Livro - Temperança | Ellen G. White Books

Temperança

CAPÍTULO 9

Lançando o Fundamento da Intemperança

Te - Pag. 170  

Influência Pré-Natal

O Verdadeiro Princípio da Reforma

Os esforços de nossos obreiros do departamento de temperança não são suficientemente amplos para banir de nossa terra a maldição da intemperança. Os hábitos uma vez formados são difíceis de ser vencidos. A reforma deve começar com a mãe antes do nascimento dos filhos; e se fossem fielmente obedecidas as instruções de Deus, não existiria a intemperança.

Deve ser o constante esforço de toda mãe conformar seus hábitos com a vontade de Deus, para que possam trabalhar em harmonia com Ele, a fim de preservar seus filhos dos vícios destes dias, destruidores da saúde e da vida. Coloquem-se as mães, sem demora, na devida relação com seu Criador, a fim de que possam, assistidas por Sua graça, erguer em volta dos filhos uma barreira contra a dissipação e a intemperança. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, págs. 225 e 226.

Os Hábitos do Pai e da Mãe

Em regra, todo homem intemperante que cria filhos, transmite suas inclinações e más tendências a sua prole. Review and Herald, 21 de novembro de 1882.

Pelos hábitos da mãe, o filho será afetado, para o bem ou para o mal. Deve ela mesma ser controlada pelos princípios, e praticar a temperança e a renúncia, se quiser buscar o bem-estar do filho. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 218.


Te - Pag. 171  

A Herança de más Tendências

Os pensamentos e sentimentos da mãe terão poderosa influência no legado que ela faz a seu filho. Se ela permite que os próprios pensamentos se demorem em seus sentimentos, se condescende com o egoísmo, se é irritadiça e exigente, a disposição de seu filho testificará desse fato. Assim, muitos receberam como patrimônio tendências quase invencíveis para o mal. O inimigo das almas compreende isto muito melhor que muitos pais. Ele pressiona a mãe com suas tentações, sabendo que, se ela não lhe resistir, ele pode, por meio dela, afetar-lhe o filho. A única esperança da mãe está em Deus. Ela pode para Ele fugir em busca de resistência e de graça; e não o fará em vão. Signs of the Times, 13 de setembro de 1910.

A Mensagem de Deus a Toda Mãe

É-nos ensinado nas Escrituras o cuidado com que a mãe deve vigiar seus hábitos de vida. Quando o Senhor quis levantar Sansão como libertador de Israel, "o anjo do Senhor" apareceu à mãe, dando-lhe instruções especiais com relação a seus hábitos, e também quanto ao cuidado da criança. "Agora pois não bebas vinho, nem bebida forte, e não comas coisa imunda." Juí. 13:13 e 7.

O efeito das influências pré-natais é olhado por muitos pais como coisa de somenos importância; o Céu, porém, não o considera assim. A mensagem enviada por um anjo de Deus, e duas vezes dada da maneira mais solene, mostra que isso merece nossa mais atenta consideração.

Nas palavras dirigidas à mãe hebréia, Deus fala a todas as mães de todas as épocas. "De tudo quanto Eu disse à mulher, se guardará ela." Juí. 13:13. A felicidade da criança será afetada pelos hábitos da mãe. Seus apetites e paixões devem ser regidos por princípios. Existem coisas que lhe convém evitar, coisas a combater, se quer cumprir o desígnio de Deus a seu respeito ao dar-lhe um filho. Se antes do nascimento de seu filho, ela é condescendente consigo mesma, egoísta, impaciente e exigente,


Te - Pag. 172  

esses traços se refletirão na disposição da criança. Assim muitas crianças têm recebido como herança quase invencíveis tendências para o mal.

Mas se a mãe se atém sem reservas aos retos princípios, se é temperante e abnegada, bondosa, amável e esquecida de si mesma, ela pode transmitir ao filho os mesmos traços de caráter. Muito explícita foi a ordem que proibia o uso de vinho pela mãe. Cada gota de bebida forte por ela ingerida para satisfazer seu apetite põe em perigo a saúde física, mental e moral do filho, sendo um pecado direto contra seu Criador. A Ciência do Bom Viver, págs. 372 e 373.

Responsáveis Pelo Bem-Estar das Futuras Gerações

Se as mulheres das gerações passadas houvessem sempre agido por considerações elevadas, compreendendo que as futuras gerações seriam enobrecidas ou rebaixadas por seu modo de proceder, haveriam decidido que não poderiam unir os interesses de sua vida a homens que nutriam apetites anormais pelas bebidas alcoólicas e o fumo, veneno lento mas certo e mortífero, enfraquecendo o sistema nervoso, e rebaixando as nobres faculdades da mente. Se os homens quisessem permanecer ligados a esses hábitos vis, as mulheres deviam havê-los deixado a sua vida de bem-aventurança celibatária, para fruírem os companheiros de sua escolha. As mulheres não se deveriam considerar de tão pouco valor que unissem seu destino a homens que não tinham domínio sobre seus apetites, mas cuja principal felicidade consistia em comer e beber, e satisfazer as paixões animais.

As mulheres não seguiram sempre os ditames da razão, em vez de atenderem ao impulso. Não sentiram em elevado grau as responsabilidades que sobre elas recaem, para formarem ligações de vida tais que iriam imprimir em seus descendentes um baixo nível moral, e transmitir-lhes a paixão para satisfazer apetites inferiores a custo da saúde, e mesmo da vida. Deus as considerará responsáveis, em grande medida, pela saúde física e o caráter moral assim passado às futuras gerações. How to Live, nº 2, págs. 27 e 28.


