de outubro de 1906.

Com as Mãos Cheias de Mensagens Para Ler

Publicações quanto à reforma de saúde chegarão a muitos que não verão nem lerão qualquer coisa acerca de importantes assuntos bíblicos. A satisfação de todo apetite pervertido está fazendo sua obra mortífera. A intemperança precisa ser enfrentada.


Te - Pag. 252  

Com esforço unido, inteligente, dai a conhecer os males de obscurecer as faculdades que Deus deu, com vinho e bebidas fortes. A verdade quanto à reforma de saúde precisa ir ao povo. Isso é essencial a fim de prender-lhes a atenção relativamente à verdade bíblica.

Deus requer que Seu povo seja temperante em tudo. A menos que pratiquem a temperança, eles não serão, não poderão ser santificados por meio da verdade. Seus próprios pensamentos e mentes se tornam depravados. Muitos dos que são considerados desenganadamente depravados, uma vez que sejam devidamente instruídos com relação a seus costumes contrários à saúde, hão de ser presos pela verdade. Poderão, assim, ser elevados, enobrecidos, santificados, idôneos vasos para uso do Mestre. Ide com as mãos cheias de matéria própria para ler, o coração cheio do amor de Cristo pela alma deles, procurando-os onde se encontram. Manuscrito 1, 1875.

Organizar e Preparar uma Obra Eficaz

Precisamos trabalhar no interesse da reforma de temperança, e tornar isto questão de vivo interesse. Esta é uma maneira por que nos podemos tornar pescadores de homens. Boa obra está sendo efetuada na circulação de nossa literatura. Organizai-vos em grupos para a prossecução de uma obra vigilante. Aprendei a falar de tal maneira que não deis escândalo. Cultivai a gentileza no falar. Deixai que a graça de Cristo em vós habite ricamente, dirigindo-vos uns aos outros palavras de animação. Faço veemente apelo a todo o nosso povo: Enfileirai-vos, enfileirai-vos. Manuscrito 99, 1908.

Dar a Advertência

O povo de Deus deve ser de espírito pronto, rápido para ver e aproveitar-se de toda oportunidade para levar avante a causa do Senhor. Têm uma mensagem a apresentar. Pela pena e pela voz devem fazer soar a nota de advertência. Apenas alguns darão ouvidos; alguns somente terão ouvidos para escutar. Satanás tem astuciosamente imaginado muitos meios de manter homens e mulheres sob sua influência. Leva-os a enfraquecer seus órgãos pela satisfação de apetite pervertido e pela condescendência com os prazeres mundanos.


Te - Pag. 253  

A bebida intoxicante, o fumo, o teatro e as corridas - esses e muitos outros males estão entorpecendo as sensibilidades do homem, e fazendo com que multidões façam ouvidos moucos aos misericordiosos rogos de Deus. Review and Herald, 23 de junho de 1903.

O Poder do Voto

Nossa Responsabilidade Como Cidadãos

Ao passo que não nos devemos de maneira alguma envolver em questões políticas, é contudo nosso privilégio tomar decididamente posição em todas as questões relativas à reforma de temperança. Tenho dado a esse respeito muitas vezes, um claro testemunho. Em um artigo publicado na Review de 8 de novembro de 1881, escrevi: ... "Há uma causa para a paralisia moral que há na sociedade. Nossas leis mantêm um mal que está desarraigando seus próprios fundamentos. Muitos deploram os erros que sabem existir, mas consideram-se isentos de qualquer responsabilidade na questão. Não pode ser assim. Todo indivíduo exerce uma influência na sociedade."

Todo Eleitor Tem Voz

Em nossa terra favorecida, todo eleitor tem alguma voz no determinar que leis hão de reger a nação. Não devem essa influência e esse voto ser lançados ao lado da temperança e da virtude? ...

Podemos chamar os amigos da causa da temperança a unirem-se para o conflito e buscar repelir a onda do mal que está desmoralizando o mundo; de que proveito, porém, serão todos os nossos esforços enquanto a venda de bebidas alcoólicas for mantida por lei? Deve a maldição da intemperança repousar para sempre sobre nossa terra como uma praga? Deve ela cada ano assolar, qual fogo devorador, milhares de lares felizes?