Te - Pag. 173  

O Recém-Nascido

A indagação de pais e mães deve ser: "Que faremos com o filho que nos vai nascer?" Temos apresentado ao leitor o que Deus disse acerca do procedimento da mãe antes do nascimento de seus filhos. Isto, porém, não é tudo. O anjo Gabriel foi enviado das cortes celestes para dar instruções quanto ao cuidado dos filhos ao nascerem, a fim de que os pais compreendessem plenamente seu dever.

Cerca do tempo do primeiro advento de Cristo o anjo Gabriel veio ter com Zacarias, com uma mensagem semelhante à que fora dada a Manoá. Foi dito ao idoso sacerdote que sua esposa teria um filho, cujo nome seria João. "E", disse o anjo, "terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento. Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo." Luc. 1:14 e 15. Esse filho da promessa devia ser criado segundo hábitos estritamente temperantes. Uma importante obra de reforma ser-lhe-ia confiada: preparar o caminho para Cristo.

Intemperança em todas as formas campeava entre o povo. O uso do vinho e das comidas muito condimentadas, estava diminuindo a força física e degradando a moral em tão grande extensão, que os crimes mais revoltantes não pareciam pecaminosos. A voz de João devia ressoar no deserto em severa repreensão aos pecaminosos prazeres do povo, e seus próprios hábitos abstêmios deviam também ser uma reprovação aos excessos de seu tempo. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 225.

O Poder das Tendências Hereditárias

Transmitidos os Desejos Insaciáveis

Pai e mãe transmitem aos filhos suas características, mentais e físicas, e suas disposições e apetites. Como resultado da intemperança paterna, as crianças muitas vezes têm falta de força física, e de capacidade mental e moral. Alcoólatras e fumantes podem transmitir


Te - Pag. 174  

a seus filhos seu insaciável desejo, seu sangue inflamado e nervos irritáveis; e efetivamente o fazem. O libertino, muitas vezes, lega à prole, como herança, os seus desejos impuros, e mesmo doenças repugnantes. E, como os filhos têm menos poder para resistir à tentação do que o tiveram seus pais, a tendência é que cada geração decaia mais e mais. Patriarcas e Profetas, pág. 561.

Até à Terceira e Quarta Geração

Nossos antepassados nos legaram costumes e apetites que estão enchendo o mundo de enfermidades. Os pecados dos pais, mediante o apetite pervertido, são com terrível poder visitados nos filhos até à terceira e quarta gerações. A errônea alimentação de muitas gerações, os hábitos glutões e a condescendência consigo mesmo que há no povo, estão enchendo nossos asilos de mendicidade, nossas prisões e os asilos de alienados. A intemperança no tomar chá e café, vinho, cerveja, rum e sidra, e o uso do fumo, ópio e outros narcóticos, têm redundado em grande degenerescência mental e física, a qual vai em contínuo progresso. Review and Herald, 29 de julho de 1884.

O Legado às Gerações Vindouras

Onde quer que os hábitos dos pais sejam contrários à lei física, o dano causado a si mesmos repetir-se-á nas gerações futuras. Manuscrito 3, 1897.

A raça geme sob o fardo do infortúnio acumulado, em virtude dos pecados das gerações anteriores. Todavia, quase sem um pensamento ou cuidado, homens e mulheres da geração atual condescendem com a intemperança pela gula e a bebedice, deixando assim como legado à geração seguinte a enfermidade, o intelecto debilitado e uma moral poluída. Testimonies, vol. 4, pág. 31.

Neutralizar Tendências Herdadas

Os pais talvez transmitissem a seus filhos tendências e apetites e paixões que dificultem mais a obra de educar e exercitar esses filhos para serem estritamente temperantes e terem hábitos puros e virtuosos.


Te - Pag. 175  

Se o desejo de comidas prejudiciais e estimulantes e narcóticos lhes foi transmitido como um legado paterno, que responsabilidade terrivelmente solene repousa sobre os pais quanto a contrabalançar as más tendências que passaram a seus filhos! Quão zelosa e diligentemente devem os pais trabalhar para cumprir seu dever, com esperança e fé, para com seus infortunados filhos! Testimonies, vol. 3, págs. 567 e 568.

Enfrentar a Onda do Mal

Muitos sofrem em conseqüência da transgressão dos pais. Embora não sejam responsáveis pelo que seus eles fizeram, é no entanto seu dever procurar verificar o que é e o que não é violação das leis da saúde. Devem evitar os hábitos errôneos de seus pais, e mediante uma vida correta colocar-se em melhores condições. A Ciência do Bom Viver, pág. 234.

Requer-se Agora Maior Força Moral

A necessidade de os homens desta geração chamarem em seu auxílio a força de vontade, fortalecida pela graça de Deus, a fim de opor-se às tentações de Satanás, e resistir à mínima complacência com o apetite pervertido, é muitíssimo maior do que era algumas gerações atrás. A presente geração, no entanto, tem menos poder de domínio próprio do que os que viviam então. Os que condescendiam com esses estimulantes transmitiam seus apetites pervertidos e suas paixões aos próprios filhos, de modo que requer-se agora maior força moral para resistir à intemperança em todas as suas formas. O único meio perfeitamente seguro é ficar firme, observando estrita temperança em tudo, não se aventurando nunca no caminho do perigo. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 37.

Padrões de Conduta

Começar com a Infância

Comecem os pais a cruzada contra a intemperança em sua própria lareira, no seio da família, nos princípios que ensinam seus filhos a seguirem desde a


Te - Pag. 176  

infância, e poderão esperar bom êxito. Testimonies, vol. 3, pág. 567.

Ensinar Diligentemente

Ensinai desde o berço vossos filhos a exercer a abnegação, o domínio de si mesmos. ... Impressionai-lhes a tenra mente com a verdade de que não é o desígnio divino que vivamos meramente para satisfazer nossas inclinações atuais, mas para nosso bem final. Ensinai-lhes que ceder à tentação é fraqueza e impiedade; resistir-lhe, nobreza e varonilidade. Essas lições serão como sementes lançadas em boa terra, e produzirão frutos que farão a alegria de vosso coração. A Ciência do Bom Viver, pág. 386.

A Importância de Começar Cedo

Nunca se pode acentuar demasiado a importância da educação ministrada à criança em seus primeiros anos de existência. As lições aprendidas, os hábitos formados durante os anos da infância, têm mais que ver com o caráter e a direção da vida do que todas as instruções e educação dos anos posteriores. A Ciência do Bom Viver, pág. 380.

A Vasta Influência dos Primeiros Hábitos

Em grande medida, o caráter é formado nos primeiros anos. Os hábitos então estabelecidos têm mais influência que qualquer dom natural em fazer homens gigantes ou anões no intelecto; pois os melhores talentos podem, mediante hábitos errôneos, ser deformados ou enfraquecidos. Quanto mais cedo na vida uma pessoa contrai hábitos nocivos, tanto mais firmemente prenderão eles sua vítima em servidão, e tanto mais certo é baixarem-lhes eles a norma de espiritualidade. Conselhos Sobre Saúde, págs. 112 e 113.

Dificuldade Para Desaprender Hábitos Estabelecidos

Muito difícil é desaprender os hábitos com que condescendemos no decorrer da vida. O demônio da intemperança tem força gigantesca, e não é facilmente vencido. ... Valerá a pena, mães, empregardes as horas preciosas que Deus vos dá em formar o caráter de vossos filhos, e ensinar-lhes a aderir estritamente aos princípios de temperança no comer e beber. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 79.


Te - Pag. 177  

Despertar Precoce Apetite Para a Bebida Alcoólica

Ensinai vossos filhos a aborrecer os estimulantes. Quantos estão ignorantemente promovendo neles um apetite dessas coisas! Vi na Europa enfermeiras chegando aos lábios de pequeninos inocentes o copo de vinho ou cerveja, cultivando assim neles o gosto dos estimulantes. Ao crescerem, aprendem a depender mais e mais dessas coisas, até que, a pouco e pouco, são vencidos, sendo arrastados para além do alcance do auxílio, terminando por ocupar a sepultura de um beberrão. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 235.

Os Primeiros Três Anos

Permiti que o egoísmo, a raiva e a voluntariedade sigam sua direção nos primeiros três anos da vida de uma criança, e difícil será levá-la a submeter-se à sã disciplina. Sua disposição tornou-se azeda; ela se deleita em seguir sua própria vontade; desagradável é o domínio paterno. Essas más tendências desenvolvem-se à medida que ela cresce, até que, na varonilidade, o supremo egoísmo e a falta de controle sobre si mesma a coloca sob os resultados dos males que andam desenfreados em nossa terra. Health Reformer, abril de 1877.

Pesada Responsabilidade dos Pais

Quão difícil é obter a vitória sobre o apetite, uma vez estabelecido Quão importante criarem os pais seus filhos com gostos puros e apetites não pervertidos Os pais devem sempre lembrar que sobre eles repousa a responsabilidade da educação das crianças de maneira que venham a ter fibra moral para resistir ao mal que os há de rodear ao saírem para o mundo.

Cristo não pediu a Seu Pai que tirasse os discípulos do mundo, mas que os livrasse do mal que há no mundo, que os guardasse de cederem às tentações que haviam de enfrentar de todo lado. Essa oração devem os pais fazer por seus filhos. Pleitearão, porém, eles com Deus, e depois deixarão seus filhos fazerem


Te - Pag. 178  

o que lhes apraz? Deus não pode proteger do mal os filhos se os pais não cooperam com Ele. Os pais devem empreender brava e corajosamente sua obra, levando-a avante com incansável esforço. Review and Herald, 9 de julho de 1901.

Os que condescendem com o apetite de uma criança, e não a ensinam a dominar suas paixões, poderão posteriormente ver, no amante do fumo, no escravo da bebida alcoólica, de sentidos embotados, e lábios que proferem mentiras e impiedades, o terrível erro que cometeram. Conselhos Sobre Saúde, pág. 114.

Moldar o Caráter Para Resistir à Tentação

Os primeiros passos para a intemperança, são de ordinário dados na infância ou adolescência. Dá-se à criança alimento estimulante, e são despertados desejos intensos, não naturais. Esses apetites depravados são incentivados à medida que se desenvolvem. O gosto torna-se cada vez mais pervertido; são ardentemente desejados estimulantes, e satisfeitos esses desejos, até que em breve o escravo do apetite atira para o lado todas as restrições. O mal começou cedo na vida, e poderia haver sido prevenido pelos pais. Testemunhamos em nosso país corajosos esforços para vencer a intemperança; mas tem-se verificado árdua tarefa dominar e acorrentar o leão crescido e vigoroso.

Se metade dos esforços empregados para deter esse gigantesco mal fossem dirigidos para o esclarecimento dos pais quanto a sua responsabilidade na formação dos hábitos e caráter de seus filhos, mil vezes mais benefício resultaria do que da maneira atual de combater apenas o mal depois de desenvolvido. O desejo fora do natural de bebidas alcoólicas, desenvolve-se no lar, em muitos casos, na própria mesa dos mais zelosos em liderar as campanhas de temperança. ...

Os pais não devem considerar levemente a obra de educar seus filhos. É preciso empregar muito tempo no estudo cuidadoso das leis que regulam nosso ser. Devem tornar seu primeiro objetivo aprender a maneira apropriada de lidarem com


Te - Pag. 179  

seus filhos, a fim de assegurar-lhes mente e corpo sãos. Muitos são os pais controlados pelo hábito em lugar da sã razão e das reivindicações de Deus. Muitos que professam ser seguidores de Cristo são lamentavelmente negligentes nos deveres domésticos. Não percebem a sagrada importância do depósito que Deus lhes pôs nas mãos, de moldarem por tal maneira o caráter de seus filhos que eles tenham força moral para resistir às muitas tentações que enredam os pés da juventude. Signs of the Times, 17 de novembro de 1890.