Pela Voz, Pela Pena e Pelo Voto

"Falamos dos resultados, trememos pelos resultados, e cogitamos que podemos fazer com os terríveis resultados, ao passo que, com freqüência, toleramos e mesmo sancionamos a causa. Os defensores da temperança deixam de cumprir seu inteiro dever a menos que


Te - Pag. 254  

exerçam sua influência por preceito e exemplo - pela voz e pela pena e pelo voto - em favor da proibição e da abstinência total. Não necessitamos esperar que Deus opere um milagre para efetuar essa reforma, removendo assim a necessidade de esforçar-nos. Cumpre-nos agarrar-nos com esse gigante inimigo, tendo como divisa: Nenhuma transigência e nenhuma cessação de esforços de nossa parte até que seja obtida a vitória." Review and Herald, 15 de outubro de 1914.

A Escolha de Homens Certos

Homens intemperantes não devem, por voto do povo, ser colocados em posições de confiança. Signs of the Times, 8 de julho de 1880.

Ao Capricho de Intemperantes

São escolhidos para posições oficiais, muitos homens cuja mente se acha privada de seu pleno vigor pela condescendência com bebidas alcoólicas , ou constantemente obscurecida pelo uso do fumo. ... A paz de famílias felizes, a reputação, a propriedade, a liberdade, e mesmo a vida, acham-se ao capricho de homens intemperantes em nossas salas do legislativo e em nossas cortes de justiça.

Por se entregarem à satisfação do apetite, muitos que uma vez foram retos, beneficentes, perdem sua integridade e o amor pelos semelhantes, e unem-se com os desonestos e libertinos, esposam-lhes a causa, e partilham de sua culpa.

Direito Mal-Utilizado

Quantos desmerecem seu direito como cidadãos de uma república - comprados por um copo de uísque para dar seu voto a algum candidato infame Como classe, os intemperantes não hesitarão em usar de engano, suborno, e mesmo violência contra os que recusam ilimitada licença ao apetite pervertido. Review and Herald, 8 de novembro de 1881.

A Responsabilidade dos Cidadãos Passivos

Muitos emprestam sua influência ao grande destruidor, ajudando-o pela palavra e pelo voto a destruir a imagem moral de Deus no homem,


Te - Pag. 255  

não pensando nas famílias que são degradadas por causa de um apetite pervertido para a bebida. Manuscrito 87, 1898.

E aqueles que, mediante seu voto, sancionam o comércio das bebidas alcoólicas , serão considerados responsáveis pela perversidade praticada pelos que se encontram sob a influência da bebida forte. Carta 243a, 1905.

Nossos Pioneiros Chegam a Importante Decisão

Página do diário de Ellen G. White em 1859. "Assisti à reunião ao anoitecer. Tivemos uma reunião franca, interessante: À hora de terminar, a questão de votar foi considerada demoradamente. Tiago falou primeiro, depois o irmão Andrews, e foi por eles considerado melhor pôr sua influência a favor do direito e contra o erro. Acham ser justo votar a favor dos homens da temperança que ocupam lugares oficiais em nossa cidade em vez de, por seu silêncio, correrem o risco de verem os intemperantes ocuparem os postos. O irmão Hewett conta sua experiência de alguns dias antes, e acha que é direito dar o seu voto. O irmão Hart fala a favor. O irmão Lyon opõe-se. Ninguém mais faz objeção, mas o irmão Kellogg começa a achar que é direito. Há entre todos os irmãos sentimentos cordiais. Oh! que todos procedam no temor de Deus!


Te - Pag. 256  

"Homens favoráveis à intemperança estiveram no escritório hoje, exprimindo lisonjeadoramente sua aprovação à atitude de observadores do sábado que não votavam, e exprimiram esperanças de que eles ficassem firmes a sua orientação e, como os quakers, não dessem seu voto. Satanás e seus anjos maus estão atarefados neste tempo, e ele tem obreiros na Terra. Oxalá seja ele decepcionado, é a minha oração." E. G. White em seu diário, no domingo 6 de março de 1859.

A Lição dos Reinos Antigos

A prosperidade de uma nação depende da virtude e inteligência de seus cidadãos. Para assegurar essas bênçãos, são indispensáveis hábitos de estrita temperança. A história dos reinos antigos acha-se repleta de lições de advertência para nós. O luxo, a satisfação do próprio eu e as extravagâncias, preparavam o caminho para sua queda. Resta ver se nossa própria república se deixará advertir por seu exemplo, evitando a sorte deles. Obreiros Evangélicos, pág. 388.