Começar com o Berço

Houvessem os pais cumprido o seu dever de pôr à mesa alimentos saudáveis, rejeitando as substâncias estimulantes e irritantes, e houvessem ao mesmo tempo ensinado a seus filhos o domínio de si mesmos, e educado seu caráter no sentido de desenvolver força moral, não teríamos agora de lidar com o leão da intemperança. Depois de haverem-se formado hábitos de condescendência com o apetite, e crescido à medida que eles crescem, e se robustecido na proporção em que eles se fortalecem, quão difícil é para os que não foram devidamente exercitados na juventude romper com os hábitos errôneos e aprenderem a restringir-se e a seu apetite anormal! Quão difícil ensinar a essas pessoas e fazê-las sentir a necessidade da temperança cristã quando atingem à maturidade! As lições de temperança devem começar com a criança embalada em seu berço. Review and Herald, 11 de maio de 1876.

O Ajuste Final

Quando pais e filhos se encontrarem no final ajuste de contas, que cena se apresentará então! Milhares de filhos que foram escravos do apetite e dos vícios degradantes, cujas vidas são ruínas morais, hão de estar face a face com os pais que os tornaram o que eles são. Quem senão os pais deve levar essa terrível responsabilidade? Fez o Senhor corruptos esses jovens? Oh, não Ele os fez a Sua imagem, um pouco menores do que os anjos. Testimonies, vol. 3, pág. 568.


Te - Pag. 180  

Exemplo e Guia Paternos

Responsáveis Pelo Caráter

Poucos pais, todavia, reconhecem que seus filhos são o que seu exemplo e sua disciplina os fez, e que eles são responsáveis pelo caráter que os filhos desenvolvem. The Health Reformer, de dezembro de 1872.

Há trabalho para as mães no ajudarem os filhos a formar hábitos corretos e gostos puros. Educai o apetite; ensinai as crianças a abominarem os estimulantes. Criai vossos filhos de modo a formarem fibra moral para resistir ao mal que os circunda. Ensinai-lhes que não devem ser desviados pelos outros, nem ceder a fortes influências, mas sim influenciar a outros para o bem. A Ciência do Bom Viver, pág. 334.

Mãe, um Exemplo

A mulher deve ocupar posição mais santa e elevada na família, que o rei em seu trono. Sua grande obra é tornar a própria vida um exemplo vivo, o qual ela desejaria que seus filhos imitassem. Testimonies, vol. 3, pág. 566.

Temperança em Todos os Detalhes da Vida Doméstica

Os pais dever-se-iam conduzir de tal maneira, que sua vida seja diária lição de domínio próprio e de paciência para sua família. ... Insistimos em que os princípios de temperança sejam introduzidos em todos os detalhes da vida doméstica; que o exemplo dos pais seja uma lição de temperança. Signs of the Times, 20 de abril de 1882.

Deus Apoiará os Esforços dos Pais

Quando assumis vossos deveres paternais, na força de Deus, com a firme decisão de nunca afrouxar vossos esforços, nem abandonar o posto de dever, lutando para fazer vossos filhos aquilo que Ele quer que eles sejam, então o Senhor vos olha aprovadoramente. Ele sabe que estais fazendo o melhor que vos é possível, e vos acrescentará o poder. Ele próprio fará a parte da obra que o pai e a mãe não podem efetuar; cooperará com os sábios, pacientes e bem dirigidos esforços da mãe temente a Deus.


Te - Pag. 181  

Pais, Deus não Se propõe a fazer a obra que deixou para realizardes em vosso lar. É preciso não vos abandonardes à indolência e serdes servos negligentes, se quiserdes que vossos filhos sejam salvos dos perigos que os rodeiam no mundo. Review and Herald, 10 de julho de 1888.

Ensinar Abnegação e Domínio Próprio

Começar com a Primeira Infância

Abnegação e domínio próprio devem ser ensinados às crianças, e exigidos delas até onde for coerente, desde a primeira infância. E primeiro é importante que seja ensinado aos pequeninos que eles comem para viver, e não vivem para comer; que o apetite precisa ser mantido em obediência à vontade; e que esta deve ser governada pela razão calma e inteligente. Signs of the Times, 20 de abril de 1882.

Ensinar Princípios de Reforma

Pais e mães, velai em oração. Guardai-vos estritamente da intemperança em toda forma. Ensinai a vossos filhos os princípios da verdadeira reforma de saúde. Ensinai-lhes o que devem evitar a fim de conservarem a saúde. Já a ira de Deus começou a visitar os filhos da desobediência. Que crimes, que pecados, que práticas iníquas estão sendo reveladas de todos os lados! Testimonies, vol. 9, pág. 160.

Ensinar o Verdadeiro Objetivo da Vida

Foram dadas na Palavra de Deus explícitas instruções. Sejam esses princípios obedecidos pela mãe, com a cooperação e apoio do pai, e sejam as crianças exercitadas desde a infância em hábitos de domínio próprio. Ensine-se-lhes que o objetivo da vida não é satisfazer os apetites sensuais, mas honrar a Deus e beneficiar seus semelhantes.

Pais e mães, trabalhai diligente e fielmente, descansando em Deus quanto à graça e a sabedoria. Sede firmes, e todavia brandos. Em todas as vossas ordens cuidai garantir o mais elevado bem de vossos filhos, e então vede que essas ordens sejam obedecidas.


Te - Pag. 182  

Vossa energia e decisão precisam ser inabaláveis, no entanto sempre subordinadas ao Espírito de Cristo. Então poderemos na verdade esperar "que nossos filhos sejam, como plantas, bem desenvolvidos na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas como colunas de um palácio". Sal. 144:12. Signs of the Times, 13 de setembro de 1910.

Os Pais Têm a Culpa se os Filhos São Bebedores

Há lamento geral por causa de a intemperança dominar em tão assustadora extensão; mas atribuímos a causa primária aos pais e mães que puseram na mesa os meios pelos quais o apetite de seus filhos foram educados para estimulantes que estimulam. Eles próprios semearam em seus filhos as sementes da intemperança, e é culpa sua se eles se tornam bebedores. Health Reformer, maio de 1877.

O alimento muitas vezes é de forma a despertar o desejo de bebidas estimulantes. Pratos muito complicados são colocados perante as crianças - alimentos condimentados, ricos molhos, bolos e pastelarias. Esse alimento altamente condimentado irrita o estômago e causa o desejo de estimulantes mais fortes. Não só é o apetite tentado com alimento inadequado, do qual às crianças se deixa comer livremente na hora das refeições, mas permite-se-lhes comer entre as refeições, e quando chegam aos doze ou catorze anos de idade, são muitas vezes consumados dispépticos.

Talvez já tenhais visto uma gravura do estômago de pessoa viciada em bebida forte. Estado semelhante é produzido pela influência de condimentos fortes. Com o estômago nessas condições, apresenta-se um desejo de algo mais para satisfazer as exigências do apetite, alguma coisa mais forte, e sempre mais forte. Em seguida descobrireis vossos filhos na rua, aprendendo a fumar. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, págs. 236.

Estrada da Intemperança

Em sua ignorância ou negligência, os pais dão aos filhos as primeiras lições de intemperança. À mesa, carregada de condimentos prejudiciais, comida indigesta e gulodices cheias de especiarias, a criança adquire o gosto do que lhe é nocivo, que tende a irritar as delicadas


Te - Pag. 183  

membranas do estômago, inflama o sangue e fortalece as paixões animais. O apetite logo anseia por alguma coisa mais forte, e é usado o fumo para satisfazer esse anseio. Como essa satisfação serve apenas para aumentar o anormal desejo de estimulantes, eles recorrem logo à bebida alcoólica, seguindo-se a embriaguez. Eis o curso da grande estrada da intemperança. Review and Herald, 6 de setembro de 1877.

Paralisadas as Energias Morais

Mediante o apetite, inflamam-se as paixões, e paralisam-se as energias morais, de modo que as instruções paternas nos princípios de moralidade e piedade genuína caem nos ouvidos sem afetar o coração. As mais terríveis advertências e ameaças da Palavra de Deus não têm poder suficiente para despertar o intelecto embotado e a consciência violada.

A satisfação do apetite e da paixão põe em febre e debilita a mente, inabilitando para a educação. Nossa juventude necessita instrução fisiológica, bem como de outros conhecimentos literários e científicos. Importante é para eles compreender a relação existente entre o que comem e bebem, bem como seus hábitos gerais, e a saúde e a vida. À medida que compreenderem sua própria estrutura, saberão como guardar-se contra a debilidade e a doença. Com boa constituição, há esperança de realizar quase tudo. Beneficência, amor e piedade podem ser cultivados. A carência de vigor físico manifestar-se-á em enfraquecidas energias morais. Diz o apóstolo: "Não reine portanto o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências." Rom. 6:12. Health Reformer, dezembro de 1872.

É da Conta de Alguém

Deveis estudar a temperança em tudo. Cumpre-vos estudá-la no que comeis e no que bebeis. Todavia, dizeis: "Não é da conta de ninguém o que eu como, ou o que bebo, ou o que ponho em minha mesa." É da conta de alguém, a menos que enclausureis vossos filhos, ou vades para o deserto onde não sejais pesados a outros, e onde vossos


Te - Pag. 184  

filhos desgovernados, viciosos não corrompam a sociedade em que vivem. Testimonies, vol. 2, pág. 362.

Educar Visando a Independência Moral

Os pais devem educar seus filhos a terem independência moral, a não seguirem impulsos e inclinações, mas exercerem suas faculdades de raciocínio, e agirem segundo os princípios. Não busquem as mães saber qual é a última moda, mas o caminho do dever e da utilidade, por ele dirigindo os passos de seus filhos. Hábitos simples, moral pura e uma nobre independência na justa direção, serão de mais valor para os jovens que muita cultura, os bens do saber, ou o polimento exterior que o mundo lhes possa dar. Ensinai vossos filhos a andarem nos caminhos da justiça, e eles, por sua vez, levarão outros à mesma direção. Assim vereis afinal que vossa vida não foi em vão, pois fostes instrumentos para levar frutos preciosos ao celeiro de Deus. Review and Herald, 6 de novembro de 1883.

Primeira Preocupação dos Pais, as Leis da Vida

Os pais devem tornar o compreender as leis da vida e da saúde sua primeira preocupação, para que não façam nada no preparo do alimento, ou por meio de outros hábitos, que desenvolvam em seus filhos tendências errôneas. Quão cuidadosamente devem as mães estudar como preparar sua mesa com a comida mais simples e mais saudável, para que os órgãos digestivos não se enfraqueçam, desequilibrem as forças nervosas, e as instruções que devem dar a seus filhos não sejam anuladas pelo alimento posto diante deles. Esse alimento ou enfraquece ou revigora os órgãos digestivos, e tem muito que ver com o controle da saúde física e moral dos filhos, que são a propriedade de Deus, comprada a preço de sangue. Que sagrado depósito é confiado aos pais em guardar a constituição física e a moral de seus filhos, de modo que o sistema nervoso seja equilibrado, e a alma livre de perigo Testimonies, vol. 3, pág. 568.