O Chamado à Ceifa

Tempo de Trabalhar

Agora, irmãos e irmãs, não é tempo de trabalharmos? Não é tempo de despertarmos as capacidades a nós dadas por Deus, adquirirmos o santo zelo que até aqui não tivemos? E não é tempo de erguer-nos como Calebe, ir à frente, alçar a voz e clamar contra os relatórios que estão circulando ao nosso redor? Não somos nós capazes de possuir a terra? Em Deus somos capazes de realizar poderosa obra no sentido da temperança. Manuscrito 3, 1888.

Quem Ajudará?

Em todo o nosso redor encontram-se as vítimas do apetite depravado, e que fareis por elas? Não podeis, por vosso exemplo, ajudá-los a porem o pé na senda da temperança? Podeis ter um senso das tentações que estão sobrevindo à juventude a crescer ao nosso redor, sem buscar adverti-los e salvá-los? Quem se colocará ao lado do Senhor? Quem ajudará a rechaçar esta onda de imoralidade, de misérias e ruínas, que está enchendo o mundo? Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 40.


Te - Pag. 257  

Época de Oportunidades

O mundo está sendo escravizado por intemperança de toda sorte, e os que são nestes dias verdadeiros educadores, os que instruem no sentido da abnegação e do sacrifício, receberão a sua recompensa. Agora é nosso tempo, agora é nossa oportunidade para realizar uma obra abençoada. Carta 50, 1909.

Somos Responsáveis

Somos tão responsáveis por males que poderíamos haver reprimido em outros pela reprovação, pela advertência, pelo exercício da autoridade paterna ou pastoral, como se fôssemos nós mesmos culpados desses atos. Testimonies, vol. 4, pág. 516.

Reavivar a Obra da Temperança

A causa da temperança necessita ser reavivada como ainda não o foi. Review and Herald, 14 de janeiro de 1909.

Anos atrás considerávamos a difusão dos princípios de temperança como um de nossos mais importantes deveres. Assim deve ser hoje em dia. Obreiros Evangélicos, pág. 384.

Caso a obra de temperança fosse levada avante por nós como foi iniciada trinta anos atrás; caso em nossas reuniões campais apresentássemos diante do povo os males da intemperança no comer e no beber, e em especial os males de tomar alcoólicos; fossem essas coisas apresentadas em relação com os sinais da próxima vinda de Cristo, haveria uma sacudidura entre o povo. Se mostrássemos zelo proporcional à importância das verdades que temos em mãos, poderíamos ser instrumentos em salvar centenas, ou milhares da ruína. Testimonies, vol. 6, pág. 111.

Caso fizéssemos compreender a nosso povo quanto se acha em jogo, e buscássemos redimir o tempo perdido, pondo agora alma e coração e energias na causa da temperança, grande bem se manifestaria em resultado. Carta 78, 1911.

Com Deus, Somos Maioria

Dizeis: Estamos em minoria Não é Deus uma maioria?


Te - Pag. 258  

Se estamos ao lado do Deus que fez o céu e a Terra, não estamos nós do lado da maioria? Temos os anjos, magníficos em poder, ao nosso lado. Manuscrito 27, 1893.

Com nossas débeis mãos humanas, não podemos fazer senão pouco; temos, porém, infalível Ajudador. É preciso não esquecermos que o braço de Cristo pode alcançar às profundezas da miséria e degradação humanas. Ele nos pode dar auxílio para vencer mesmo esse terrível demônio da intemperança. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 21.

Campos Prontos Para a Ceifa

Em todo lugar deve a questão da temperança ser tornada mais preeminente. A embriaguez e o crime que sempre a acompanham, demandam que ergamos a voz para combater esse mal. Cristo vê abundantes frutos esperando por ser recolhida. Almas estão famintas da verdade, sedentas da água da vida. Muitos se encontram no próprio limiar do reino, só à espera de serem recolhidos. Não pode o povo que conhece a verdade enxergar? Não ouvirão a voz de Cristo dizendo: "Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que Eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa." João 4:35. Carta 10, 1899.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>