As Crianças Também Devem Compreender Fisiologia

Devem os pais procurar despertar nos filhos interesse no estudo da fisiologia.


Te - Pag. 185  

Desde o primeiro alvorecer da razão deve a mente humana ter entendimento a respeito da constituição física. Podemos ver e admirar a obra de Deus no mundo natural, mas a habitação humana é a mais maravilhosa. É, pois, da máxima importância que dentre os estudos escolhidos para as crianças, ocupe a fisiologia lugar relevante. Todas as crianças devem estudá-la. E então devem os pais providenciar para que a ela se acrescente a higiene prática.

As crianças devem ser ensinadas de modo a compreender que todo órgão do corpo e toda faculdade do espírito é dom de um Deus bom e sábio, e que cada um destes dons deve ser usado para Sua glória. Deve-se insistir nos hábitos corretos de comer, beber e vestir. Maus hábitos tornam os jovens menos suscetíveis à instrução bíblica. As crianças devem ser guardadas contra a satisfação do apetite, em especial, o uso de estimulantes e narcóticos. Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, págs. 111 e 112.

Preparados Para Enfrentar a Tentação

As crianças devem ser exercitadas e educadas de maneira que saibam que encontrarão dificuldades, e esperem tentações e perigos. Cumpre ensiná-las a dominar-se, e a vencer nobremente as dificuldades; e se elas não se precipitarem voluntariamente para o perigo, nem se colocarem desnecessariamente no caminho da tentação; se evitarem más influências e o convívio dos viciosos, e forem então compelidas inevitavelmente a estar em companhias perigosas, terão resistência de caráter para ficar firmes ao lado do direito e conservar os princípios, e sairão, no poder de Deus, com sua moral imaculada. A força moral da juventude que foi devidamente educada, pondo eles em Deus sua confiança, estará à altura de resistir à mais forte prova. Health Reformer, dezembro de 1872.

Caso fossem implantados na juventude que deverá formar e moldar a sociedade, os retos princípios da temperança, pouca necessidade haveria de cruzadas nesse sentido. Firmeza de caráter, controle moral, haviam de dominar, e no poder de


Te - Pag. 186  

Jesus as tentações destes últimos dias seriam vencidas. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 79.

A Juventude e o Futuro

Índice do Futuro

A juventude de hoje é seguro índice da futura sociedade; e tal como a vemos, que podemos esperar do futuro? A maioria é amante de divertimentos e avessa ao trabalho. Falta-lhes coragem moral para negarem-se a si mesmos e atenderem às exigências do dever. Não possuem senão um fraco domínio próprio, e ficam agitados e encolerizados pelas menores coisas. Muitos, em todas as idades e posições sociais, carecem de princípios ou de consciência; e com seus hábitos ociosos, perdulários, estão correndo para o vício e corrompendo a sociedade, até que nosso mundo se está tornando uma segunda Sodoma. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 45.

O Tempo de Estabelecer Bons Hábitos

Se são formados na juventude hábitos corretos e virtuosos, eles assinalarão geralmente a direção do seu possuidor através da existência. Verificar-se-á, na maioria dos casos, que os que em anos posteriores reverenciam a Deus e honram o direito, aprenderam essa lição antes de haver tempo de o mundo estampar sua imagem de pecado na alma. Os de idade madura são geralmente tão insensíveis a novas impressões como a rocha endurecida; a juventude, porém, é impressionável. A juventude é o tempo de adquirir conhecimento para a prática diária no decorrer da vida; então é possível formar facilmente um caráter reto. É o tempo de formar hábitos bons, adquirir e conservar o poder do domínio de si mesmo. A juventude é a estação da semeadura, e a semente lançada determina a colheita, tanto para esta vida como para a futura. Conselhos Sobre Saúde, pág. 113.

Ser Temperante é Ser Varonil

A única maneira por que alguém se pode resguardar do poder da intemperança, é abster-se inteiramente do vinho, da cerveja e das bebidas fortes. Precisamos ensinar a nossos filhos que para serem varonis,


Te - Pag. 187  

precisam deixar essas coisas em paz. Deus nos tem mostrado o que constitui a verdadeira varonilidade. O que vencer é que será honrado, e não terá seu nome apagado do livro da vida. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 37.

Em nossas grandes cidades há bares à direita e à esquerda, tentando os transeuntes a satisfazer a sede que, uma vez estabelecida, é demasiado difícil vencer. A juventude deve ser exercitada em nunca tocar no fumo ou em bebida intoxicante. O álcool priva os homens de sua faculdade de raciocínio. Review and Herald, 15 de junho de 1905.

Nadabe e Abiú Haviam Formado o Hábito de Beber

Qualquer coisa que diminua as forças físicas enfraquece a mente, e torna-a menos clara para discernir entre o bem e o mal, entre o direito e o erro. Este princípio é ilustrado no caso de Nadabe e Abiú. Deu-lhes Deus sacratíssima obra a fazer, permitindo-lhes chegar perto dEle no serviço que lhes fora designado; eles, porém, tinham o hábito de beber vinho, e entraram no serviço santo do santuário com a mente confusa. ... "Então saiu fogo de diante do Senhor, e os consumiu; e morreram perante o Senhor." Lev. 10:2. Fundamentos da Educação Cristã, págs. 427 e 428.

Advertência a Pais e a Jovens

Pais e filhos devem ser advertidos pela história de Nadabe e Abiú. O apetite, sendo satisfeito, perverteu as faculdades de raciocínio, e levou à transgressão de uma ordem expressa, o que trouxe o juízo de Deus sobre eles. Não obstante filhos não haverem tido a devida instrução, e seu caráter não haver sido corretamente moldado, Deus Se propõe a ligá-los consigo como fez com Nadabe e Abiú, se eles ouvirem a Seus mandamentos. Se eles, com fé e coragem, puserem sua vontade em submissão à vontade de Deus, Ele os ensinará, e sua vida pode ser como o branco e puro lírio, cheio de fragrância nas águas estagnadas. Eles precisam


Te - Pag. 188  

resolver, na força de Jesus, controlar a inclinação e a paixão, e ganhar dia a dia vitórias sobre as tentações de Satanás. Este é o caminho que Deus designou para os homens servirem a Seus altos desígnios. Signs of the Times, 8 de julho de 1880.

Aquele que é Digno de Honra

O jovem que está determinado a manter seu apetite sob o controle de Deus, e que recusa a primeira tentação de tomar bebida intoxicante, dizendo cortesmente mas com firmeza: "Não, obrigado", é aquele que é digno de honra. Tomem os jovens sua atitude de abstinentes totais, ainda que os homens que ocupem altas posições no mundo não tenham a coragem moral de pôr-se ousadamente contra um hábito que é ruinoso à saúde e à vida. Carta 166, 1903.

A Influência de um Jovem Consagrado

Um jovem que foi instruído pela devida educação doméstica, colocará sólidas vigas na construção de seu caráter, e pelo exemplo e pela vida, uma vez que suas faculdades sejam devidamente empregadas, ele se tornará uma força em nosso mundo para conduzir outros para o alto e para a frente na senda da justiça. A salvação de uma alma é a salvação de muitas almas. Review and Herald, 10 de julho de 1888.

Tecendo uma Teia de Hábitos

Lembrai-vos de que estais diariamente tecendo para vós mesmos uma teia de hábitos. Se esses hábitos forem em harmonia com a regra bíblica, estais cada dia dando passos em direção ao Céu, crescendo na graça e no conhecimento da verdade; e como a Daniel, Deus vos dará sabedoria. Não escolhereis o caminho da satisfação egoísta. Segui hábitos da mais estrita temperança, e sede cuidadosos de manter santas as leis que Deus estabeleceu para vos governar o ser físico. Deus tem direitos sobre vossas faculdades, portanto, é pecado a desatenção negligente às leis da saúde. Quanto melhor observardes essas leis, tanto mais claramente podereis discernir as tentações e resistir-lhes, e tanto mais claramente podeis discernir o valor das coisas eternas. Youth"s Instructor, 25 de agosto de 1886, pág. 135.


Te - Pag. 189  

O Exemplo de Daniel

Nenhum rapaz ou moça poderia ser mais tentado do que foram Daniel e seus companheiros. A esses quatro jovens hebreus foram oferecidos vinho e iguarias da mesa do rei. Eles, porém, preferiram ser temperantes. Viram que havia perigos de todos os lados, e que, se haviam de resistir à tentação, deveriam fazer mais decididos esforços por sua parte, confiando a Deus os resultados. O jovem que desejar subsistir como fez Daniel, precisa exercer ao máximo suas energias espirituais, cooperando com Deus, e confiando inteiramente na força por Ele prometida a todos os que a Ele vão com humilde obediência.

Há constante luta a ser mantida entre a virtude e o vício. Os elementos discordantes de um, e os puros princípios do outro, acham-se em atuação em busca do predomínio. Satanás aproxima-se de toda alma com qualquer forma de tentação no sentido da condescendência com o apetite. Reina de maneira assustadora a intemperança. Para onde quer que olhemos, vemos esse mal carinhosamente nutrido.

É Honroso Recusar

Os seguidores de Jesus nunca se envergonharão de ser temperantes em tudo. Por que, então, dever-se-ia o jovem envergonhar de recusar o copo de vinho ou de espumante cerveja? A recusa a satisfazer o apetite pervertido é uma ação honrosa. Pecar não é varonil; condescender com hábitos prejudiciais no comer e beber, é fraqueza, covardia, rebaixamento; negar ao apetite pervertido, porém, é força, valor, nobreza. Na corte de Babilônia, Daniel estava rodeado de seduções para pecar, mas com o auxílio de Cristo permaneceu em sua integridade. Aquele que não é capaz de resistir à tentação, quando toda a facilidade para vencer foi posta a seu alcance, não é registrado nos livros do Céu como um homem.

Ousai ser um Daniel, ousai erguer-vos só Tende a coragem de fazer o que é reto. Uma reserva covarde e silenciosa diante de maus companheiros, enquanto lhes escutais os planos, torna-vos um deles. "Saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor;


Te - Pag. 190  

e não toqueis nada imundo, e Eu vos receberei; e Eu serei para vós Pai e vós sereis para Mim filhos e filhas." II Cor. 6:17 e 18.

É Necessário Coragem Moral

Em todos os tempos e em todas as ocasiões requer coragem moral aderir aos princípios de estrita temperança. Podemos esperar que, seguindo essa orientação, havemos de surpreender os que não seguem totalmente a abstenção de todos os estimulantes; mas como havemos de levar avante a obra de reforma, se nos conformamos aos hábitos e práticas nocivos daqueles com quem nos associamos? ...

Em nome e no poder de Jesus, todo jovem pode vencer hoje o inimigo no que concerne ao apetite pervertido. Meus jovens amigos, avançai passo a passo, até que todos os vossos hábitos estejam em harmonia com as leis da vida e da saúde. Aquele que venceu no deserto da tentação, declara: "Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim como Eu venci, e Me assentei com Meu Pai no Seu trono." Apoc. 3:21. The Youth"s Instructor, 16 de julho de 1903.

Não Afastado da Tentação

Daniel amava, temia e obedecia a Deus. Todavia não fugiu para longe do mundo para evitar sua corruptora influência. Na providência de Deus ele devia estar no mundo, todavia não ser do mundo. Com todas as tentações e fascinações da vida da corte em torno de si, ele permaneceu na integridade de sua alma, firme como uma rocha em sua aderência aos princípios. Ele fez de Deus sua força e não foi por Ele abandonado no tempo de sua maior necessidade. Testimonies, vol. 4. págs. 569 e 570.

O Resultado da Fiel Educação Doméstica

Os pais de Daniel haviam-no educado em sua infância em hábitos de estrita temperança. Haviam-lhe ensinado que se devia harmonizar em todos os seus hábitos com as leis da natureza; que a maneira por que ele comia e bebia tinha direta influência sobre sua natureza física, mental e moral, e que ele era responsável para com Deus por seus dons; pois considerava-os a todos como dotes vindos de Deus, e não devia, por qualquer modo de proceder,


Te - Pag. 191  

amesquinhá-los ou prejudicá-los. Em resultado desse ensino, a lei de Deus foi exaltada em seu espírito, e reverenciada em seu coração. Nos primeiros anos de seu cativeiro, Daniel passou por uma prova que o devia familiarizar com a grandeza da corte, com a hipocrisia e o paganismo. Estranha escola, em verdade, para habilitá-lo para uma vida de sobriedade, laboriosidade e fidelidade! Todavia ele viveu imaculado pela atmosfera corrupta que o circundava.

A experiência de Daniel e seus jovens companheiros ilustra os benefícios que podem resultar de um regime abstêmio, e mostra o que Deus fará por aqueles que cooperam com Ele na purificação e reerguimento da alma. Eles foram uma honra para Deus, e uma luz ardente e resplandecente na corte de Babilônia.

O Chamado de Deus

Ouvimos, nessa história, a voz de Deus se dirigindo a nós, individualmente, ordenando-nos que reunamos todos os preciosos raios de luz sobre esse assunto que é a temperança cristã, e coloquemo-nos na devida relação para com as leis da saúde.

Queremos uma parte na herança eterna. Queremos um lugar na cidade de Deus, livre de toda impureza. Todo o Céu está observando a ver como estamos combatendo o combate contra a tentação. Todos os que professam o nome de Cristo, andem de tal maneira perante o mundo, que ensinem pelo exemplo assim como por preceito os princípios da verdadeira maneira de viver. "Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." Rom. 12:1. Christian Temperance and Bible Hygiene, págs. 23 e 24.

Estudantes Devem Ter Cuidado

A natureza do alimento e o modo por que é ele comido exercem poderosa influência sobre a saúde. Muitos estudantes nunca fizeram um decidido esforço para governar o apetite, ou observar as regras devidas com relação ao comer. Alguns comem demasiado em suas refeições, e outros comem entre as refeições sempre que a tentação se lhes apresente.


Te - Pag. 192  

Deve-se fazer com que a necessidade de cuidado nos hábitos do regime impressione a mente de todos os estudantes. Fui instruída quanto a não deverem servir-se aos que freqüentam nossas escolas, alimentos cárneos nem iguarias reconhecidas como prejudiciais à saúde. Nada que sirva para despertar o desejo de estimulantes deve ser posto à mesa. Apelo para todos que se recusem a comer as coisas que prejudiquem a saúde. Assim podem servir ao Senhor por sacrifício. Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, pág. 267.

Reafirmar a Liberdade

Jovens, que julgais não poder comer a comida simples e nutritiva que se fornece no Instituto de Saúde, e que deveis ir ao restaurante e arranjar alguma coisa que satisfaça ao apetite, é tempo de despertardes, e afirmar vossa liberdade varonil. Manuscrito 3, 1888.

Cuidado com a Tentação

Permitireis que ocupação terrestre, temporal, vos leve à tentação? Duvidareis de vosso Senhor, que vos ama? Negligenciareis a obra que vos foi dada, de fazer serviço para Deus? Associai-vos com pessoas de classe terrena, sensual, diabólica. Tendes respirado pestilência moral, e estais em sério risco de fracassar onde poderíeis vencer, se vos colocásseis na devida relação para com Jesus, tornando Sua vida e Seu caráter o vosso critério. Agora, para escapar à corrupção que, pela concupiscência, está no mundo, importa que sejais participante da natureza divina. Cumpre-vos o dever de guardar vossa alma na atmosfera do Céu.

Não vos deveis colocar em posição de ser corrompidos por companheiros dissolutos. Como alguém que ama a vossa alma, rogo-vos que vos esquiveis o quanto possível à companhia dos libertinos, dos licenciosos e dos ímpios. Orai: "Não nos deixes cair em tentação", isto é, "Não permitas, ó Senhor, que sejamos vencidos quando assaltados pela tentação." Vigiai e orai para que não entreis em tentação. Há uma diferença entre ser tentado, e entrar em tentação. Carta 8, 1893.


Te - Pag. 193  

Jesus Sociável e Temperante

Jesus reprovou a intemperança, a satisfação do próprio eu e a leviandade; todavia Ele era sociável por natureza. Aceitava convites para jantar com os cultos e nobres, da mesma maneira que com os pobres e aflitos. Nessas ocasiões, Sua conversação era de molde a elevar, instruir, mantendo os ouvintes maravilhados. Não dava nenhuma permissão a cenas de dissipação e orgia, todavia a felicidade pura Lhe era aprazível. Um casamento judaico era uma ocasião solene e impressiva, cujo prazer e alegria não desagradavam ao Filho do homem. Redemption or the Miracles of Jesus, págs. 13 e 14.

Dirigir, mas não Reprimir

A Palavra de Deus não condena ou reprime a atividade do homem, mas busca imprimir-lhe a justa direção. Enquanto o mundo enche a mente e a alma de exaltação, o Senhor vos põe nas mãos a Bíblia para que estudeis, aprecieis, e escuteis como a um guia para vossos passos. A Palavra é a vossa luz. Carta 8, 1893.

<< Capítulo Anterior Próximo Capítulo >>